terça-feira, 26 de novembro de 2013

O oitavo mês da Princesa


E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens.
Lucas 2:52

Dia 22 foi o mesversário da Princesa!!! Fez 8 meses...
Eu não imaginava o quanto uma criança poderia se desenvolver em um mês.
A Princesa deu um mega salto de desenvolvimento! Com isso, a quantidade de coisas que ela anda aprontando não é possível nem contar no blog... Daqui a pouco é capaz de abrir a série “Pérolas da Princesa” porque ela está incrível!

Desde que fez sete meses a Princesa não para de surpreender. Aprendeu a engatinhar. Não somente arrastar por um pouquinho, mas percorre toda a casa. Os lugares que ela mais gosta é de ir ao banheiro e ao quarto do irmão. No banheiro eu não deixo, né? Tento deixar fechado o máximo de tempo. Mas, quando esqueço, logo escuto ela chegando... às vezes percebo antes, tento correr atrás dela, mas podem acreditar, ela chega primeiro que eu!!! Lá as gavetinhas tem puxadores que a ajudam a se apoiar e ficar em pé. Então, mais um local que tenho que ficar vigiando. O quarto do irmão, tenho que ficar vigiando, porque lá nem todos os brinquedos podem ficar perto dela. Ela ama os brinquedos do irmão...
Na verdade, engatinhar foi o primeiro “passo”. Logo ela aprendeu a apoiar nas coisas para ficar em pé. Enquanto ela se apoia em coisas fixas, como o sofá ou a parece, é tudo tranquilo. Tenso é quando ela tenta se apoiar na mesa, na cadeira... Já tivemos belos tombos por aqui. Galo na testa então, nem se fala. Parece até que sou uma mãe relapsa,né?  Mas essa Pequena é foguete! Quando você vê, já foi! Já tá de  cara no chão.

Ela descobriu o meu armário de panelas e potes plásticos. Está adorando, ela bate nos potes e nas panelas pra fazer barulho. Mexe em tudo que estiver em seu alcance...
A Princesa também aprendeu a dar tchau e bater palminhas. Sempre que ouve “Viva!” ou  “Parabéns pra você”, já começa a bater palminha e fazer barulho. E o sorriso dela é incrível.

Quando ela deu tchau pela primeira vez foi um acontecimento muito engraçado. O meu pai tinha vindo aqui em casa e a Princesa saiu correndo engatinhando para a porta. Quando o meu pai foi embora, ela correu de novo pra sair e meu pai a pegou. Ela simplesmente se virou pra mim e acenou um belo tchau. Como? Ou seja, doidinha para ir pra rua! O tchau dela não é para os outros irem embora, mas para ela ir pra rua... hehehehe...

E, na última semana, os dentinhos apareceram para finalizar o mês de grandes surpresas: muito lindo! Apareceu dia 17... senti a serrinha no meu dedo, mas não dava pra ver... Hoje eu consigo ver ele direitinho. E, quinta feira (21) o segundo dentinho apareceu. Graças a Deus, sem qualquer reação: sem febre, sem diarreia, sem enjoança... simplesmente saiu...

Foi um mês intenso, fantástico!!



quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Nova Clínica + Terapias = Correria


Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.
Mateus 6:34


Eu falei aqui que estávamos procurando um lugar onde Garotão poderia fazer as terapias todas juntas e que estávamos agendados, né?
Então...
Em outubro, o Garotão (4 anos 5 meses) começou o tratamento nessa clínica... A clínica realmente é ótima. Gostamos muito dos profissionais que tem lidado diretamente com o Garotão.
Quando ele fez a avaliação com a fonoaudióloga, ela ficou encantada. Não esperava que ele estivesse tão adiantado e falando tão bem. Superou todas as expectativas.
O Terapeuta Ocupacional também foi legal. Claro que ainda estamos conhecendo o trabalho dele, mas ele já demonstrou o quanto o Garotão é super tranquilo de trabalhar.
Com a psicopedagoga também tem sido um trabalho diferenciado e pra mim, até surpreendente. O Garotão não fica sozinho com a psicopedagoga. Ele tem alguns amiguinhos que fazem aula junto com ele e com isso, o Garotão tem aprendido muito! Fiquei impressionada o dia que fiquei assistindo a aula, e ela ‘pulou’ a vez do coleguinha. O Garotão lembrou e fez a tia passar a vez pro coleguinha! O único porém é que às vezes tenho a impressão que ela meio que ‘subestima’ o que o Garotão sabe. Como ele não é de falar muito e nem de escrever, nem sempre dá pra saber  o que ele sabe. Muitas vezes, temos que explicar para ela o que ele já sabe para que ela possa fazer algo à partir daí.
Uma coisa que é incrível nessa clínica é a possibilidade de assistirmos a tudo sem necessariamente estar presente, intervindo ou com a criança nos vendo presente. É tudo acessível, com janelas amplas, grades que nos permitem observar o quanto nosso Garotão se desenvolve. Assim, posso ter noção de como está indo realmente o tratamento do Garotão.
Apesar de tanta coisa legal, tem algo que está pegando um pouco: a correria. O Garotão está fora de casa todos os dias da semana, além das aulas regulares, ou seja: terapia de segunda à sexta. Eu fico pensando que, se eu sinto um imenso cansaço, fico pensando o que será que se passa na cabecinha do Garotão. Será que ele gosta? Ou apenas se acostumou? Ou será que ele preferiria ficar em casa?
Além disso, tem a Princesa! Nós duas vamos em tudo, todas as saídas... Como será que ela se sente? Será que isso faz bem pra ela? Eu, particularmente, não tenho a menor ideia... Não quero separar os dois, na verdade, eu não quero ficar longe dos dois. Quero sempre estar perto dos dois ao mesmo tempo. Não quero que nenhum deles sinta falta de mim, e nem se sinta preterido em relação ao outro. Quero que os dois sempre tenham no coração que podem sempre contar comigo.
Por isso, já decidimos algumas mudanças para o ano que vem: Garotão irá estudar pela manhã, o que nos deixará um tempo maior para terapias (afinal, a clínica funciona até às 19h, e não teremos que pegar o trânsito louco da manhã), e poderemos rearranjar de forma que tenhamos o máximo de terapias no mesmo dia. Do jeito que está, vamos fazer no máximo 3x por semana! Afinal, ele precisa brincar, não é?

Eita, essa vida cansa!! Mas, fico na expectativa de que estamos fazendo o melhor para ele!!!

sábado, 9 de novembro de 2013

Pérolas do Garotão - Como se escreve...

Garotão agora deu pra soletrar tudo que passa pela cabeça dele.
E, com isso, o que aparece de pérolas...
Olha essa:
-Como se escreve... Shopping?
Eu devolvo a pergunta:
- Como se escreve?
- C-H-O-P

Ótimo... E aí? Tá certo?

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Pérolas do Garotão - Vagas pra Estacionar

Agora Garotão (4 anos 6 meses) deu pra vigiar vagas pra estacionamento.
Estamos sempre saindo pras terapias dele, né? E, vaga próxima à clínica é coisa raríssima...
Mas, Garotão é esperto.
Passamos perto de uma vaga e ele grita:
- Aqui! Aqui! Aqui!
Agora, com ele, ninguém mais perde lugar pra estacionar....
Hehehehe

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Educação Cristã Inclusiva


Porque, para com Deus, não há acepção de pessoas.
Romanos 2:11
Viram a expressão que acabei de inventar (tipo, procurei no Google e só achei em uns dois ou três sites... hehehehe)? Sei que é estranho pensar que não temos inclusão nas igrejas. Sim, todos são bem-vindos em nossas igrejas, mas queremos mais! Não apenas recebê-los, mas deixar que tanto as pessoas com necessidades especiais como os seus pais se sintam à vontade e aproveitem por estar conosco. Pois é, no último post eu comentei sobre a reunião que tivemos do grupo de luta pelo direito dos autistas de nossa cidade, né?

Uma das surpresas que tive na reunião foi que todos nós que estávamos presentes somos pertencentes a uma igreja batista. Achei incrível inclusive o fato de vermos que mesmo assim nós não nos conhecíamos (nossa cidade não é tão grande assim...)

Então, um dos assuntos tratados foi como é ir com nossos filhos à igreja. Bom, o meu filho ainda é pequeno, só tem 4 anos. Então, o comportamento dele ainda não ‘incomoda’ muito. Mas os outros, são maiores, e segundo os pais, eles acabam atrapalhando o culto
Um dos pais até mesmo sugeriu que uma igreja fizesse um ‘culto para os pais de autistas’ para que nós pudéssemos cultuar sem atrapalhar os outros. Eu não gostei muito da ideia, porque isso nos tornaria ainda mais isolados dos outros (isso é apenas a minha opinião!). Mas, conheço outras mamães que simplesmente não vão à igreja com o filho autista porque simplesmente não dá... assim, acabam revezando pai x mãe e a família quase nunca está completa no culto.

Bom, o que fazer então?
A igreja onde eu era, nós tínhamos várias oportunidades de inclusão. Desde crianças com dificuldades motoras, como emocionais e cognitivas. E, nunca estávamos preparados para receber essas crianças de uma forma satisfatória. Mas algo era certo: oferecíamos o máximo de amor em nossos corações.

Quando descobrimos o autismo do nosso filho, até mesmo minha postura na igreja começou a mudar. Comecei a pensar uma forma de não apenas recebermos essas crianças, mas também oferecermos uma oportunidade de participação e aprendizado: disponibilizando um voluntários específico para elas e atividades que sejam compatíveis. E, começamos a receber mais crianças especiais. E, precisamos estudar mais.

Há uns três meses, mudamos de igreja. Nessa, chegamos informando da condição do nosso Garotão. E, a atenção foi imediata. A tentativa de integração e ensino também foi bem estimulada. Tanto que o Garotão entra na salinha, já dando beijo e tchau pra mamãe. Eles não tem algo específico direcionado para a inclusão, mas o meu filho é super bem recebido  e cuidado (e a Princesa também)

E, agora, quanto as crianças maiores? E os adultos com necessidades especiais? Como é que eles podem aproveitar mais?
E, fiquei com essa pergunta na cabeça e pensando em como oferecer o melhor para esses anjos que estão nos cercando. O que nossas igrejas podem oferecer de diferencial para recebermos com amor e mostrarmos amor a essa turma?
Será que um horário de culto específico seria legal?
Ou uma sala especial, com ensino voltado para essas necessidades?
E, eu gostaria de saber de vocês... Coloquem nos comentários. O que vocês acham que as igrejas poderiam fazer para receber melhor as pessoas com necessidades específicas?
Se você quiser compartilhar sua experiência, pode me enviar para:
Se você quiser, posso postar aqui no blog, ou você pode postar no seu blog, e nós estaremos compartilhando. Se quiser dar sugestões, ou se você trabalha com Educação Cristã e queira compartilhar sua experiência, fique à vontade!!!

Conto com a participação de vocês nesse post para construirmos um ambiente em que o Amor de Deus realmente resplandeça!!

domingo, 3 de novembro de 2013

Pérolas do Garotão

Em casa, o silêncio.
De repente mamãe ouve:
- eme-e-xix-e ene-a-til-o.
Mamãe corre pra ver e descobre que Garotão fez bagunça.
Ele então repete:
- Mexe não!

Não basta prever a bronca! Tem que soletrar!

sábado, 2 de novembro de 2013

Formando um exército: Companheiros de Luta pelo Autismo


e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.
Mateus 28:20

Sábado (26.10.2013) foi a primeira vez que participei da reunião dos pais e amigos de autistas da minha cidade. E, apesar de estarmos em apenas três famílias, foi muito bom.
Foi muito bom sabermos que não estamos sós. É gostoso demais ter um grupo em que podemos compartilhar as nossas histórias, experiências e dificuldades. E, incrível que, quando compartilhamos a dificuldade de um, achamos a solução na experiência do outro!
E, não foi somente isso. Estamos arquitetando planos para que o Autismo em nossa cidade seja tratado como deve ser. Além da luta pelo centro de tratamento, estamos lutando pelo cumprimento das leis federais (como a Lei Berenice Piana) e já estamos pensando no dia 02 de abril de 2014, além da festinha de final de ano... Temos que fazer uma linda festa, né?
Mas, para 2014, estamos sonhando com uma grande caminhada em comemoração ao dia Internacional da Conscientização do Autismo e também um congresso. Já pensaram que legal? Então, já vamos começar a escrever o projeto para termos um grande evento!
Estou empolgada. É muito bom nos envolvermos na luta pelos direitos das nossas joias azuis!!