quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Vamos Cantar?



Nosso Garotão (3 anos 5 meses) está no coro infantil da igreja. Fiquei muito feliz quando começaram os ensaios e, na primeira oportunidade levei
.
O primeiro ensaio foi muito difícil. Ele passou o tempo inteiro correndo dentro da sala. Cantar? Não, obrigada! Parecia que mesmo ouvindo a música, não se interessava.

No segundo ensaio, ele já começou sentando na cadeirinha... até acompanhou o aquecimento vocal e os exercícios de concentração. Um dos exercícios, era contar de um até nove, e ao invés de falar 10, devia-se bater palma. Ele morria de rir!!! E, tanto aprendeu que quando viajamos para Salvador, foi brincando o tempo inteiro.

Apesar de não ter ficado sentado, ele aprendeu rapidinho, a primeira música ensaiada. Ele não sabia cantar toda, mas sabia completar se iniciássemos as frases. Muito fofo.
Então, já sabendo que músicas seriam ensaiadas, vasculhamos pelo Youtube vídeos que o ajudassem. Então, ele começou a assistir os vídeos diariamente... e...

No terceiro ensaio, ele já estava sentadinho, pelo menos metade do ensaio... se colocava em pé no momento certo... a coisa mais gostosa do mundo. E, hoje, das músicas que achamos, ele já sabe todas! E, claro, se nós cantamos pra ele, não podemos errar!

Tudo bem, queremos muito que ele cante junto com o coral na apresentação, mas se não cantar, beleza. Ele já aprendeu como funciona o coral, os momentos que tem que ficar quietinho, momentos de cantar, e o melhor: já está cantando musiquinha de Natal...
Amo corais!
Amo coral infantil!!!!
Fruto da Criação
É tão bom sair correndo respirando o puro ar, 
saltitando no gramado ou no parque a pular, 
na verdade tudo é lindo entre o céu e o mar, 
se Jesus fez esse mundo por muito me amar. 
Fico olhando uma plantinha e começo a pensar, 
como pode a sementinha germinar e brotar? 
não duvide um segundo da existência de Deus, 
olhe bem a natureza ela quer lhe provar. 

Refrão 

Sou tão feliz por isso vivo a cantar, 
pois também eu sou um fruto da criação, 
ao me criar, Deus me fez com suas mãos 
e colocou amor no meu coração
amor no meu coração.

Quando vejo um pardalzinho tão pequeno a voar
Eu me lembro da promessa em Cristo não vai falhar,
Se das aves ele cuida, também há de cuidar,
Os seus filhos com carinho ele vai amparar.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

A primeira declaração de Amor



Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha; 
1 Coríntios 13:7-8
Toda relação entre duas pessoas evolui gradualmente. Assim como a minha relação com o meu filho. O gradual pode ser de uma forma natural, quando as coisas acontecem mediante o esperado, como pode ser sobrenatural, quando as coisas acontecem de uma forma que você não espera... só pode ser coisa de Deus.

Desde que descobrimos que o nosso filho estava no espectro autista, algumas coisas que esperávamos que acontecessem no curso natural, deixamos de esperar como algo natural, mas como milagres. Saberíamos que podia acontecer, guardávamos como uma esperança, um tesouro cultivado, um prêmio por termos um filho tão especial.

Dentre essas esperanças, guardadas dentro de uma caixinha de música no cantinho do coração, sonhávamos com o dia em que nosso filho nos diria que nos ama (claro, sabemos disso quando nos abraça, quando nos olha e quando nos manda beijos espontâneos – lembram do primeiro beijo? Ainda sinto o mesmo gostinho...), mas sabíamos que um dia ele falaria isso...

E, aconteceu. Quarta feira (24.10.12), eu levei um susto: apresentei um sangramento (medo: sangramento com 4 meses de gravidez? Nada demais, graças a Deus, só um fungo!). Passei o dia inteiro quietinha, meu pai o e minha mãe por conta do garotão. No fim do dia, fui colocá-lo para dormir. Depois da nossa oração, o Garotão  (3 anos 5 meses) para e fala: “Garotão ama... mamãe!”.

Tem como não chorar? Tem como não se emocionar? Foi a primeira... desde então, todos os dias eu ouço essa declaração... às vezes é espontânea, outras, vem depois que a mamãe fala milhares de vezes: “Mamãe ama... Garotão” E aí, ele responde: “Garotão ama... mamãe!” É a coisa mais deliciosa do mundo!!!

Desde esse dia ele já falou pro vovô e pra titia... E, esperamos que quando o papai chegar, ele fale também para o papai. O Garotão precisa que se mostre os gestos. Quando ele fala, ele aponta para si mesmo, aponta para o coração e depois aponta para o objeto de seu amor...

É, o amor verdadeiro... O amor perfeito...
O verdadeiro amor.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Viajando para Salvador – A volta...

Viajando para Salvador - A Viagem
Viajando para Salvador - Primeiro Dia
Viajando para Salvador - Segundo dia

Infelizmente, o feriadão acabou na segunda-feira e tivemos que voltar para casa... mas não podíamos voltar sem curtir um pouquinho que fosse do hotel maravilhoso que ficamos... O Catussaba Resort é lindo demais! Incrível (infelizmente o atendimento na recepção não é tão assim, mas nas outras áreas é incrível!)... E, então, nós até íamos sair cedo, mas resolvemos ficar e sair depois do almoço.

Então tomamos café, fomos na praia, fomos pra piscina... Incrível! O Garotão (3 anos 4 meses) queria entrar na água gelada... mas achei o mar em frente ao hotel muito forte. Preferi não entrar. Então, fomos pra piscina... uma delícia... o Garotão não quis entrar no início... mas depois, foi uma festa...

Pena que ele só curtiu mais na hora de ir embora...
Ô tristeza deixar Salvador para trás... Pegamos a estrada 1h da tarde... e viemos de volta... Nosso Garotão dormiu bem... foi uma viagem tranquila pra ele... Ele revesava: 4h dormindo, 4h acordado... e, a BR 101, cheia de caminhões, chuva... enfim, até às 11h da noite, a estrada estava bem tensa. Mas, depois das 11h da noite, acho que todos os caminhoneiros saíram da estrada... e a estrada livre por um bom tempo...

Chegamos em casa 6h30 da manhã... eu e marido na expectativa de tirar uma soneca, mas Garotão? Energia total!!! Brincando o tempo inteiro!!! Eu e o pai, mortos de cansaço... hehehe... Depois ele foi pra escola, e aí, pudemos dormir um pouco.

Mas, aprendemos mais uma coisa: na próxima viagem longa, ficaremos mais tempo na cidade que nos receber. Será um dia no hotel para descanso e um para conhecer os pontos turísticos, sem pressa! E, agora, vou sonhando... quando será a próxima viagem?

domingo, 21 de outubro de 2012

Viagem para Salvador – Segundo dia

Viajando para Salvador - A Viagem
Viajando para Salvador - Primeiro Dia

Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos.
Um dia faz declaração a outro dia, e uma noite mostra sabedoria a outra noite.
Não há linguagem nem fala onde não se ouça a sua voz.
A sua linha se estende por toda a terra, e as suas palavras até ao fim do mundo. Neles pôs uma tenda para o sol,
O qual é como um noivo que sai do seu tálamo, e se alegra como um herói, a correr o seu caminho.
A sua saída é desde uma extremidade dos céus, e o seu curso até à outra extremidade, e nada se esconde ao seu calor. 
Salmos 19:1-6

O segundo dia em Salvador foi bem diferente do primeiro. Pudemos acordar um pouquinho mais tarde pois o nosso primeiro compromisso era apenas às 9h da manhã. Então, fomos levar minha irmã para encontrar com os amigos dela e fizemos um belo passeio pela orla de Salvador. Que cidade linda! Encantadora!

Depois, fomos ao Museu da Criança. Achamos que nosso Garotão (3 anos 4 meses) iria brincar bastante... mas ele teve uma reação inesperada: chorou muito, muito. Não quis brincar, não quis fazer nada... passou uma hora no meu colo parando de chorar, para depois ir brincar. Mas, quando começou a brincar... aí, ele se divertiu: balanço, carrinho de construção, colchão d’água, pé de jambo, livros, enfim.. muita coisa para criançada se divertir. O Museu da Criança é um espaço com diversos brinquedos interativos, onde a criança pode mexer em tudo! E, além de brinquedos, tem livros, materiais antigos, brinquedos de material reciclável, enfim, muitas, muitas coisas... E, claro, um espaço maravilhoso para as crianças brincarem... Infelizmente, nosso Garotão quase não brincou com as outras crianças... ficou o tempo inteiro brincando o máximo possível fora do alcance das outras crianças.

Depois do Museu da Criança, fomos para casa da amiga que estava nos recepcionando. O garotão amou ir pra piscina. Foi um dos poucos momentos que ficou junto das outras crianças... mas, por pouco tempo. Depois, ele preferiu ficar correndo de um lado para outro do que brincar na piscina com os amigos... Também foi um dos poucos momentos que consegui conversar com as minhas amigas, já que o paizão ficou brincando com ele na maior parte do tempo.

Depois do almoço, fomos ver o por do sol o Farol da Barra... É um espetáculo de ficar extasiado... Deus faz coisas incríveis, né? Tiramos bastantes fotos, até mesmo com o Tatu bola, o mascote da Copa de 2014. Depois, voltamos para a casa da minha amiga... afinal, estaríamos nos despedindo...

O nosso garotão, finalmente, conseguiu brincar um pouquinho com a turma. Colocaram um gira-gira no quintal para as crianças brincarem... foi uma farra... E o garotão até mesmo respeitou a ordem estabelecida...

Infelizmente, não pudemos curtir tanto por muito tempo... tínhamos que voltar logo, já que pegaríamos estrada logo cedo de volta pra casa...

Viajando para Salvador - A volta

sábado, 20 de outubro de 2012

Viajando para Salvador – Primeiro Dia



No post anterior, contei como foi a viagem para Salvador.
No dia seguinte, acordamos cedo, pois tínhamos combinado com o grupo que iríamos nos encontrar na Praia do Forte bem cedo. Mas, como café só seria servido à partir das 7h, então, saímos do hotel às 8h.

Chegando lá, me veio algo na cabeça: esqueci a sunga do meu filho! Imaginem que mãe é essa que esquece a sunga do próprio filho? Ainda bem que a Praia do Forte é um lugar magnífico, cheio de lojas, lanchonetes, barraquinhas, uma verdadeira vila de consumo... um lugar incrível. Fomos para a barraquinha do Projeto Tamar e meu marido foi ver se conseguia achar uma sunga para o Garotão (3anos 4 meses). Enquanto ele procurava, eu tentava ficar junto das meninas do grupo, mas o Garotão descobriu o palco e só queria ficar correndo lá na frente.

Depois que meu marido trouxe a sunga, fomos para a praia. A Praia do Forte é linda, principalmente com a maré baixa. E, o nosso Garotão, queria entrar mar adentro, mesmo cheio de pedras e de ondas. Foi difícil convencê-lo a voltar para a área do Projeto Tamar.
Voltamos e tentamos fazer com que ele brincasse com os amiguinhos. Não brincou... só passava perto dos brinquedos quando os amiguinhos não estavam perto... Pedimos o almoço, e o Garotão comeu bastante! Ele comeu com arroz e frango grelhado, para nós, pedimos posta de badejo grelhada (hum... estou sentindo o cheirinho até!). Ah, claro, e um camarão frito (os camarões fritos de lá são enormes!).

Depois do almoço, o sol estava muito alto e fomos conhecer o Projeto Tamar da Praia do Forte. O local é lindo... dá pra ver tudo de pertinho. A grande atração é o tanque das arraias, onde é possível fazer carinho nelas. Essas arraias são tão lindas, que até ‘pedem’ carinho, quando passam perto da gente... O Garotão não conseguiu colocar a mão na arraia, porque ele se interessava mais em beber a água do tanque, é mole? Depois, ele achou o cantinho de Educação Ambiental, e uma menina pintou uma tartaruguinha na mãozinha do Garotão. O incrível é que ele deixou pintar... a mãozinha quietinha, escolheu as cores (do jeitinho dele)... muito fofo!!!

Depois de passear pelo Projeto, fomos curtir o sol e o mar, afinal, já era 15h, solzinho perfeito. Mesmo com a maré alta, o Garotão curtiu muito. Ele ria a cada onda que quebrava, a cada caldo que tomávamos (é, tava perigoso!)... E, depois desse banho de mar... ele dormiu... Acho que foi o único momento que consegui conversar com as minhas amigas.
Depois, voltamos para o hotel, chegamos da praia era 7h40 da noite! Isso que é diversão, viu? Fomos jantar e voltamos direto pra cama... E, o nosso Garotão, foi pro quarto da titia, onde apagou rapidinho de novo!

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Viajando para Salvador – A Viagem



E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; 
Gênesis 1:31

No último feriadão viajamos para Salvador para encontrar um monte de amigas que fizemos pela internet. Algumas, eu iria ver pela primeira vez. Outras, iria rever e matar a saudade. O mais legal é que nos conhecemos quando estávamos grávidas de nossas crianças de maio de 2009... umas já tem os segundinhos, outras, como eu, estão esperando o segundinho... hehehehe

Mas, a viagem foi incrível. Além dos momentos que compartilhamos, da emoção de nos encontrar, o desafio de viajar para tão longe, e de carro foi uma emoção à parte.
Quando fizemos os planos para viajar para Salvador, tinham nos falado que a viagem duraria cerca de 12 horas. Marido pesquisou o Google, que dava 14h. Marido fez os cálculos com a velocidade de 60h, dava 20h! Muito tempo numa estrada! Mas fizemos a viagem direto. Minha irmã e meu marido dividiram o volante, então foi um pouco mais tranquilo para os motoristas (pois é, eu não dirijo, não tenho carteira...).

Eu tinha duas preocupações: o Garotão (3anos 4 meses) e a minha barriga. Seria muito tempo sentada, na mesma posição.. enfim, preocupação à toda. E, ainda, a preocupação de como o Garotão iria reagir com muitas crianças diferentes próximas, além de que estaríamos em um local estranho.

Mas, ao chegarmos em Salvador, depois de 18 horas de viagem (misericórdia! Muita estrada!), Ah, claro... o garotão se comportou maravilhosamente bem a viagem inteira! Nada de birras, nada de chiados... ele foi fantástico!! Paramos cerca de três vezes pra esticar as pernas, e uma para almoçar. Foi cansativo... mas toda vez que eu penso no comportamento do nosso garotão, fico pensando em quanto essa viagem fez bem para nós.

Ah, tínhamos o plano que o Garotão iria dormir com a titia, né? E, o grande medo de que acontecesse algo, de que ele fizesse pirraça... nada! Ele foi pra grande aventura no quarto da titia, se divertiu abessa, ops, dormiu abessa!!

Depois eu passo aqui e conto como foram os outros dois dias de permanência em Salvador...

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

E o Dia das Crianças Chegou!!!



Aqui o dia das crianças já chegou! E, o presente também!
Nós estávamos pensando no que daríamos ao nosso Garotão (3anos 4meses) de dia das crianças. Queríamos dar uma bicicleta no aniversário dele, mas como viria uma época de frio e chuva, achávamos que ele não iria aproveitar muito. Então, decidimos dar a bicicleta no dia das crianças. Tínhamos combinado também que daríamos a bicicleta antes do dia das crianças porque iríamos viajar e porque meu marido também volta a trabalhar logo depois do feriado, então, ele não iria aproveitar muito. Então, na sexta feira, compramos a bicicleta.

Comprar presente para o Garotão é complicado. Nunca sabemos o quanto ele vai gostar ou não, se vai curtir, se vai agradar. Ele nunca pediu um brinquedo. Sabemos o que ele normalmente gosta, mas ele nunca pediu nada! Queríamos muito que ele pedisse um brinquedo, algo diferente. Então, cada presente que compramos é uma loteria... Creio que deve ser a coisa mais gostosa dar um presente que a criança espera, fica ansiosa...
Bom, mas contando a história da bicicleta.

Meu marido chegou na casa dos meus pais com a bicicleta desmontada, e aí fomos montar. Uma luta, né? Briga com as ferramentas daqui, briga com as ferramentas dali e a bicicleta ficou pronta. Só faltava encher o pneu... Aí, a bicicleta quebrou... Ficamos tão frustrados por não poder ver a reação do nosso Garotão. Parece até que o presente era pra gente (na verdade, até era, né? Afinal, tem presente mais gostoso que a satisfação de um filho?).
Mas, resolvemos deixar o garotão ver a bicicleta... não podíamos adiar mais esse momento. Meu marido pegou a bicicleta, entrou com ela na casa dos meus sogros... e o sorriso do garotão apareceu. Ele correu, subiu direitinho na bicicleta, colocou os pezinhos no pedal! Parecia que ele sempre andou de bicicleta. Não conseguiu força para empurrar os pedais, mas andou pela casa do meu pai (exato, ele andou de bicicleta dentro de um apartamento!) e depois aprendeu a falar ‘bicicleta’.

Na segunda feira, meu marido levou a bicicleta para consertar. Na terça, ele a trouxe de volta, mas como íamos sair, o Garotão só viu a bicicleta quase dez horas da noite. E, a reação dele? Pegou a bicicleta, dez horas da noite, dentro de um apartamento e começou a andar. Ô dó do vizinho de baixo!

Mas, estamos felizes demais. Não imaginávamos que ele iria curtir tanto a bicicleta. Uma festa e tanto. Então, Feliz dia das Crianças para as 4 crianças mais felizes do pedaço!!!

terça-feira, 9 de outubro de 2012

A mochila nova



Com presentes o homem alarga o seu caminho e o eleva diante dos grandes. 
Provérbios 18:16
Uma das grandes dificuldades que estávamos tendo com o nosso Garotão (3anos 4meses) era a ida/volta para a escola no colo. Eu estava muito preocupada com isso, pois quando o pai viajasse de novo, eu teria que encarar sozinha esse caminho, com ele no colo e barriga já começando a sair...

Mas, o meu pai deu um presente para o nosso Garotão: uma mochila de rodinha. Quando eu vi, fiquei preocupada porque a mochila não tem alça! Ou seja, se o Garotão inventasse de não puxar, eu teria que carregar aquilo de algum jeito, mas de um jeito esquisito e desconfortável. E, veio o primeiro teste e a grande surpresa: o Garotão levou a mochila andando!!!

Ele foi andando e voltou andando da escola. Fez a maior farra! Foi muito divertido! Antes, sempre um coleguinha tinha que trazer a mochila pra nos entregar. Agora? Ele vem correndo, puxando a mochilinha... a coisa mais gostosa de se ver... E, faz o caminho todo... da escola até em casa..

Ah, claro,  a grande chegada em casa, quando ele quer subir as escadas puxando a mochilinha... aí, fica difícil!!!

Mas, graças a Deus, esse foi um presentão, não só pela mochila, mas pelo fato de fazê-lo ganhar ainda mais independência.

sábado, 6 de outubro de 2012

Uma florzinha para vovó


A coroa dos avós são os filhos dos filhos; e a glória dos filhos são seus pais. 
Provérbios 17:6

Ontem fomos tomar um café da tarde na casa dos meus pais. Minha irmã tem uma orquídea linda no aparador da minha mãe e uma das florzinhas caiu...

Eu estava conversando com o meu pai, e de repente, o meu filho chega com a florzinha caída e coloca na mão do meu pai. Achei que ele estava oferecendo a florzinha para o meu pai... mas o Garotão (3anos 4 meses) não parou por aí.

Ele pegou o meu pai pela mão, levou-o até a cozinha e fez o meu pai entregar a florzinha para a minha mãe. Só assim ele se deu por satisfeito. Não é uma delícia?

Não entendi muito bem porque ele fez isso e de onde ele tirou essa ideia... mas foi tão gostoso, um momento tão emocionante... Ficamos olhando, admirando essa atitude tão linda do nosso Garotão...

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

De quem é a culpa?



E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?
Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.
Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar. 
João 9:2-4

Ontem aconteceu algo que me deixou muito triste. Fiquei tão triste que chorei a manhã toda, praticamente. Me senti como a pior das mães. Me senti como se tudo que está acontecendo fosse culpa minha. Ontem foi dia de atendimento pedagógico especializado do meu filho. Gosto demais da professora dele. Nosso Garotão (3anos e 4 meses) tem aprendido muito e tem progredido bastante também. E, ontem, tinha uma funcionária da secretaria municipal de educação que veio conversar com a gente. Achei que fosse dar alguma informação importante, mas a conversa girou em torno da validade ou não do diagnóstico do meu filho.

Foi uma conversa muito estranha. O tempo todo  a funcionária da secretaria reforçando os pontos positivos do meu filho (beijos, abraços, respostas) não como vitórias, mas como indicativos de que o meu filho jamais poderia estar no espectro autista. Então, eu reforcei que o nosso objetivo é que ele realmente não seja mais classificado como autista, que ele alcance um desenvolvimento tal que suas características autísticas sejam apenas traços, e não características que venham a atrapalhar o seu futuro.

E, para complementar ela disse algumas coisas que me magoaram profundamente:
- Que uma criança autista nunca deixa de sê-lo (se isso é verdade, porque então estamos lutando pelo diagnóstico precoce e tratamento intensivo?). Eu repliquei: para alguns autores, não.
- Que a neuro deu o laudo por causa da nossa ansiedade. Quando chegamos com os dados ela deu o laudo baseada na nossa ansiedade e naquilo que apresentamos. (me senti completamente culpada nessa hora).

Realmente, o autismo é caracterizado como algo incurável. Mas, vamos ficar esperando sentados? Será que, diante das dificuldades e das diferenças que nossos filhos apresentam, devemos ficar esperando para ver no que dá?

Fiquei pensando muito... a impressão que eu tive depois da conversa com essa funcionária era que eu deveria ter ficado sentada, esperando até uns seis anos, quando as manifestações, a interação social e a fala permanecessem no mesmo estado que estavam a um ano atrás, para só então fazer intervenção, né? Quando talvez fosse tarde demais.

Fico triste em ver profissionais que deveriam ler, se atualizar, verificar a diferença que se faz quando se tem uma intervenção imediata, incisiva e com metodologias diferenciadas.

E, o mais importante: gostaria que ela percebesse que há um Deus que é maior que tudo, que pode curar. Um Deus que abre portas. Um Deus que muda tudo!

As pessoas que nos conhecem , que acompanham a nossa vida tem visto o que Deus tem feito. Viram como o nosso Garotão era. E, agora veem a diferença que tem feito.
Enquanto os profissionais continuarem achando que não há futuro, não haverá investimento em solução.

Eu vou continuar trabalhando. Para o meu filho, ainda é dia. Papai do Céu tem muito, muito, muito o que fazer em nossas vidas e eu estou disposta a aprender muito com Ele.

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Enfim, mais lutas



Quando parece que as coisas vão melhorar... nem sempre elas melhoram. Fiquei um tempão afastada do blog porque tinha que terminar o meu trabalho da pós. Só que, durante esse tempo de trabalho, nosso Garotão ficou extremamente birrento, agressivo, resmungão... eu não estava acreditando.

Nem mesmo as brincadeiras estavam rendendo. Nem brincar de contar de 1 a 60, nem falar o alfabeto... se errasse a ordem, desencadeava uma crise tão grande que desanimava brincar de novo.

Lembram-se do que postei em agosto?Pois é, meu filho conseguiu ficar ainda pior. Só que era apenas em casa. Perguntei na escola se houve alguma mudança, mas parece que essa mudança era só em casa. Na terapia com a psicóloga, conversei com ela... pensei que pudesse ser a mudança dequarto, ou os remédios da gripe que ele teve... mas a psicóloga estava achando que como durante a gripe, ficamos em cima dele, talvez ele estivesse sentindo falta do mimo.

Passamos umas duas semanas assim, brigas, birras, agressividade... tenso, tenso, tenso. Mas, foi só acabar o meu trabalho que o nosso Garotão foi diminuindo as birras... e eu achando que poderíamos voltar a viver como uma família tranquila, nosso garotão voltou a dar febre.

É, foram duas semanas muito tensas. Mas, hoje, eu posso dizer que estamos bem melhor como família. Estamos conseguindo novamente brincar, cantar e até jogar futebol (nosso garotão começou a chutar bola!)!!!!!!!!!!!!!!!!!