segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Uma mulher pode esquecer?

“Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti.
(Isaías 49.15)
No início de julho, meu filho fez um exame chamado BERA. É um exame para verificar audição e que requer a sedação da criança. Quando fui informada disso, fiquei apreensiva, afinal, passei por um perrengue quando meu filho nasceu justamente por causa da anestesia geral. Fiquei amedrontada, com medo que acontecesse algo com o meu filho, mas esse exame era necessário para descartar qualquer problema auditivo.
No dia do exame, eu estava tranquila. Estávamos no centro cirúrgico em 3 mães com seus filhotes. Todas amedrontadas com a sedação e eu, aparentemente, confiante. Porém, quando chegou a hora do meu filho ir para o centro cirúrgico, e de entregá-lo ao anestesista, meu coração fraquejou. Eu tinha que segurar o meu filho para que ele fosse sedado, e eu tinha que entregá-lo e eu não podia ficar com ele... Assim que ele ‘apagou’, eu desabei. Saí do centro cirúrgico chorando. A fonoaudióloga me abraçou e não falou nada, disse apenas: eu sei o que você está sentindo. Então, me lembrei do versículo acima. Eu não estava abandonando o meu filho, mas precisava deixá-lo ali. E, me lembrei que mesmo que eu não estivesse presente, Deus estava ali, cuidando do meu garoto. Era apenas um exame, nada invasivo, mas eu precisava fortalecer a minha fé em Deus. Então eu disse: mesmo que eu tenha deixado o meu filho ali, Deus está aqui comigo e ali, naquele centro cirúrgico, com o meu filho.
Após o exame, eu só poderia ver o meu filho quando ele acordasse. Fui chamada e nós fomos encaminhados para a sala de recuperação. Meu filho levantou, foi pro meu colo e ele teve a recuperação mais rápida do que as outras crianças que passaram pelo mesmo exame: sem choro, com sorrisos e brincando. Em meia hora, ele estava liberado para fazer o que ele mais gostava: mamar!
Deus esteve ali, conosco, tanto na preparação, no exame e na recuperação. E, mesmo que eu não esteja perto do meu filho, o Senhor sempre estará com ele!