quarta-feira, 28 de maio de 2014

Parceria Família x Escola – Quando o resultado aparece


Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus Todo-Poderoso! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó Rei dos santos.
Quem te não temerá, ó Senhor, e não magnificará o teu nome? Porque só tu és santo; por isso todas as nações virão, e se prostrarão diante de ti, porque os teus juízos são manifestos.
Apocalipse 15:3-4
Escrito de trás pra frente, mas escrito corretamente!

Ontem (27.05.14) cheguei na escola com uma grande surpresa: a diretora estava no portão e me chamou para conversar. Olhei e vi olhos vermelhos. Então ela me contou: a professora do Garotão (5 anos) chegou na sala da pedagoga emocionada  porque havia constatado que o Garotão estava lendo.

Lendo? Como assim? Nós conhecemos a leitura fotográfica dele (que reconhece a palavra pela memória, e não por compreender o a junção das letras formando sílabas e palavras), então, inicialmente pensei que eles estivessem confundindo. Mas a diretora falou um monte de coisa que me fez chorar (e se eu falar que eu não lembro exatamente o que ela falou?) e as duas choramos juntas. Aí, ela me falou pra enxugar as lágrimas porque a professora provavelmente queria ser a primeira a contar.

Foi difícil segurar as lágrimas, mas fui buscar a Princesa (1 ano 2 meses)  na salinha dela. Dei um grande ‘upa’ nela e enxuguei as minhas lágrimas no sling. Fui pegar o Garotão. Chegando lá, a professora começou a contar: eles estavam brincando de massinha e o Garotão começou a montar letrinhas e palavras. A professora perguntou pra ele o que estava escrito e ele falou. Então, ela começou a perguntar diversas palavras e ele foi lendo. Ela mostrou um texto e ele leu!

Então, ela correu para a sala da pedagoga e mostrou para ela. A pedagoga também mostrou outras palavras difíceis, inclusive com encontros vocálicos, consonantais e dígrafos. Ele leu todas. Então, novamente eu chorei, abracei a professora e choramos juntas, felizes por tanta coisa linda.

Hoje, ao chegar à escola, a pedagoga me chamou pra conversar e me dar a versão dela do fato. Mas antes, deixei as crianças nas salas e a professora me contou que foi pra outra escola onde trabalha, e chegou lá, todos perguntavam porque ela estava tão diferente e feliz...

Então, fui conversar com a pedagoga, e ela contou o que o Garotão fez na sala dela... que ela mostrou palavras difíceis como Bombom, Júlia, trocou o “li” por “lh” e o menino leu da mesma forma... Até contou da dificuldade de falar o “J” (coisa que a fono já estava nos ajudando em relação a isso). E, novamente, mais duas com os olhos vermelhos de emoção.


Ao chegar em casa o cântico que tem o versículo acima inundou a minha cabeça. Mas, o que está me falando mais não é a parte: “Grandes são as tuas obras”, mas a parte: “Justos e verdadeiros são os seus caminhos”. Quando estou tão cansada, eu questiono muito os caminhos que o Senhor tem posto à nossa frente. Nunca penso que esse caminho revelará as Grandes Obras do Senhor Todo Poderoso. Nunca penso que esses caminhos são Justos e Verdadeiros. E, agora, quando olho as Obras dEle, as vitórias com que Ele nos tem presenteado, tenho que me lembrar sempre: Justos e Verdadeiros São os Seus Caminhos!




E, quero muito agradecer a Deus pela equipe incrível que tem cercado o Garotão: todas as professoras pelas quais ele tem passado, desde o Grupo 1, a fantástica estagiária que está ao lado dele desde o diagnóstico, a toda equipe de terapeutas que tem cuidado dele desde o diagnóstico e pela neuropediatra... São tantos tesouros que Deus nos cercou!!
Obrigada, Papai do Céu!

terça-feira, 27 de maio de 2014

Comemorando os 5 aninhos


Bem-aventurado o povo que conhece o som alegre; andará, ó Senhor, na luz da tua face.
Em teu nome se alegrará todo o dia, e na tua justiça se exaltará.
Salmos 89:15-16

Esse fim de semana foi de mais pura festa. Como meu marido iria fazer um curso na última semana de maio, a festa que faríamos no domingo (25.05.2014), no dia mesmo do aniversário do Garotão, foi dividida (ou multiplicada) em três: uma na escola, uma em casa para a família próxima e uma na igreja. Eu achei que iria facilitar, mas o trabalho não se multiplicou... elevou-se à terceira potência!! Hehehehe...

O tema da festa foi “Copa do Mundo”. Ficamos muito felizes porque foi uma escolha dele. A gente passou muito tempo perguntando pro Garotão como ele queria a festa dele, mas sem respostas. Até que o papai resolveu enviar fotos de sugestões de temas para o Garotão ver. E, o Garotão se empolgou aos montes com a Copa do Mundo.
Então, fomos aos preparativos... Produzir três festinhas não é fácil, não!! Na quinta, véspera da primeira festinha, pedimos ao Garotão para nos ajudar a montar as lembrancinhas... ele se empolgou abessa.

Então, na sexta de manhã, festinha na escola:Arrumar a sala em menos de 20 minutos e deixar tudo prontinho pra chegada da turminha. Garotão ficou mais quietinho, parecia não ter entendido que a festa era dele... Mas, em compensação, ele curtiu ao máximo o cachorro quente e o bolo de chocolate. Os coleguinhas vibraram tanto, estavam bem agitadinhos, amaram! A Princesa dormiu a festinha inteira...

Festinha na escola

No sábado foi a festa da família, aqui no salão de festas do condomínio. Minha irmã e minha mãe ficaram por conta da decoração e eu fiquei por conta das comidas (menos do bolo e salgados, que encomendamos). Ah, o papai ficou por conta da logística, que foi bem difícil... Garotão curtiu o pula-pula, comeu muito cachorro quente, muito picolé de chocolate e muito brigadeiro de colher. Ele amou a decoração de copa do mundo... se juntou na mesa, brincou com os jogadores que enfeitavam o bolo de maquete feito pela minha irmã. O frio atrapalhou um pouquinho, já que as crianças não puderam brincar muito no pula-pula e nem no parquinho, mas o Garotão e a Princesa não se importaram muito... A Princesa, por exemplo, se mandou pra chuva... ficou toda molhada! Só pra rir...

Mesa de Frutas

Decoração by Mãe e Irmã

Mesa: By Mãe e Irmã


E, no domingo, dia do aniversário mesmo... fizemos pro Garotão um café da manhã na cama (que não deu muito certo... ele levantou correndo pra ir no banheiro e foi pra mesa... heheheh) e a festinha na igreja... Aí,  o Garotão mostrou que realmente sabia do aniversário dele... Curtiu muito a decoração, na hora do Parabéns, lembrou corretamente que tínhamos que falar com Papai do Céu antes, afinal, a maior razão da existência dele... E, de novo, a Princesa dormindo.. hehehehe

Lembrancinhas

Campinho de bala de coco


E, de noite, às 21h, hora exata do nascimento do Garotão, uma taça de sorvete com bolo de chocolate pra ele, pra comemorar...
Essa maratona de festas foi muito gostosa... valeu ver o sorriso do Garotão curtindo os detalhes, raspando as panelas dos docinhos, detonando o cachorro quente... E me ensinou muitas, muitas coisas:
- Por menor que seja a festinha, ela dá um trabalhão...
- Ainda não sei se é melhor fazer três festinhas ou um mega festão;
- Como eu queria ter criatividade, tempo e disponibilidade pra fazer festinhas lindas...
- Cada vez mais eu admiro o trabalho dos profissionais que cuidam de festas infantis... são tantos detalhes que a gente não tem ideia, mas que eles já tem tudo na cabeça;
- E, que o sorriso do Garotão ao perceber cada detalhe é mais que recompensa para as noites que fomos adentro pra preparar tudinho!!!


domingo, 25 de maio de 2014

5 aninhos do Garotão


Da parte do Senhor se fez isto; maravilhoso é aos nossos olhos.
Este é o dia que fez o Senhor; regozijemo-nos, e alegremo-nos nele.
Salmos 118:23-24
Eu fico impressionada em ver como o tempo passa tão rápido... Fico lembrando do mês de maio de 2009... Como eu estava tensa e ansiosa pela sua chegada... E, finalmente, você chegou...
Não pude te ver e nem te abraçar quando você nasceu... a minha primeira lembrança de você não foi no meu colo... mas já no bercinho, do meu lado. Todos me contam do nosso primeiro encontro, mas não lembro de nada...
Mas, depois desse momento, procuro guardar tudo dentro do coração. Lembro de você mamando... a briga pra pegar o peito e depois, como você pegou e não largou mais...
Lembro daquele carinho, você deitado no meu peito e eu sentindo aquele cheirinho gostoso do seu cabelo... Hum cheirinho de neném...
E, agora, escrevendo sobre seu aniversário, vou revivendo 5 anos em minutos... Revivendo grandes emoções em poucos minutos, fazendo meu coração saltar em uma emoção impossível de ser denominada e descrita...

Lembro do seu primeiro sorriso, das suas primeiras sílabas... Da sua primeira frutinha e sua preferência por feijão... Dos seus primeiros passos... Nosso “Teiteitei delícia”. Da sua primeira queda e do seu primeiro aninho com uma cicatriz que te acompanha até hoje.
Lembro de seu primeiro dia na escolinha. Do medo de me separar de você e te ver seguindo tão cedo pra ficar longe de mim... sendo cuidado por outra pessoa... E do meu choro ao me afastar de você. Lembro de ver sua adaptação rápida (não a minha... heheheheh)
Lembro também do dia que você parou de falar e que começamos a perceber as suas alterações de comportamento. Da aflição que nos envolveu. E, depois, perceber na escolinha que as coisas não iam tão bem como era o esperado.
Lembro do corre-corre que passamos, do diagnóstico bomba: autismo?? Como assim?? Lembro de ter chorado, mas de ter resolvido brigar pra que você tivesse o melhor e para sempre. Nem acredito que isso já tem quase 3 anos...
E, depois, passamos a guardar ainda mais coisas no coração de uma forma mega especial. E o primeiro abraço voluntário? E o primeiro beijo? Você sabia que eu ainda choro quando lembro?
E a primeira vez que você disse mamãe? Emoção indescritível! E, agora te vejo escrever nas paredes, no guarda-roupa... E, quando você cantou pra mim? Filho... Como te explicar o que eu senti?
E quando você orou sozinho pela primeira vez? Posso chorar? E quando você pediu pra ler a Bíblia e ainda dormiu agarradinho com ela?
E, agora, você está fazendo cinco aninhos. Eu me emociono vendo você dizer que vai fazer cinco aninhos. Você não é mais um bebê... é um Garotão, lindo, emoção de mamãe e papai, orgulho, orgulho, orgulho...
Garotão: mamãe e papai te amam muito. Tudo o que queremos é que você seja feliz e que você seja exatamente aquilo que Papai do Céu quer. Nós não temos a menor ideia do futuro. A única coisa que temos certeza é que se você estiver nas mãos de Papai do Céu, você será muito feliz, e terá prosperidade (o que não significa riquezas, viu? Significa apenas que tudo quanto você fizer, prosperará – Salmo 1).
Por enquanto, mamãe e papai te colocamos diariamente nas mãos de Papai do Céu, mas em breve, você também irá fazer isso sozinho, por decisão sua. E, quando esse dia chegar, mamãe e papai também guardaremos esse dia com mais carinho... será uma emoção sem tamanho te ver ‘nascer de novo’.
Feliz Aniversário, Meu Amor! Parabéns pelos seus 5 aninhos!



terça-feira, 20 de maio de 2014

Doando Leite Materno


Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e transbordando, vos deitarão no vosso regaço;

Lucas 6:38

Dia 19 de maio é o dia de Doação de Leite Materno e, justamente esse mês completa um ano que sou doadora.
Na época do meu Garotão, eu acabei não me informando e não participando dessa rede, mas quando a Princesa nasceu e eu vi que novamente eu tinha muito leite, resolvi me mexer e contribuir.
Quando comecei, eu retirava cerca de 90ml por dia. O banco de leite (BLH) só buscava em casa quando armazenava no mínimo 400ml.  Assim, eu conseguia que eles buscassem em casa toda semana.
Com o tempo, o volume retirado foi aumentando (leite materno, quanto mais se ordenha, quanto mais se tira, mais se tem) e cheguei a 400ml num dia! Quando conseguia essa marca, eu ficava muito eufórica. Eu também fazia um estoque de leite para a Princesa, pensando em urgências (como por exemplo, se o Garotão ficasse doente e eu tivesse que ficar no hospital com ele – Graças a Deus, isso nunca aconteceu!)
E, enquanto isso, a Princesa mamava, mamava, mamava, engordava lindamente!
Eu tinha uma certa rotina: “economizava” uma mama durante a noite, acordava e ordenhava.. geralmente conseguia armazenar cerca de 200ml numa mama. Depois dessa mama, eu ordenhava o que ‘restou’ da noite da outra mama. Depois, a Princesa acordava, mamava, mamava e mamava
Logo a Princesa fez seis meses e começou a introdução alimentar e o meu medo era que a redução das mamadas da Princesa também reduzisse a quantidade de leite ordenhada para a doação. Aos poucos a quantidade de leite ordenhada foi caindo mesmo, mostrando que a produção de leite materno realmente está condicionada à necessidade do bebê. Estava em média retirando cerca de 100ml por dia.
Quando a Princesa entrou na escola, a quantidade baixou ainda mais. Agora estamos ordenhando na faixa de 50ml por dia, às vezes consigo uma ‘descarga de ocitocina’ que faz ter uns milagrinhos de 200ml numa ordenha.
Doar leite pra mim é algo fantástico. Me faz muito bem. Sempre penso nos bebezinhos que estarão recebendo. Oro por eles, pela saúde deles e peço que o Senhor abençoe cada gota de leite que Ele me deu. Penso também em quantos irmãozinhos de leite a Princesa tem circulando por aí.
E, eu gostaria muito de ver os bancos de leite de nosso país cheios, que todos os bebezinhos pudessem receber o leite materno, que todas as mamães que tenham fartura, possam doar com tranquilidade. Gostaria que todas as maternidades, públicas ou privadas tivessem um banco de leite para receber leite doado e também para orientar as mamães que tem dificuldade com a amamentação.
E assim, gostaria de marcar essa data tão especial:
19 a 23 de maio – Semana da Doação de Leite Materno
Maio – Um ano como doadora!


sábado, 17 de maio de 2014

Dia das Mães Mega Especial


Alegrem-se teu pai e tua mãe, e regozije-se a que te gerou.
Provérbios 23:25


O dia das mães é uma data que mexe muito com o nosso coração, né? E eu sempre fico na expectativa. Esse ano teríamos a surpresa: a festinha da escola com a participação da Princesa...
Então, nossos dias das mães começou na sexta feira (09.05.14), na festinha da escola pela manhã. Aliás, começou antes, com o Garotão me expulsando de perto dele toda hora que ele começava a cantar a musiquinha da escola... hehehehe...
Mas, voltando à escola, eles fizeram um momento especial: todas as crianças se juntaram pra cantar a musiquinha do dia das mães... Fiquei encantada com a participação da minha duplinha.
O Garotão participou ativamente: fez todos os gestos, abaixou/levantou na hora certa, só não vi se ele cantou, pois ele estava bem longe... Mas pra mim, foi tudo ótimo!
A Princesa foi uma delícia: não cantou, mas ficou de olho na professora de artes, não chorou (isso é incrível!), e entrou e saiu toda linda e aprumada... Hehehehe...
Depois fui na salinha pra receber a homenagem de cada um deles... Marca de mãozinhas e a supresa do Garotão: “Te Amo” com a letra dele!!! Essa foi a sexta-feira.
Sábado, meu marido não podia deixar passar em branco. Nove horas da manhã, eu recebo um lindo bouquet de flores... que coisa mais linda! Eu até perguntei se ele queria mesmo mandar no sábado, porque sempre que meu marido manda flores, não dá sorte com floricultura: ou elas não chegam, ou chegam na hora errada... tadinho!
E, no domingo? Recebi uma lista de pistas pra achar o meu presente. Dessa vez eu quis a participação das crianças... Então, perguntei pra duplinha: Onde está o presente da mamãe?
A Princesa levanta a mãozinha e responde: “Eu!!” Pronto! Pra arrebentar o coração! Então, perguntei pro Garotão: “onde está o presente da mamãe?” Ele responde: “É o Garotão!” Quem precisa de presente mais lindo que esse? (Ah, só pra constar, eu achei o presente depois... gostei muito... hehehehe)
Ah, e o dia das mães acabou  no domingo? Claro que não!
Na quarta-feira, veio a maior surpresa. Ao sair da salinha na escola, o Garotão me puxou, me fez abaixar, olhou dentro dos meus olhos (milagre dos milagres!!) e cantou: “Mamãe me plantou, mamãe me regou, me fez crescer!
“Mamãe é uma flor, mamãe é um amor, é o meu viver
Quem sabe um dia o mundo tivesse uma mãe assim
Pra poder cuidar de todas as crianças como cuida de mim!”

Não tive opção a não ser chorar e guardar esse momento dentro do meu coração... Senti que ele sabia exatamente o que estava falando

E, aí, eu digo: ser mamãe especial é ter um dia das mães multiplicado por quatro... pelo prazer de ser mãe, pela surpresa de ver a participação deles na escolinha, pelas respostas espontâneas e pela surpresa, fora do dia, em um momento fora do esperado uma linda declaração de amor...

sexta-feira, 16 de maio de 2014

O Primeiro Mês de Aula da Princesa – 2014



Tudo fez formoso em seu tempo;
Eclesiastes 3:11

Eu nem estou acreditando: A Princesa começou na escolinha!!!
Três dias depois da Princesa completar um aninho, o telefone lá de casa tocou: era do CMEI onde o Garotão estuda e onde inscrevi a Princesa à espera de vaga. A vaga dela tinha saído. Nós levamos um susto.
Quando a gente fez a inscrição dela, deixamos pra fazer mais tarde justamente para demorar a chamar. Eram 20 vagas e ela era a número 48. Ou seja, muita gente teria que desistir para que ela conseguisse a vaga. A ideia é que ela só entrasse lá para o final do ano ou, talvez no ano de 2015 (quando teríamos mais vagas). Mas surpreendentemente, o telefone tocou, um mês depois do início das aulas e nos deixou com uma baita dúvida: matricular ou não?
Meu coração estava totalmente dividido. Ela é tão novinha!!! Deveríamos ou não matriculá-la?
Meu esposo e eu pesamos os fatos: quando o ano começou, nós não colocaríamos porque ela ainda não andava e por ser menor de um ano. E, surpreendentemente, quando ela foi chamada, esses dois fatos já não eram mais problemas (afinal, andou com 10 meses e já tinha acabado de completar o seu primeiro aninho). E, tinha outro detalhe: a luta por vagas no CMEI onde meu filho estuda (que é o mais próximo de nós) é muito grande. É muito, mas muito difícil conseguir vagas. Sabíamos que, se deixássemos passar essa vaga, ela cairia para o número 68, o que significaria que ela estaria fora no ano seguinte. Ou seja, ou entra agora, ou perde a vaga.
Então, decidimos matricular. Ela passaria a primeira semana saindo duas horas mais cedo para adaptação e depois, sairia junto com os coleguinhas.
Primeiro dia de aula: uma festa! Ela estava linda e animada. Entrou na sala com uma alegria impressionante... deu tchauzinho e tudo... nem acreditei. Mas, segundo, terceiro dia... ah, esses  não foram os melhores... O choro veio com tudo e muito forte... meu coração ficou dilacerado (é, igual quando Garotão entrou na escolinha pela primeira vez)...
Aí, em menos de uma semana: a Princesa ficou dodói... nariz, garganta, febre... Puxa vida... coisas de escola, né? Aí, 5 dias sem ir pra escolinha... Voltou quase uma semana depois, nova readaptação... Choro... muito choro... Sem peito, sem comer... nem levando frutinhas e sucos de casa, nada de comer...
Mas, com quase três semanas de aula, as surpresas começaram: ir pro colo da tia sem chorar. Apontar os trabalhinhos dela no mural, dançar as musiquinhas da escola em casa... mais gostosa do mundo! Passou a comer direitinho... coisa mais fofa...
E, mais uns dias de aula, mais surpresas: entrar andando na salinha, fazer amiguinhos, levar a mochila sozinha...

Sim, a Princesa se adaptou rapidinho na escolinha... Super-surpresa pra mamãe e papai!

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Livramento

                     
O anjo do Senhor acampa-se ao redor dos que o temem, e os livra.

Salmos 34:7
Mês passado (28.03.14) passamos um grande susto. Tive uma consulta de revisão com a minha médica e fomos para o hospital onde ela tem o consultório (que por sinal, é o mesmo onde os meus tesouros nasceram e onde a Princesa ficou internada). Para chegar nele, é necessário sair da BR e pegar a pista auxiliar.
Meu marido fez a saída com todo cuidado, com antecedência para evitar transtornos. Mas, nem todos são assim, não é? Um caminhão que presta serviço para a empresa de saneamento aqui do estado, entrou com tudo e bateu exatamente na porta traseira, onde a Princesa estava dentro da cadeirinha.
Eu custei a entender o que estava acontecendo. E, do jeito que foi a batida, achei que o motorista iria parar. Mas não. Ele continuou forçando e passou arranhando a porta do nosso carro. Como o trânsito estava intenso, não tinha como sairmos para pegar a pista da direita. O caminhão, sem qualquer cerimônia, continuou passando e simplesmente foi embora...
A primeira coisa que eu pensei foi na minha filha. Ela ficou assustada com o barulho, mas a porta nem ao menos afundou. Apenas arranhou e tirou ‘lasquinha’ do friso do carro.
A outra coisa que eu pensei foi na irresponsabilidade do indivíduo. Ele simplesmente foi embora! Não parou, nem nada... Eu me pergunto se ele não sentiu que bateu, não viu que tinha uma bebê... enfim... simplesmente foi embora...

Ainda bem que o Senhor nos guardou e nada, nada, nada aconteceu à Princesa. Pra mim isso é o mais importante!!!

terça-feira, 6 de maio de 2014

Pintando o Sete (e a parede..)


Seja bendito o nome do Senhor, desde agora para sempre.

Salmos 113:2
O Carnaval de 2014 me deu um grande presente. Algo que eu esperava há muito que acontecesse. Várias vezes eu contei aqui no blog da dificuldade do Garotão fazer ‘registros’ (pintar, desenhar, escrever), e que ele vem ‘ganhando’ essa habilidade gradualmente.
Apesar disso, em casa, sempre foi muito raro ele querer usar o lápis (canetinha, giz de cera ou qualquer coisa semelhante), tanto que eu sempre sonhei em ver uma parede rabiscada. Parece sonho maluco, né? Mas, imagina, se ele rabiscasse uma parede, seria um sinal de que ele poderia estar começando a se interessar em fazer esses ‘registros’.
Bom, então, em pleno carnaval (marido viajando a trabalho, sem aula, sem terapia, sem muito o que fazer e crianças quase se matando dentro de casa), resolvi oferecer um giz de cera para o Garotão (4 anos 9 meses) e mostrar a parede (é, acho que sou a única maluca que ensina o filho a pintar a parede) e foi como se tivesse aberto um buraquinho numa represa que acaba se rompendo.
Começou com um risco, depois, apareceu um rosto. Logo depois, dois rostos. Outro rosto em outra parede. E, claro, a Princesa (11 meses na época) também entrou na brincadeira. E mamãe aqui, emocionada fotografando, registrando, filmando e claro, mandando para o papai.
E, a brincadeira de pintar a parede não ficou apenas em desenhar. Logo a parede virou um quadro. Garotão passou a registrar (de sua forma) a data. Também passou a encenar a aula que a tia dá na escolinha. “1, 2, 3, 4... 9, e com você, 10”, desenhando círculos ou números. Também numa parede só, apareciam nomes... E depois de desenhar, ele diz: “Agora é Enanuéi*”

Sim, agora eu tenho o sonho realizado de ter uma parede rabiscada (pela dupla) e voluntariamente, sem pedir. Pode até parecer uma bagunça, mas é um presente, é a minha parede dos sonhos, a realização dos sonhos de uma mamãe especial...

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Cenas de Amor: Pedir desculpas Papai do Céu


Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.

1 João 1:9
No  mesmo dia do aniversário da Princesa, passamos o dia no Congresso de JCA (é... o mesmo Congresso que a Princesa nasceu, lembram?). Fomos eu, marido, os dois tesouros e minha mãe, pra me ajudar.
Mas, nem sempre as crianças ficavam com a minha mãe. Sempre que possível, tirávamos um tempinho com elas. Num desses tempinhos, acabamos deixando o Garotão (4 anos 9 meses) sozinho na sala de apoio, onde tínhamos todo o material que seria usado no congresso. Imaginem o tipo de material: lápis, caneta, tinta...
Garotão achou a tinta. Quando cheguei na sala de apoio (gente, como é que marido e eu pudemos deixar ele sozinho naquela sala?)... A visão da mais pura bagunça: tudo, tudo, tudo rosa!!! Calção, camisa, mão, estante, maleta... Respirei fundo, levei-o para lavar pelo menos a mão e saí com ele todo rosa pra resolver as coisas. No meio do caminho, entreguei ele pro meu marido, que foi trocar a roupa dele. Na volta do Garotão, eu estava conversando com um dos pastores presentes no Congresso e Garotão chegou, de mãos dadas com o papai. Puxou a mão do pastor e disse: “vamos pedir desculpas a Papai do Céu”. Eu perguntei a ele porque. Ele respondeu: “Garotão fez bagunça”.
Eu fiquei emocionada. Não era só pedir desculpas a mamãe e ao papai. Era pedir desculpas a Papai do Céu. A gente nunca tem noção do quanto falamos com ele vai pro coração ou fica guardado... mas, um dia essas coisas lindas afloram...
Fomos então pra sala de apoio e juntos, papai, Garotão e eu, nos ajoelhamos e Garotão pediu desculpas a Papai do Céu...