quarta-feira, 10 de maio de 2017

Feliz Dia das Mães!


"Será que uma mãe pode esquecer do seu bebê que ainda mama e não ter compaixão do filho que gerou? Embora ela possa se esquecer, eu não me esquecerei de você!”
Isaías 49:15

Feliz dia das mães pra você, que adora brincar com seu filho, mas precisa também ser terapeuta, buscando atividades para o melhor desenvolvimento do seu filho com deficiência, já que não consegue vaga com terapeutas na rede pública de saúde.

Feliz dia das mães para você, que adora acompanhar as atividades escolares do seu filho, mas precisa bancar a pedagoga, e preparar atividades adaptadas para seu filho com deficiência, já que na escola não tem o suporte pedagógico adequado.

Feliz dia das mães para você, que adora filmar todas as fofurices do seu filho, mas precisa filmar comportamentos, crises e outras coisas mais, para levar aos profissionais de saúde, para ninguém te dizer que “você está ficando doida”, que “é coisa da sua cabeça” ou que “tudo é sua culpa”.

Feliz dia das mães para você, que adora ler artigos sobre crianças na internet, mas que precisa dar uma de advogada, ler todas as leis possíveis, entender coisas que nem juízes entendem, para que os direitos do seu filho com deficiência sejam cumpridos.

Feliz dia das mães para você que curte um passeio gostoso com seu filho, mas que precisa passar mais tempo no trânsito do que tudo para levar seu filho nas terapias que ele precisa, pois não há clínicas próximas à sua residência.

Feliz dia das mães para você que é terapeuta, pedagoga, médica, advogada, motorista mas que gostaria de ser apenas MÃE!

segunda-feira, 27 de março de 2017

Por Igrejas Exemplo na Inclusão

"Cuidado para não desprezarem um só destes pequeninos! Pois eu lhes digo que os anjos deles nos céus estão sempre vendo a face de meu Pai celeste."
Mateus 18:10 - Bíblia JFA Offline


O dia 02 de abril é considerado o Dia Mundial de Conscientização do Autismo,  e esse ano cai exatamente num domingo.
Normalmente, as associações que representam os autistas fazem caminhadas, manifestações para divulgar o Autismo. E, esse ano quero fazer um desafio para que as igrejas aproveitem que a data e divulguem a conscientização dentro (ou fora) dos seus templos.
Talvez você esteja se perguntando porque estou focando​ as igrejas esse ano e o que as igrejas tem a ver com o Autismo... Vamos lá.

Primeiro: porque a data cai exatamente num domingo. É tradição entre os cristãos estarem reunidos em seus templos nesses dias, e nada melhor do que aproveitar que tem tanta gente reunida para promover a inclusão.

Segundo: Vocês tem ideia de quantas famílias (principalmente mães) deixam de frequentar as igrejas que faziam parte quando o Autismo começa a dar os primeiros sinais? Por mais que as igrejas digam que recebem bem as crianças autistas, a verdadeira inclusão vai além do discurso. A família vai à igreja com a criança. As estereotipias são barulhentas e de muita movimentação. A família não fica à vontade no momento dá reunião e leva a criança para fora e não consegue participar. Depois de uma terceira tentativa, é melhor ficar em casa com a criança.
Ah, você pode pensar, mas a minha igreja tem "salinha"! Mas essa mãe acaba ficando quase que o culto inteiro na sala com a criança. Às vezes, o comportamento da criança é considerado um empecilho para a realização das atividades pelos professores e, novamente, a família para de frequentar a igreja.

Terceiro: você sabe se na sua igreja tem crianças/adultos com autismo? A incidência atual de autismo é de 1 para cada 52 crianças com Autismo. Se há mais de cinquenta crianças na sua igreja e nenhuma com Autismo, vale a pena se perguntar o porquê. Por que essas crianças não estão frequentando sua igreja? Será que as famílias se sentem à vontade de ir com seus filhos para os seus encontros? Há ambiente para receber essa crianças?

Por esses motivos é que desafio às igrejas a buscarem conhecimento sobre o Autismo (e outras deficiências) e promoverem a conscientização e inclusão. As igrejas deveriam ser exemplo, afinal, o seu Mentor é o principal exemplo de inclusão. Aproveitem o próximo domingo e apresentem o Autismo à sua comunidade!!!

domingo, 15 de janeiro de 2017

Nasceu de novo

Era noite. Após brincar muito no parquinho, Princesa vai tomar o seu banho: lava o cabelo, passa sabonete. Depois, deixo brincar um pouco na banheira (banheira? É, uma bacia bem grande pra aproveitar o calor). Enquanto fico ali por perto, observo as brincadeiras e pra garantir a segurança dela.
De repente, a pergunta:
- Mãe, eu vou morrer?
Aquilo bateu no meu coração. Ela só tem três anos e já pensou na morte.
- Eu vou morrer com dodói? Vai doer?
Eu não tive tempo de pensar e ela já me bombardeou com mais perguntas.
- Mãe, eu não quero morrer. Porque a gente morre?
Minha mente não consegue acompanhar as perguntas. Mas essa última pergunta resgatou uma resposta.
- Sim, todos vamos morrer, "porque o salário do pecado é a morte." (Romanos 6:23)
- Mãe, eu não quero morrer!

Eu respiro. Não acredito que tão cedo chegou o momento de apresentar o plano de salvação para minha filha. Nós já tínhamos estudado o plano salvação, decorado versículos... Mas, pela primeira vez, parecia que teria que falar diretamente pra ela.

- Filha, se você tiver Jesus no coração, pode ir morar com Ele depois que morrer.

- Mãe, eu tenho Jesus no coração?

- Só você pode me responder isso...

E ela ficou no banho, refletindo. Depois, liguei para o meu esposo que estava trabalhando, fizemos a leitura bíblica do dia. Conversei com meu esposo e chegamos à conclusão de ela estava dando os sinais que queria nascer de novo.

Colocamos o telefone no viva voz e perguntamos se ela queria que Jesus entrasse no coração. Ela disse que sim. Respirei fundo. Disse pra ela orar. Ela orou assim:
- Jesus, me perdoa por eu ser assim, fazer isso e aquilo. Entra no meu coração!
Ela abriu os olhos. Ria, feliz da vida!!
E, concluiu!!!

- Preciso contar para minhas amiguinhas!!!

Minha filha nasceu de novo!!!!