quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Que venha 2015!

É incrível como o ano passa tão rápido e é só piscar o olho que já estamos às portas de 2015.
E, o meu maior desejo para 2015 é esse:

E,  de fato, é grande fonte de lucro a piedade com o contentamento.
1 Timóteo: 6. 6 (Bíblia JFA Offline)

Sim, quero ter muito lucro em 2015.  Quero me contentar com aquilo que Deus me deu. Não me contentar pra ficar acomodada. Mas para ver diariamente os presentes que Deus tem me preparado. Quero me alegrar diariamente com as vitórias,  mas principalmente pelo fato de poder lutar.

Quero me alegrar com o crescimento da minha duplinha assim como preciso comemorar cada dor que o crescimento causa. Quero estar forte o suficiente pra lidar com as dificuldades,  com coração aberto pra abraçar durante as crises e ajudá-los a crescer, sem murmurar, sem reclamar.   Quero viver intensamente todos esses momentos,  e estar contente sempre (o que significa que posso chorar,  surtar e desabafar, sem medo e vergonha).

Quero viver cada dia intensamente pois sei que as misericórdias do Senhor se renovam a cada manhã. Quero me lembrar, quando me deitar cansada, que o Senhor me dá o repouso e o descanso, e que posso me deitar em paz, porque é Ele quem estará recuperando as minhas forças e energias.

Quero me lembrar sempre quando as coisas apertarem, quando tudo parecer impossível de resolve  que o caos é o prenúncio do agir de Deus, porque o impossível é especialidade dEle...

E, com essa esperança, termino o ano de 2014... pois creio que todas as dificuldades nos ensinam a crescer e em 2015 quero estar pronta pra crescer! 


Feliz Natal!!!

Feliz Natal!!
Diálogo de véspera de Natal:
Garotão: "Hoje nós vamos no Feliz Natal! " (numa referência à ceia de Natal da família)
Pergunto: "Onde é o Feliz Natal? "
Princesa: "Jesus! "


Sim, é Natal!
Mais uma vez estamos nessa data tão  linda, tão empolgante... o Natal! Brilho, cores, festas, comidas, presentes... Sim, é Natal!
Em meio a tantas festas, meu maior desejo é que o Verdadeiro motivo do Natal, o verdadeiro Aniversariante, não seja esquecido. Muito pelo contrário: seja celebrado em nossas festas e principalmente em nossos corações.
Fico muito feliz em ver que os meus filhos já percebem que Jesus é o único motivo de toda essa agitação. Conhecem as músicas que proclamam a Verdadeira Paz. E, que dizem pra todos que quiserem ouvir: Natal é o Aniversário de Jesus.
E, pra comemorar esse lindo aniversário, deixo a música que mais tocou aqui em casa nesse mês de dezembro, a pedido de nossos pequenos:
Feliz Natal!
Que Jesus, o Príncipe da Paz reine sobre sua vida e seu lar!

Natal Brasileiro
Sim, é Natal
Vida e alegria estão no ar
Eu quero lhe dizer
Que isto é pra você

O Menino Jesus que traz sua luz
Pra encher o mundo de paz
Nasceu e ensinou o valor do amor
Entre nós!

Mesmo longe de Belém
Sua vida chega aos nossos corações

Brasil! Vem Comemorar porque Jesus
Nasceu Aqui Também

Brasil! Vem Comemorar porque Jesus
Nasceu Aqui Também

Link: http://www.vagalume.com.br/mig-meg/natal-brasileiro.html#ixzz3MkhmrLRk


segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Desmanchando em Lágrimas na Cantata de Natal


Tu ordenaste força da boca das crianças e dos que mamam
Salmos 8:2

Pra mim, o melhor do mês de dezembro são as cantatas de Natal, principalmente as apresentações infantis. Ano passado, por estarmos numa fase de mudança de igreja, acabamos não participando dessas festividades. Mas, esse ano, mesmo chegando meio de supetão, levamos o Garotão pra ensaiar no Coral Infantil, três semanas antes da apresentação.
E, o Garotão (5 anos 6 meses) se dedicou muito estudando as músicas. Ouvia no carro, em casa, via vídeos... Enfim, estudou bastante. Rapidinho, tanto ele como a Princesa (1ª8m) já sabiam toda a cantata de cor.  Mas apesar de ter se dedicado, nos ensaios tínhamos dificuldades pra ele ficar sentado e cantar junto com as outras crianças. Também era difícil quando era necessário passar a música mais que uma vez, pois para ele era cantar na mesma sequencia do CD.  Mesmo assim, nós estávamos curtindo e aprendendo muito, e ele também.
Já na última semana de ensaios, o Garotão já estava cantando junto com as outras crianças, mas era impossível que ele ficasse na posição de cantar... Mesmo assim, ele cantava muito. Estávamos na expectativa da apresentação. E, o Garotão também. Às vésperas, era perceptível o seu nervosismo, pois até roer as unhas enquanto cantava, ele roía...
E ontem ( 07.12.2014), o coral se apresentou A cantata foi “Natal Brasileiro”... O Garotão entrou direitinho, de mãos dadas com uma coleguinha que se apresentou para cuidar dele. E, quando a cantata começou, o Garotão ficou quietinho, na posição certinha de cantar, de mãos dadas com a coleguinha.. mas, não cantava. Parecia que o fato de estar parado travasse a música dele...
A cantata foi prosseguindo e o Garotão foi se soltando, dançando, pulando num pé só  (já que no sábado ele tinha dado uma topada com o dedão na porta... chorou tanto!) e quando chegou na quinta música, ele se soltou.
Ele cantou a música (Convite Gauchesco) a plenos pulmões, mesmo durante o solo ele se acabou de cantar... cantava alto, com vontade. E não deu. Eu me acabei de chorar... meus olhos ardiam, eu não me preocupei em segurar as lágrimas... toda a felicidade, toda a alegria se manifestou em lágrimas...
E, foi a coisa mais linda de se ver...
Só tenho que dizer uma coisa: foi a apresentação mais linda que o Garotão já fez. Foi lindo ver o quanto ele ganhou desde a primeira apresentação dele em coral... . Agora, vemos um Garotão desenvolto, que quer participar. Que se envolve, que vibra, que canta de uma forma linda e incrível!


Ah... acabei não falando da Princesa, né? Bom, ela não cantou lá na frente, junto com as outras crianças, mas cantou tudo em nosso colo, apontando sempre o irmão... linda, tão linda quanto o irmão.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

O fim de uma fase - Doação de Leite Materno

"Mas desejamos que cada um de vós mostre o mesmo cuidado até ao fim, para completa certeza da esperança." (Hebreus 6:11)

Faz quase dois meses que a Princesa não mama mais de madrugada.  E, a consequência mais imediata foi a redução da  quantidade de leite ordenhado para doação.
Em duas semanas,  saímos de um litro por semana pra menos de meio litro.  Isso só reforça que quanto mais o bebê mama, mais leite a gente tem. Essa é a melhor técnica pra aumentar a produção de leite: deixar o bebê mamar...
Eu ainda tiro os restinhos ainda produzidos. Várias vezes já pensei que esses 20, 30ml diário não estavam mais valendo a pena,  então,  vejo no Facebook aquelas imagens lindas dizendo da importância de 10ml de Leite Materno e ordenho. E vamos,  valorizando cada gota desse líquido precioso. .

sábado, 11 de outubro de 2014

O Desmame Noturno da Princesa

Salmos: 127. 2
"Pois Ele supre aos seus amados enquanto dormem."
 
Quando a Princesa nasceu, eu estava determinada a amamenta-la em livre demanda (LM em LD) por quanto tempo ela quisesse. O tempo foi passando e ela mamando, variando a duração, a quantidade, os intervalos.
Depois que ela fez um aninho, a amamentação noturna começou a ficar cansativa. Não por ela mamar a noite inteira, porque ela acabava dormindo comigo na cama, mas por causa da posição que eu ficava durante a noite para que ela pudesse mamar. Então, começamos a estudar como fazer. Então encontrei o Plano do Dr. Gordon, e estudei... mas fiquei com medo. O desmame noturno do Garotão tinha sido meio traumático. Ele chorou bem algumas noites antes de chegar no ponto de desmame... E eu não queria o  mesmo pra Princesa.
Então, o tempo foi passando e eu ficando cada vez mais cansada... e resolvi conversar com a Princesa uma noite. Disse pra ela:
“Mamãe está cansada, e você não precisa acordar de noite pra mamar. Você mama agora pra dormir, e mamãe vai te dar mamá apenas uma vez, tá bom?”
Ela ficou me olhando, olhando, e olhando e eu pensei: “Aiaiaiai...” Mas ainda não tinha decidido se ia ou não recusar dar o ‘mamá’ se ela pedisse.
Ela dormiu, pus ela no berço e fui pra minha cama dormir. No meio da noite, ela acordou e pediu o mamá. Eu dei, ela mamou, dormiu e voltou pro berço e eu voltei pra cama. E, depois, acordei com o despertador.

Nem acreditei... ela só tinha acordado uma vez!  Fiquei pensando que era uma situação extra. .. mas foi assim por quase um mês. 

Então pensamos que era hora de partir de vez para o desmame noturno. Nova conversa com a Princesa, combinamos que ela só iria mamar quando clareasse e veio a primeira noite: ela acordou,  pediu mamá e não dei. Ela deitou comigo e dormiu. Viva! Dia seguinte, também.  Um dia, acordou e pediu água. Outro,  banana.  Outro,  quis brincar. 
E estamos aí há um mês sem mamar durante a noite. 
Mas nem todos é perfeito: ela ainda acorda de madrugada.  Outra coisa é que,  se mama quando clareia, então cinco da manhã ela já está acordando. ..Hehehe! Assim,  estou ansiosa para chegar o horário de verão! 
Ah, e durante o dia,  quando estamos juntas, a amamentação ainda é em livre demanda...

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

18 meses da Princesa

Lucas: 2. 40.  "E o menino ia crescendo e fortalecendo-se, ficando cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele."

E a nossa Princesa está completando 18 meses! Um ano e meio! Deus sabe o quanto eu estava ansiosa por essa idade, por esse marco no desenvolvimento dela...
Eu tinha medo dela chegar a essa idade e acontecer justamente a regressão que o Garotão teve. E, agora, chegamos a esse marco e posso respirar aliviada. Será que consigo?
Pra comemorar essa data,  vou relatar o que nossa Princesa faz (estou pensando seriamente em mudar o apelido dela aqui para Foguetinha,  porque é assim que chamamos ela o dia inteiro! ).

Ela é bem pra frente: corre, anda pra frente e para trás?  pula, sobe em qualquer lugar, chuta bola... Não para um segundo (nem para mamar).

Come qualquer coisa e sozinha (mas adora um ovo), seja de colher ou com a mão, mas não dispensa o leite materno.  Já não mama de madrugada (depois eu conto do desmame noturno), apesar de ainda acordar no meio da noite.

Fala um bocado.  Tem um vocabulário incrível. Compreende ordens simples e dá ordens também.  É uma verdadeira "miss": anda pela rua dando tchau pra todos que vê e ainda joga beijinhos.

Ama o irmão.  A primeira coisa que fala quando acorda é: "irmão". Tenta ao máximo chamar a atenção dele.

Essa é a nossa Foguetinha.  Apesar de um desenvolvimento lindo,  ainda temo uma regressão no desenvolvimento.  Mas, preciso descansar em Deus e confiar. .. e festejar essa data tão incrível! !

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Criança agride estagiária em CMEI

"Eu só estava o protegendo quando ele me mordeu", diz a estagiária.

Essa poderia ter sido a manchete do jornal da minha cidade há um mês atrás se os envolvidos nessa situação não estivessem comprometidos com a real inclusão. Eu nem ia relatar o fato,  mas o que aconteceu há duas semanas na cidade de Belo Horizonte de acordo com essa noticia (Clicar aqui) me fez mudar de ideia. 

Era uma segunda-feira e fui buscar a duplinha na escola. Primeiro peguei a Princesa (1 ano 5 meses) e depois fui buscar o Garotão  - 5 anos 3 meses - (meu esposo estava trabalhando). Ao chegar na sala,  tanto a professora como a estagiária queriam conversar.  Então relataram que após a aula de educação física,  o Garotão mordeu a estagiária. A estagiária entrou em detalhes.  Segundo ela, o pátio estava mais cheio que o normal. Na hora de entrar, uma criança "trombou" com ele. O Garotão tentou se bater e ela tentou segurá-lo. Foi aí que ele a mordeu.  Ela então me disse que achava que a reação dele foi por causa do pátio cheio, da trombada e por ela ser nova. Foi então que conversei com ela, com a professora e ensinei a forma de contê-lo sem que ninguém se machucasse. À tarde,  levei o Garotão na psicóloga que também conversou com ele.

Num debate em um programa de televisão sobre o caso divulgado pela mídia,  uma pergunta me chamou a atenção: " se o professor apanha de uma criança,  só porque ela é autista, esse professor tem que sorrir?"

A minha resposta é: o professor pode escolher sorrir,  mas antes disso,  posso dar algumas dicas baseada na forma excelente como a estagiária que cuida do Garotão se saiu:
- Conheça o transtorno/deficiência com a qual está trabalhando.  Ninguém é obrigado a saber tudo.  Mas, no momento em que a situação se apresenta, nós temos condições de buscar o conhecimento.
- Tenha um bom relacionamento com a família.  Se abra para ouvir a família, experiências,  dúvidas,  críticas e sugestões.  Se você os escuta, a família também vai escutar e te compreender.  E jogará no mesmo time que você.
- Conheça bem o seu aluno. Faça padrões de rotina e relacione à suas reações.  Pode ajudar a evitar o extremo,  como a agressão.
- Procure entender o que está acontecendo:  isso diminui o reflexo de reagir contra a criança e aumenta a empatia.
- E, não se abstenha. Sabemos que a inclusão proposta pelo Estado não é a ideal, mas a família e, principalmente a criança,  não são culpados disso.  Lute junto.  Abrace a causa... mas não despeje suas frustrações sobre a criança.
Não seja a manchete ruim. Seja a melhor marca na vida dessas famílias,  que irão sempre lembrar de você com muita saudade e lágrimas nos olhos por terem sido amados

"Vede que ninguém dê a outrem mal por mal, mas segui sempre o bem, tanto uns para com os outros, como para com todos.1 Tessalonicenses 5:15

segunda-feira, 25 de agosto de 2014

A outra "Tia Rose"

Sempre nos perguntamos quando o Garotão tomaria conhecimento de Deus.  Não o ensino de pai pra filho,  mas como é que ele teria experiência com Deus.  Sabemos que uma das características do autismo é a dificuldade de entender algo que não se pode ver... Como então explicar o Amor de Deus?

Em meio a todas as lutas pela nova estagiária,  nós não deixamos de buscar socorro no Senhor. E, claro,  convidamos e envolvemos o Garotão nessa luta.

Quando fui explicar pra ele como orar, eu disse pra ele pedir a Papai do Céu uma "outra Tia Rose". E passamos a semana orando essas palavras. Pois bem, quando chegamos na segunda feira, descobrimos que a nova estagiária tinha chegado. E ela se apresentou:
Rosemeri.

Eu fiquei boquiaberta com a forma concreta que Deus está se revelando ao Garotão. Sim, Deus quer ter um relacionamento pessoal com ele e está se apresentando de forma concreta. Como Jeová-Jire, o Deus que provê exatamente o que o Garotão precisa e exatamente o que ele pediu.

É lindo ver que o Garotão está tendo suas próprias experiências com Deus e que podemos ajudá-lo a se aproximar ainda mais.

Lutando pela nova estagiária

"Sei que o SENHOR sustentará a causa do oprimido, e o direito do necessitado." Sal. 140:12

Desde que acabou o contrato com a tia Rose,  o Garotão ficou sem uma mediadora. A escola enviou à administração da prefeitura a solicitação de um novo profissional 45 dias antes do fim do contrato. E, ainda assim, o Garotão ficou quase um mês sem a presença desse profissional.
Praticamente,  toda semana,  entrávamos em contato com o setor responsável pela educação especial e pela contratação, tanto nós pais,  como a professora e a diretora da escola. E, a cada telefonema, uma resposta diferente: " está na fila!" "Já está encaminhando", "liga semana que vem! " " ninguém quer assumir! ". E a resposta mudava de acordo com a pessoa que ligava.
Até que ocorreu um episódio que fez a professora dar um basta na situação: ela ameaçou não receber mais o Garotão em sala se não tivesse um profissional específico para ele.
Pirei. Tanto pelo meu filho (como explicar pra ele que a tia não queria ele na sala?) e pela professora (ela é ótima, gosto demais dela. Como ela pode fazer isso com ele???!  Recusar receber um aluno autista é crime!). Perguntei a ela se poderia dizer que ela tinha se recusado. Ela disse que estava se colocando na briga por ele, pelo meu filho.
Apesar de não entender a lógica dela, comprei a briga.  Sem sair da escola,  liguei pra prefeitura e contei a situação. E ainda liguei pra meu marido que estava embarcado pra ele tentar arranjar as coisas.
Foram muitas ligações no mesmo dia e nenhuma possibilidade.  Eu já estava achando que teria "barraco" na frente da escola no dia seguinte. ..
Passei na AMAES e recebi a orientação de ter tudo documentado por escrito. E, acho que nunca passei uma noite tão ansiosa.
Dia seguinte,  Garotão foi pra escola super animado. .. e foi correndo para a sala dele como de costume. E meu coração na boca: será que ela terá a coragem de barrar a entrada dele?
A professora não estava na sala,  era a professora de artes! Então,  não tivemos nenhum constrangimento.
Seguindo orientação da AMAES,  pedi para ela registrar a recusa dela no caderno dele. Resultado?  Todos os professores que lidam com ele registraram o risco pro Garotão e para as outras crianças caso ele fique sem um mediador. Com isso em mãos,  e ameaça de levar o caso ao Ministério Público,  a prefeitura enviou um representante para analisar o caso do Garotão e deslocou um profissional provisoriamente pra atender o Garotão.  E, em uma semana,  contrataram um novo profissional para ficar com o Garotão.
Tudo resolvido?  Para o Garotão, sim. Mas me preocupo com outras crianças.  Algumas frases me marcaram muito:
"A professora tem que receber a criança.  Ela é responsável pela inclusão e tem que dar conta. Outras professoras conseguem! "
Isso me preocupou muito. A inclusão é jogada em cima do professor sem que ele tenha condições de trabalho. O professor e os pais aceitam a situação e nem sempre tem noção se a inclusão está sendo realmente efetivada.
Se eu pudesse,  faria um apelo: Nunca abram mão de seus direitos em favor de ninguém.  Principalmente os direitos de nossas crianças especiais. Brigue,  acione o Ministério Público,  faça protestos e passeatas.  Não podemos é esperar sentados.
Nossos pequenos tem direito ao diagnóstico precoce,  ao tratamento gratuito e à educação realmente inclusiva. Se temos que lutar,  vamos nos unir e enfrentar! !!

domingo, 17 de agosto de 2014

Semana Mundial de Aleitamento Materno - 2014

De 1o a 7 de agosto de 2014 foi comemorado a #SMAM214 - Semana Mundial de Aleitamento Materno. Nesse período muitas páginas e perfis tem compartilhado fotos,  dicas e incentivo à amamentação, mostrando sua importância tanto para o bebê como para mãe.
Eu vou aproveitar pra falar o quanto eu amo amamentar.  Fui agraciada com esse privilégio.  Com o Garotão,  não fui até os seis meses exclusivo (inexperiência), mas caminhamos para uma amamentação até 2 anos e 2 meses com desmame natural e gradual. ..
Tivemos alguns probleminhas: suspeita de refluxo,  ganho de peso abaixo do esperado e, a tão temida indicação de complemento. ..
No dia que a pediatra receitou fórmula,  eu chorei muito. .. me senti incapaz,  como se estivesse fazendo tudo errado. Então levei o AME até cinco meses e meio e fiz a introdução alimentar: frutinhas, papinhas e até leite de vaca. Mesmo assim,  Garotão mantinha o ganho de peso abaixo do esperado. Depois que ele fez um ano,  e que estava com a alimentação estabelecida, desencanei (depois eu descobri que tanto os sintomas de refluxo como o ganho de peso insatisfatório era na verdade,  hiperlactação)
Fizemos o desmame noturno (esse foi tenso! ) e o Garotão foi desmamando gradualmente.  Primeiro,  parou com as mamadas do meio da manhã.  Depois,  as do meio da tarde.  Depois,  ao acordar. .. e depois, as mamadas para dormir. .. e até que,  com 2a2m,  eu passei a dar cada mamada como se fosse a última. ... e ele desmamou... um desmame tranquilo,  sem choro e sem dor.
Quando veio a Princesa, nós já estávamos preparados caso tivéssemos sintomas de refluxo.  Assim que a Princesa começou a golfar muito,  começamos a tratar como hiperlactação e não tivemos nem golfadas mais.  E o melhor de tudo: o Banco de Leite Humano da minha cidade passou a receber um pouquinho desse leite.
Hoje a Princesa ainda mama em Livre Demanda e estamos esperando o momento do desmame noturno e ainda continuo tendo leite pro BLH. Espero que a Princesa mame bem até pelo menos os dois anos e espero ainda ajudar o BLH durante esse tempo! !

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Obrigado, Tia Rose!


Filipenses: 1. 3, 4
"Dou graças ao meu Deus todas as vezes que me lembro de vós,  fazendo sempre, em todas as minhas orações, súplicas por todos vós com alegria"
Bíblia JFA Offline

Mês passado (18/06/2014) foi o último dia da Tia Rose como mediadora do Garotão na escola. Como ela estava como estagiária da prefeitura,   só poderia ficar por dois anos. E ela estava desde o diagnóstico do Garotão.

Então, eu queria muito deixar uma mensagem linda de Gratidão e Carinho para ela por esses anos de dedicação ao nosso Garotão.
Mas, sinceramente;  não sei bem o que escrever.  Inclusive,  pedi ajuda ao meu esposo para elaborar uma frase que o Garotão pudesse copiar para mandar um cartão para a Tia Rose. ..
Então tive a ideia de pedir ao Garotão para escrever o que ele quisesse. ..
Então tivemos essa linda surpresa:
" Coração: Tia Rose é linda! "
Essa frase veio direto do coração dele. .. Não precisamos falar nada

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Crescendo na Igreja


E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.
Lucas 2:52




Essa semana tivemos o primeiro domingo (01.06.14) do Garotão após completar 5 anos. Na igreja em que estamos, o ministério infantil é dividido em duas classes: Berçário (0 a 5 anos, onde a Princesa está agora) e Primários (5 a 8 anos, onde o Garotão está chegando), então, ao fazer 5 anos, o Garotão foi promovido.
Desde o aniversário dele já estamos avisando que ele estaria mudando de ‘salinha’, que iria ficar com duas tias novas e novas coleguinhas mais velhos... E, um esquema mais parecido com sala de aula do que brincadeira.. Enfim, tudo novidade.
Chegamos bem cedo (o que é raridade... desde que mudamos de igreja, foi a primeira vez que conseguimos chegar no horário), levamos a Princesa para a salinha dela e o Garotão para a nova sala, junto com um dos professores antigos. Garotão chegou lá, conheceu uma das novas professoras e ficou super bem. Eu e marido descemos para a nossa sala e eu fiquei na expectativa de como estariam as coisas na sala dele...
Quando a nossa sala terminou a aula, eu saí correndo para ver como estava o Garotão. Cheguei lá, ele estava juntando os lápis, ajudando a professora a arrumar a salinha. Recebemos a revista nova, com a lição que ele terá que estudar pra ir já com tudo na ponta da língua pra salinha... Agora que ele está grandinho, ele passa o culto com a gente, no templo.
Então, subimos com ele... Primeiro, ele ficou tranquilo, acompanhando os cânticos e os hinos no nosso colo. Mas a hora da mensagem foi um pouco mais difícil. No início ele até acompanhou os textos bíblicos na Bíblia dele (mas ele preferiu foliar a Bíblia inteira e ler os nomes dos livros) e depois, ficou muito impaciente. Mesmo assim, aguentou tranquilo no colo do papai e da mamãe.
À noite, a programação seria um pouco diferente: ele iria para o culto na parte inicial e depois ele desceria para o culto infantil com os coleguinhas. Como chegamos cedo, ele resolveu ficar correndo dentro do templo. Deixei até a hora de iniciar o culto. Quando o quarteto começou a cantar, Garotão sinalizou que queria se sentar lá no primeiro banco (lembrei que quando eu tinha essa idade também gostava muito de me sentar no primeiro banco na igreja... mas bem vigiada pelos meus pais). Conversei com o papai e resolvemos deixar. Falamos com o Garotão que ele teria que ficar sentadinho, que não poderia ficar correndo e que teria que levantar quando o dirigente pedisse. E, combinei com o papai que eu ficaria atrás dele, sem que ele percebesse.
Então, Garotão se sentou lá na frente (eu me sentei no banco atrás dele) e ele começou: abriu a mochilinha, pegou o pote com bananas (o lanchinho dele) e começou a comer. Comeu umas duas logo no início, mas ficou sentadinho. Aí, o pote caiu e ele olhou para trás... e me viu (pronto, não tenho vocação pra agente secreto!).
Mas, o Garotão ficou super bem no banco da frente. Levantou pra cantar, para o momento de comunhão para cumprimentar os irmãos. Até a hora que chamaram para orar para abençoá-las e descerem para o culto infantil. O contra-tempo foi que eu fui chamada para orar, então, não pude acompanhá-lo para descer... Mas ele se saiu super bem.
Claro, se estabanou todo pra conseguir levantar, guardar o potinho com a banana... Deixou tudo no banco e foi para a salinha com os coleguinhas. Acabou que eu tive que descer para levar as coisinhas dele. Cheguei lá, ele já estava na salinha nova, encantado com as mesas com todo material para os trabalhos manuais.
Garotão está crescendo mesmo...



                                                                       

quarta-feira, 28 de maio de 2014

Parceria Família x Escola – Quando o resultado aparece


Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei dos santos.
Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome? Porque só tu és santo; por isso todas as nações virão, e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos.
Apocalipse 15:3-4
Escrito de trás pra frente, mas escrito corretamente!

Ontem (27.05.14) cheguei na escola com uma grande surpresa: a diretora estava no portão e me chamou para conversar. Olhei e vi olhos vermelhos. Então ela me contou: a professora do Garotão (5 anos) chegou na sala da pedagoga emocionada  porque havia constatado que o Garotão estava lendo.

Lendo? Como assim? Nós conhecemos a leitura fotográfica dele (que reconhece a palavra pela memória, e não por compreender o a junção das letras formando sílabas e palavras), então, inicialmente pensei que eles estivessem confundindo. Mas a diretora falou um monte de coisa que me fez chorar (e se eu falar que eu não lembro exatamente o que ela falou?) e as duas choramos juntas. Aí, ela me falou pra enxugar as lágrimas porque a professora provavelmente queria ser a primeira a contar.

Foi difícil segurar as lágrimas, mas fui buscar a Princesa (1 ano 2 meses)  na salinha dela. Dei um grande ‘upa’ nela e enxuguei as minhas lágrimas no sling. Fui pegar o Garotão. Chegando lá, a professora começou a contar: eles estavam brincando de massinha e o Garotão começou a montar letrinhas e palavras. A professora perguntou pra ele o que estava escrito e ele falou. Então, ela começou a perguntar diversas palavras e ele foi lendo. Ela mostrou um texto e ele leu!

Então, ela correu para a sala da pedagoga e mostrou para ela. A pedagoga também mostrou outras palavras difíceis, inclusive com encontros vocálicos, consonantais e dígrafos. Ele leu todas. Então, novamente eu chorei, abracei a professora e choramos juntas, felizes por tanta coisa linda.

Hoje, ao chegar à escola, a pedagoga me chamou pra conversar e me dar a versão dela do fato. Mas antes, deixei as crianças nas salas e a professora me contou que foi pra outra escola onde trabalha, e chegou lá, todos perguntavam porque ela estava tão diferente e feliz...

Então, fui conversar com a pedagoga, e ela contou o que o Garotão fez na sala dela... que ela mostrou palavras difíceis como Bombom, Júlia, trocou o “li” por “lh” e o menino leu da mesma forma... Até contou da dificuldade de falar o “J” (coisa que a fono já estava nos ajudando em relação a isso). E, novamente, mais duas com os olhos vermelhos de emoção.


Ao chegar em casa o cântico que tem o versículo acima inundou a minha cabeça. Mas, o que está me falando mais não é a parte: “Grandes são as tuas obras”, mas a parte: “Justos e verdadeiros são os seus caminhos”. Quando estou tão cansada, eu questiono muito os caminhos que o Senhor tem posto à nossa frente. Nunca penso que esse caminho revelará as Grandes Obras do Senhor Todo Poderoso. Nunca penso que esses caminhos são Justos e Verdadeiros. E, agora, quando olho as Obras dEle, as vitórias com que Ele nos tem presenteado, tenho que me lembrar sempre: Justos e Verdadeiros São os Seus Caminhos!




E, quero muito agradecer a Deus pela equipe incrível que tem cercado o Garotão: todas as professoras pelas quais ele tem passado, desde o Grupo 1, a fantástica estagiária que está ao lado dele desde o diagnóstico, a toda equipe de terapeutas que tem cuidado dele desde o diagnóstico e pela neuropediatra... São tantos tesouros que Deus nos cercou!!
Obrigada, Papai do Céu!

terça-feira, 27 de maio de 2014

Comemorando os 5 aninhos


Bem-aventurado o povo que conhece o som alegre; andará, ó Senhor, na luz da tua face.
Em teu nome se alegrará todo o dia, e na tua justiça se exaltará.
Salmos 89:15-16

Esse fim de semana foi de mais pura festa. Como meu marido iria fazer um curso na última semana de maio, a festa que faríamos no domingo (25.05.2014), no dia mesmo do aniversário do Garotão, foi dividida (ou multiplicada) em três: uma na escola, uma em casa para a família próxima e uma na igreja. Eu achei que iria facilitar, mas o trabalho não se multiplicou... elevou-se à terceira potência!! Hehehehe...

O tema da festa foi “Copa do Mundo”. Ficamos muito felizes porque foi uma escolha dele. A gente passou muito tempo perguntando pro Garotão como ele queria a festa dele, mas sem respostas. Até que o papai resolveu enviar fotos de sugestões de temas para o Garotão ver. E, o Garotão se empolgou aos montes com a Copa do Mundo.
Então, fomos aos preparativos... Produzir três festinhas não é fácil, não!! Na quinta, véspera da primeira festinha, pedimos ao Garotão para nos ajudar a montar as lembrancinhas... ele se empolgou abessa.

Então, na sexta de manhã, festinha na escola:Arrumar a sala em menos de 20 minutos e deixar tudo prontinho pra chegada da turminha. Garotão ficou mais quietinho, parecia não ter entendido que a festa era dele... Mas, em compensação, ele curtiu ao máximo o cachorro quente e o bolo de chocolate. Os coleguinhas vibraram tanto, estavam bem agitadinhos, amaram! A Princesa dormiu a festinha inteira...

Festinha na escola

No sábado foi a festa da família, aqui no salão de festas do condomínio. Minha irmã e minha mãe ficaram por conta da decoração e eu fiquei por conta das comidas (menos do bolo e salgados, que encomendamos). Ah, o papai ficou por conta da logística, que foi bem difícil... Garotão curtiu o pula-pula, comeu muito cachorro quente, muito picolé de chocolate e muito brigadeiro de colher. Ele amou a decoração de copa do mundo... se juntou na mesa, brincou com os jogadores que enfeitavam o bolo de maquete feito pela minha irmã. O frio atrapalhou um pouquinho, já que as crianças não puderam brincar muito no pula-pula e nem no parquinho, mas o Garotão e a Princesa não se importaram muito... A Princesa, por exemplo, se mandou pra chuva... ficou toda molhada! Só pra rir...

Mesa de Frutas

Decoração by Mãe e Irmã

Mesa: By Mãe e Irmã


E, no domingo, dia do aniversário mesmo... fizemos pro Garotão um café da manhã na cama (que não deu muito certo... ele levantou correndo pra ir no banheiro e foi pra mesa... heheheh) e a festinha na igreja... Aí,  o Garotão mostrou que realmente sabia do aniversário dele... Curtiu muito a decoração, na hora do Parabéns, lembrou corretamente que tínhamos que falar com Papai do Céu antes, afinal, a maior razão da existência dele... E, de novo, a Princesa dormindo.. hehehehe

Lembrancinhas

Campinho de bala de coco


E, de noite, às 21h, hora exata do nascimento do Garotão, uma taça de sorvete com bolo de chocolate pra ele, pra comemorar...
Essa maratona de festas foi muito gostosa... valeu ver o sorriso do Garotão curtindo os detalhes, raspando as panelas dos docinhos, detonando o cachorro quente... E me ensinou muitas, muitas coisas:
- Por menor que seja a festinha, ela dá um trabalhão...
- Ainda não sei se é melhor fazer três festinhas ou um mega festão;
- Como eu queria ter criatividade, tempo e disponibilidade pra fazer festinhas lindas...
- Cada vez mais eu admiro o trabalho dos profissionais que cuidam de festas infantis... são tantos detalhes que a gente não tem ideia, mas que eles já tem tudo na cabeça;
- E, que o sorriso do Garotão ao perceber cada detalhe é mais que recompensa para as noites que fomos adentro pra preparar tudinho!!!


domingo, 25 de maio de 2014

5 aninhos do Garotão


Da parte do Senhor se fez isto; maravilhoso é aos nossos olhos.
Este é o dia que fez o Senhor; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele.
Salmos 118:23-24
Eu fico impressionada em ver como o tempo passa tão rápido... Fico lembrando do mês de maio de 2009... Como eu estava tensa e ansiosa pela sua chegada... E, finalmente, você chegou...
Não pude te ver e nem te abraçar quando você nasceu... a minha primeira lembrança de você não foi no meu colo... mas já no bercinho, do meu lado. Todos me contam do nosso primeiro encontro, mas não lembro de nada...
Mas, depois desse momento, procuro guardar tudo dentro do coração. Lembro de você mamando... a briga pra pegar o peito e depois, como você pegou e não largou mais...
Lembro daquele carinho, você deitado no meu peito e eu sentindo aquele cheirinho gostoso do seu cabelo... Hum cheirinho de neném...
E, agora, escrevendo sobre seu aniversário, vou revivendo 5 anos em minutos... Revivendo grandes emoções em poucos minutos, fazendo meu coração saltar em uma emoção impossível de ser denominada e descrita...

Lembro do seu primeiro sorriso, das suas primeiras sílabas... Da sua primeira frutinha e sua preferência por feijão... Dos seus primeiros passos... Nosso “Teiteitei delícia”. Da sua primeira queda e do seu primeiro aninho com uma cicatriz que te acompanha até hoje.
Lembro de seu primeiro dia na escolinha. Do medo de me separar de você e te ver seguindo tão cedo pra ficar longe de mim... sendo cuidado por outra pessoa... E do meu choro ao me afastar de você. Lembro de ver sua adaptação rápida (não a minha... heheheheh)
Lembro também do dia que você parou de falar e que começamos a perceber as suas alterações de comportamento. Da aflição que nos envolveu. E, depois, perceber na escolinha que as coisas não iam tão bem como era o esperado.
Lembro do corre-corre que passamos, do diagnóstico bomba: autismo?? Como assim?? Lembro de ter chorado, mas de ter resolvido brigar pra que você tivesse o melhor e para sempre. Nem acredito que isso já tem quase 3 anos...
E, depois, passamos a guardar ainda mais coisas no coração de uma forma mega especial. E o primeiro abraço voluntário? E o primeiro beijo? Você sabia que eu ainda choro quando lembro?
E a primeira vez que você disse mamãe? Emoção indescritível! E, agora te vejo escrever nas paredes, no guarda-roupa... E, quando você cantou pra mim? Filho... Como te explicar o que eu senti?
E quando você orou sozinho pela primeira vez? Posso chorar? E quando você pediu pra ler a Bíblia e ainda dormiu agarradinho com ela?
E, agora, você está fazendo cinco aninhos. Eu me emociono vendo você dizer que vai fazer cinco aninhos. Você não é mais um bebê... é um Garotão, lindo, emoção de mamãe e papai, orgulho, orgulho, orgulho...
Garotão: mamãe e papai te amam muito. Tudo o que queremos é que você seja feliz e que você seja exatamente aquilo que Papai do Céu quer. Nós não temos a menor ideia do futuro. A única coisa que temos certeza é que se você estiver nas mãos de Papai do Céu, você será muito feliz, e terá prosperidade (o que não significa riquezas, viu? Significa apenas que tudo quanto você fizer, prosperará – Salmo 1).
Por enquanto, mamãe e papai te colocamos diariamente nas mãos de Papai do Céu, mas em breve, você também irá fazer isso sozinho, por decisão sua. E, quando esse dia chegar, mamãe e papai também guardaremos esse dia com mais carinho... será uma emoção sem tamanho te ver ‘nascer de novo’.
Feliz Aniversário, Meu Amor! Parabéns pelos seus 5 aninhos!



terça-feira, 20 de maio de 2014

Doando Leite Materno


Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço;

Lucas 6:38

Dia 19 de maio é o dia de Doação de Leite Materno e, justamente esse mês completa um ano que sou doadora.
Na época do meu Garotão, eu acabei não me informando e não participando dessa rede, mas quando a Princesa nasceu e eu vi que novamente eu tinha muito leite, resolvi me mexer e contribuir.
Quando comecei, eu retirava cerca de 90ml por dia. O banco de leite (BLH) só buscava em casa quando armazenava no mínimo 400ml.  Assim, eu conseguia que eles buscassem em casa toda semana.
Com o tempo, o volume retirado foi aumentando (leite materno, quanto mais se ordenha, quanto mais se tira, mais se tem) e cheguei a 400ml num dia! Quando conseguia essa marca, eu ficava muito eufórica. Eu também fazia um estoque de leite para a Princesa, pensando em urgências (como por exemplo, se o Garotão ficasse doente e eu tivesse que ficar no hospital com ele – Graças a Deus, isso nunca aconteceu!)
E, enquanto isso, a Princesa mamava, mamava, mamava, engordava lindamente!
Eu tinha uma certa rotina: “economizava” uma mama durante a noite, acordava e ordenhava.. geralmente conseguia armazenar cerca de 200ml numa mama. Depois dessa mama, eu ordenhava o que ‘restou’ da noite da outra mama. Depois, a Princesa acordava, mamava, mamava e mamava
Logo a Princesa fez seis meses e começou a introdução alimentar e o meu medo era que a redução das mamadas da Princesa também reduzisse a quantidade de leite ordenhada para a doação. Aos poucos a quantidade de leite ordenhada foi caindo mesmo, mostrando que a produção de leite materno realmente está condicionada à necessidade do bebê. Estava em média retirando cerca de 100ml por dia.
Quando a Princesa entrou na escola, a quantidade baixou ainda mais. Agora estamos ordenhando na faixa de 50ml por dia, às vezes consigo uma ‘descarga de ocitocina’ que faz ter uns milagrinhos de 200ml numa ordenha.
Doar leite pra mim é algo fantástico. Me faz muito bem. Sempre penso nos bebezinhos que estarão recebendo. Oro por eles, pela saúde deles e peço que o Senhor abençoe cada gota de leite que Ele me deu. Penso também em quantos irmãozinhos de leite a Princesa tem circulando por aí.
E, eu gostaria muito de ver os bancos de leite de nosso país cheios, que todos os bebezinhos pudessem receber o leite materno, que todas as mamães que tenham fartura, possam doar com tranquilidade. Gostaria que todas as maternidades, públicas ou privadas tivessem um banco de leite para receber leite doado e também para orientar as mamães que tem dificuldade com a amamentação.
E assim, gostaria de marcar essa data tão especial:
19 a 23 de maio – Semana da Doação de Leite Materno
Maio – Um ano como doadora!


sábado, 17 de maio de 2014

Dia das Mães Mega Especial


Alegrem-se teu pai e tua mãe, e regozije-se a que te gerou.
Provérbios 23:25


O dia das mães é uma data que mexe muito com o nosso coração, né? E eu sempre fico na expectativa. Esse ano teríamos a surpresa: a festinha da escola com a participação da Princesa...
Então, nossos dias das mães começou na sexta feira (09.05.14), na festinha da escola pela manhã. Aliás, começou antes, com o Garotão me expulsando de perto dele toda hora que ele começava a cantar a musiquinha da escola... hehehehe...
Mas, voltando à escola, eles fizeram um momento especial: todas as crianças se juntaram pra cantar a musiquinha do dia das mães... Fiquei encantada com a participação da minha duplinha.
O Garotão participou ativamente: fez todos os gestos, abaixou/levantou na hora certa, só não vi se ele cantou, pois ele estava bem longe... Mas pra mim, foi tudo ótimo!
A Princesa foi uma delícia: não cantou, mas ficou de olho na professora de artes, não chorou (isso é incrível!), e entrou e saiu toda linda e aprumada... Hehehehe...
Depois fui na salinha pra receber a homenagem de cada um deles... Marca de mãozinhas e a supresa do Garotão: “Te Amo” com a letra dele!!! Essa foi a sexta-feira.
Sábado, meu marido não podia deixar passar em branco. Nove horas da manhã, eu recebo um lindo bouquet de flores... que coisa mais linda! Eu até perguntei se ele queria mesmo mandar no sábado, porque sempre que meu marido manda flores, não dá sorte com floricultura: ou elas não chegam, ou chegam na hora errada... tadinho!
E, no domingo? Recebi uma lista de pistas pra achar o meu presente. Dessa vez eu quis a participação das crianças... Então, perguntei pra duplinha: Onde está o presente da mamãe?
A Princesa levanta a mãozinha e responde: “Eu!!” Pronto! Pra arrebentar o coração! Então, perguntei pro Garotão: “onde está o presente da mamãe?” Ele responde: “É o Garotão!” Quem precisa de presente mais lindo que esse? (Ah, só pra constar, eu achei o presente depois... gostei muito... hehehehe)
Ah, e o dia das mães acabou  no domingo? Claro que não!
Na quarta-feira, veio a maior surpresa. Ao sair da salinha na escola, o Garotão me puxou, me fez abaixar, olhou dentro dos meus olhos (milagre dos milagres!!) e cantou: “Mamãe me plantou, mamãe me regou, me fez crescer!
“Mamãe é uma flor, mamãe é um amor, é o meu viver
Quem sabe um dia o mundo tivesse uma mãe assim
Pra poder cuidar de todas as crianças como cuida de mim!”

Não tive opção a não ser chorar e guardar esse momento dentro do meu coração... Senti que ele sabia exatamente o que estava falando

E, aí, eu digo: ser mamãe especial é ter um dia das mães multiplicado por quatro... pelo prazer de ser mãe, pela surpresa de ver a participação deles na escolinha, pelas respostas espontâneas e pela surpresa, fora do dia, em um momento fora do esperado uma linda declaração de amor...

sexta-feira, 16 de maio de 2014

O Primeiro Mês de Aula da Princesa – 2014



Tudo fez formoso em seu tempo;
Eclesiastes 3:11

Eu nem estou acreditando: A Princesa começou na escolinha!!!
Três dias depois da Princesa completar um aninho, o telefone lá de casa tocou: era do CMEI onde o Garotão estuda e onde inscrevi a Princesa à espera de vaga. A vaga dela tinha saído. Nós levamos um susto.
Quando a gente fez a inscrição dela, deixamos pra fazer mais tarde justamente para demorar a chamar. Eram 20 vagas e ela era a número 48. Ou seja, muita gente teria que desistir para que ela conseguisse a vaga. A ideia é que ela só entrasse lá para o final do ano ou, talvez no ano de 2015 (quando teríamos mais vagas). Mas surpreendentemente, o telefone tocou, um mês depois do início das aulas e nos deixou com uma baita dúvida: matricular ou não?
Meu coração estava totalmente dividido. Ela é tão novinha!!! Deveríamos ou não matriculá-la?
Meu esposo e eu pesamos os fatos: quando o ano começou, nós não colocaríamos porque ela ainda não andava e por ser menor de um ano. E, surpreendentemente, quando ela foi chamada, esses dois fatos já não eram mais problemas (afinal, andou com 10 meses e já tinha acabado de completar o seu primeiro aninho). E, tinha outro detalhe: a luta por vagas no CMEI onde meu filho estuda (que é o mais próximo de nós) é muito grande. É muito, mas muito difícil conseguir vagas. Sabíamos que, se deixássemos passar essa vaga, ela cairia para o número 68, o que significaria que ela estaria fora no ano seguinte. Ou seja, ou entra agora, ou perde a vaga.
Então, decidimos matricular. Ela passaria a primeira semana saindo duas horas mais cedo para adaptação e depois, sairia junto com os coleguinhas.
Primeiro dia de aula: uma festa! Ela estava linda e animada. Entrou na sala com uma alegria impressionante... deu tchauzinho e tudo... nem acreditei. Mas, segundo, terceiro dia... ah, esses  não foram os melhores... O choro veio com tudo e muito forte... meu coração ficou dilacerado (é, igual quando Garotão entrou na escolinha pela primeira vez)...
Aí, em menos de uma semana: a Princesa ficou dodói... nariz, garganta, febre... Puxa vida... coisas de escola, né? Aí, 5 dias sem ir pra escolinha... Voltou quase uma semana depois, nova readaptação... Choro... muito choro... Sem peito, sem comer... nem levando frutinhas e sucos de casa, nada de comer...
Mas, com quase três semanas de aula, as surpresas começaram: ir pro colo da tia sem chorar. Apontar os trabalhinhos dela no mural, dançar as musiquinhas da escola em casa... mais gostosa do mundo! Passou a comer direitinho... coisa mais fofa...
E, mais uns dias de aula, mais surpresas: entrar andando na salinha, fazer amiguinhos, levar a mochila sozinha...

Sim, a Princesa se adaptou rapidinho na escolinha... Super-surpresa pra mamãe e papai!

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Livramento

                     
O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra.

Salmos 34:7
Mês passado (28.03.14) passamos um grande susto. Tive uma consulta de revisão com a minha médica e fomos para o hospital onde ela tem o consultório (que por sinal, é o mesmo onde os meus tesouros nasceram e onde a Princesa ficou internada). Para chegar nele, é necessário sair da BR e pegar a pista auxiliar.
Meu marido fez a saída com todo cuidado, com antecedência para evitar transtornos. Mas, nem todos são assim, não é? Um caminhão que presta serviço para a empresa de saneamento aqui do estado, entrou com tudo e bateu exatamente na porta traseira, onde a Princesa estava dentro da cadeirinha.
Eu custei a entender o que estava acontecendo. E, do jeito que foi a batida, achei que o motorista iria parar. Mas não. Ele continuou forçando e passou arranhando a porta do nosso carro. Como o trânsito estava intenso, não tinha como sairmos para pegar a pista da direita. O caminhão, sem qualquer cerimônia, continuou passando e simplesmente foi embora...
A primeira coisa que eu pensei foi na minha filha. Ela ficou assustada com o barulho, mas a porta nem ao menos afundou. Apenas arranhou e tirou ‘lasquinha’ do friso do carro.
A outra coisa que eu pensei foi na irresponsabilidade do indivíduo. Ele simplesmente foi embora! Não parou, nem nada... Eu me pergunto se ele não sentiu que bateu, não viu que tinha uma bebê... enfim... simplesmente foi embora...

Ainda bem que o Senhor nos guardou e nada, nada, nada aconteceu à Princesa. Pra mim isso é o mais importante!!!

terça-feira, 6 de maio de 2014

Pintando o Sete (e a parede..)


Seja bendito o nome do Senhor, desde agora para sempre.

Salmos 113:2
O Carnaval de 2014 me deu um grande presente. Algo que eu esperava há muito que acontecesse. Várias vezes eu contei aqui no blog da dificuldade do Garotão fazer ‘registros’ (pintar, desenhar, escrever), e que ele vem ‘ganhando’ essa habilidade gradualmente.
Apesar disso, em casa, sempre foi muito raro ele querer usar o lápis (canetinha, giz de cera ou qualquer coisa semelhante), tanto que eu sempre sonhei em ver uma parede rabiscada. Parece sonho maluco, né? Mas, imagina, se ele rabiscasse uma parede, seria um sinal de que ele poderia estar começando a se interessar em fazer esses ‘registros’.
Bom, então, em pleno carnaval (marido viajando a trabalho, sem aula, sem terapia, sem muito o que fazer e crianças quase se matando dentro de casa), resolvi oferecer um giz de cera para o Garotão (4 anos 9 meses) e mostrar a parede (é, acho que sou a única maluca que ensina o filho a pintar a parede) e foi como se tivesse aberto um buraquinho numa represa que acaba se rompendo.
Começou com um risco, depois, apareceu um rosto. Logo depois, dois rostos. Outro rosto em outra parede. E, claro, a Princesa (11 meses na época) também entrou na brincadeira. E mamãe aqui, emocionada fotografando, registrando, filmando e claro, mandando para o papai.
E, a brincadeira de pintar a parede não ficou apenas em desenhar. Logo a parede virou um quadro. Garotão passou a registrar (de sua forma) a data. Também passou a encenar a aula que a tia dá na escolinha. “1, 2, 3, 4... 9, e com você, 10”, desenhando círculos ou números. Também numa parede só, apareciam nomes... E depois de desenhar, ele diz: “Agora é Enanuéi*”

Sim, agora eu tenho o sonho realizado de ter uma parede rabiscada (pela dupla) e voluntariamente, sem pedir. Pode até parecer uma bagunça, mas é um presente, é a minha parede dos sonhos, a realização dos sonhos de uma mamãe especial...