sábado, 29 de junho de 2013

Pérolas do Garotao: Filme

Garotão (com controle na mao): Pocoyo!
Eu: Filho chega de Pocoyo! Vamos ver outro filme?
Garotão: Outro filme!
Eu: Que filme?
Garotão: Pocoyo!!!
Socorro!! Chega de Pocoyo!!!
Kkkkkkkk

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Cenas de Amor: A Primeira Gargalhada


Sábado (15.06.13) a Princesa deu sua primeira gargalhada. O primeiro sorriso foi uma semana antes de completar dois meses. Foi um dia pela manhã, ao acordar.
Mas a primeira Gargalhada foi incrível... Estávamos em pleno sábado, curtindo cama em família... o papai enchendo o Garotão de cócegas... e cada vez que o papai pegava o Garotão e fazia cócegas, a Princesa dava gargalhadas com as gargalhadas do irmão.

Não é tudo de bom?

terça-feira, 18 de junho de 2013

E a escrita? Começou!!!


Há uns 15 dias atrás postei da dificuldade que estávamos tendo do Garotão (4 anos) em se aproximar de um lápis, lembram (postei aqui, que tal dar uma olhadinha?)? Inclusive a psicóloga tinha dito que, no momento que ele quebrasse essa barreira, ninguém o seguraria mais.
Queríamos que o Garotão  gostasse de pintar, de se expressar através de rabiscos, pinturas e que essas expressões ficassem registradas. E, desde esse domingo (16.06.13) esse Garotão deu esse passo.
Pela manhã, não fomos à igreja e fizemos dever de casa com o Garotão. Na verdade, enquanto eu amamentava a pequena (2 meses), o papai fazia o dever de casa com o rapaz. O dever era pintar as letras do nome dele... e ele pintou lindamente!
De noite, fomos à igreja e o Garotão pintou o material que a tia tinha preparado para a salinha. E ainda, brincou de massinha (coisa que ele não gosta) e fez um banco e uma boneca (ele disse que era um banco e uma boneca). E ainda, com o ‘cabelinho’ da banana, ainda fez um ‘P’.



Estávamos pensando que havia sido apenas uma pérola, então hoje, pela manhã, no Atendimento Educacional Especializado, o Garotão pintou o desenho que a professora tinha providenciado. Juntamos todos, filmamos, fotografamos, nos arrepiamos e choramos... Parece pouco, né? Mas foi tão emocionante! O incrível foi ver que o Garotão tem noção total de limite...


E hoje, ele rabiscou a agenda do pai. Sei que eu seria algo que mamães normais surtariam, mas nós, fizemos tanta festa, achamos lindo! Afinal, uma criança que goste de rabiscar é um grande presente!!
Estamos festejando, e festejando muito!
O caminho até a escrita ainda é longo, mas tudo bem... ele só tem 4 anos, e está vivendo incrivelmente o momento em que pintar foi muito bom!



Quando o SENHOR trouxe do cativeiro os que voltaram a Sião, estávamos como os que sonham.
Então a nossa boca se encheu de riso e a nossa língua de cântico; então se dizia entre os gentios: Grandes coisas fez o SENHOR a estes.
Grandes coisas fez o SENHOR por nós, pelas quais estamos alegres.
Traze-nos outra vez, ó SENHOR, do cativeiro, como as correntes das águas no sul.
Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria.
Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos. 
Salmos 126:1-6

segunda-feira, 17 de junho de 2013

O desafio de sair com duas crianças


Porque eu, o SENHOR teu Deus, te tomo pela tua mão direita; e te digo: Não temas, eu te ajudo. 
Isaías 41:13

Desde que princesa nasceu, tenho tentado ser o mais independente possível. Não que eu não tenha quem possa me ajudar (meus pais são incríveis pra isso!), mas porque me ver independente é importante pra mim, principalmente porque ainda não tenho carteira de motorista.

Tínhamos a intenção de que eu começaria as aulas de direção, mas como descobri a gravidez, achei que não seria muito bom fazer auto-escola estando grávida, afinal, já bastam os hormônios da gravidez, mais pressão, como aula de direção, eu não me daria muito bem...

Segunda-feira (11.06.13) eu comecei o treinamento então pra sair sozinha com a dupla. Meu marido está em casa, então, ele ficaria mais na assessoria do cuidando exatamente da caminhada. Ele só me acompanharia, e me socorreria em situações de necessidade extrema.
Então, fomos para o Atendimento Educacional Especializado, que é num bairro próximo, mas do outro lado da BR 101. Coloquei a Princesa no bebê conforto, que iria no carrinho, coloquei a pulseira guia no meu filho (que minha mãe confeccionou) e fomos...
Tudo tranquilo, se não fossem os problemas de típicos de uma calçada, né? Tudo desnivelado, mesmo com algumas calçadas ditas ‘cidadãs’. Os semáforos não são programados para travessia de pedestre com limitações. O primeiro semáforo que enfrentamos, não conseguimos atravessar a pista no verde... o sinal já tinha fechado para pedestre e nós ainda estávamos no meio da pista... Tínhamos que contar com a boa vontade dos motoristas.

Mas, a situação mais complicada foi a travessia da BR. Antes da Princesa nascer, eu conseguia atravessá-la de uma vez só, em apenas um momento. Afinal, era eu empurrando o Garotão no carrinho, assim era mais fácil. Quando chegamos na beira da BR, o Garotão meio que surtou na calçada e saiu correndo. Se não estivesse com a pulseira guia, eu não quero pensar no que poderia ter acontecido.

Depois disso foi atravessar a BR. Tivemos que atravessá-la em três tempos... Como eu disse, esses semáforos foram programados para carros, sem pensar em pedestres. Imagina, você com um carrinho com um bebê de 2 meses e uma criança autista de 4 anos, parado no meio do canteiro central? É tensão total! Eu fiquei com o coração na mão...

Esses foram os desafios do primeiro dia. E, depois veio o segundo dia, a quarta feira (12.06.13). Novamente, enfrentamos os mesmos desafios da segunda-feira, mas dessa vez tivemos outro problema. Ao chegar no bairro da escola, enfrentamos uma calçada de uma altura incrivelmente desproporcional. Do tipo, da altura do meu joelho. Já tínhamos passado por essa calçada, mas sem problemas... mas na quarta, na hora que fomos subir a calçada, vinha muitos carros então tínhamos pressa... E o Garotão levou um tombo feio... que tristeza! Todo ralado o meu Garotão...


Enfim, infelizmente não há a menor condição de ir só com a dupla para o Atendimento Educacional Especializado, enquanto não pensarem que o deslocamento é feito também à pé, ou de rodas (cadeirantes, carrinhos de bebê), nós sempre ficaremos reféns de carros e transportes públicos...

sábado, 15 de junho de 2013

Cenas de Amor: Te amo!


Esse foi o presente para o papai...
Papai fazendo comida (06.06.13) fecha a porta da cozinha porque o Garotão fica agoniado com o barulho de coisas fritando. Na hora que o papai fecha a porta, Garotão olha e diz:
“Te amo!”

Declaração de amor perfeita!!!!

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Cenas de Amor: Água pra mamãe


Vou abrir mais uma nova série no blog: Cenas de Amor. Muitas vezes, Garotão (4 anos) faz algumas coisas que não consigo definir, saem lá do profundo do coração dele... e que são marcantes, valem a pena contar e deixar bem guardadinho...
A última dele: Sempre que vou amamentar, se meu marido está em casa, ele pega água para mim, afinal, amamentar dá uma sede e tanto!
Ontem (11.06.13), meu marido estava na faculdade e fui amamentar a princesa. Foi só pegar a almofada de amamentação e o Garotão me aparece com uma garrafinha d’água para a mamãe...

Não é incrível?

terça-feira, 4 de junho de 2013

Pérolas do Garotão - Apaga a luz!!!

Pérolas do Garotao:
Culto da Manha, na igreja.
Garotão: - Apaga a luz!
Eu: - Não dá pra apagar a luz. É o sol!
Garotão: Apaga o sol!!

sábado, 1 de junho de 2013

E a escrita?


Por que, pois, desprezar esses humildes começos? 
Zacarias 4:10

Enquanto o Garotão aprende a conviver com a irmã, ele também tem enfrentado desafios na escola. Estamos com 4 anos, no Grupo 3. Começam agora as tarefas de pintura, escrita... seria tudo ótimo se não fosse um detalhe: o Garotão não pega num lápis, caneta ou qualquer outra coisa parecida para pintar, escrever, enfim... não usa os rabiscos voluntariamente.

Não tem aquelas fases que as crianças passam quando estão crescendo? Rabisco, círculos, tentativas de representação? Garotão não passou por nenhuma delas simplesmente porque não tem o menor interesse nesse tipo de registro!

No ano passado, no Atendimento Especializado, a professora dele conseguia que ele rabiscasse um pouquinho. Esse ano, ele simplesmente se recusa a pegar um lápis. Na escola regular, ele só usa o lápis se a estagiária pegar a mão dele e colocar sobre o papel e guiá-lo. Com isso, ele acaba só querendo escrever assim.

Então, tentamos em casa deixar sempre lápis e papel disponível (canetinha, giz de cera, lápis de cor... muita variedade), para ver se ele se interessa... Fiquei meio triste porque nem uma parede foi riscada... Ele só se interessa em tirar os lápis da caixa e guardá-los de novo.

Agora, vem a parte engraçada: com um pequeno empurrãozinho, ele escreve! Tipo, ele não desenha, não pega, mas ele desenha letras!!
E então? O que fazer?

A pressão em cima dele é muito grande, e em cima da gente também. Conversei com o meu esposo e chegamos a uma decisão: vamos tratar essa de escrever como se fossem pérolas. Não era assim quando ele estava começando a falar? Então, a expressão gráfica também será assim. Sempre estaremos estimulando o Garotão. Quando ele pintar,desenhar ou escrever, faremos uma festa daquelas.


O resultado pode até demorar, mas vai ser tão lindo quanto a fala!!!