sábado, 31 de dezembro de 2011

Feliz 2012!!!


Bom, eu não sabia como deixar uma mensagem de Ano Novo a vocês. Estava pensando em fazer uma pequena retrospectiva, contar o que Deus fez durante esse ano, e como esse ano foi incrível para nós, mas chegou uma carta dos nossos missionários, do PAM Mundo, do Pr. Zick, Atleta de Cristo, e aí... Veio uma mensagem direto para o meu coração. Uma mensagem que vivi esse ano e que quero viver durante toda a minha vida.
E, que em 2012, todos possam sempre, Ficar de pé por dentro! E, assim, estar sempre, sempre, sempre de pé!

O Senhor firma os passos do homem bom, e no seu caminho se compraz; se cair, não ficará prostrado, porque o Senhor o segura pela mão”. Salmos 37.23-24
“Ouvi um pastor em um sermão contar a história de um garoto que ganhou do pai um ‘João Teimoso’. Disse ele que o pai se divertia ao ver o filho tentando fazer com que o boneco ficasse deitado e não conseguia. O garoto dava tapas, socos, derrubava e sentava-se em cima por algum tempo para ver se ele permanecia deitado, caído, mas lá vinha o ‘João Teimoso’ de volta ficando em pé novamente. Finalmente o pai perguntou ao garoto:

- O que está acontecendo, meu filho? Ele não quer ficar deitado?

O garotinho, com os olhos brilhantes, respondeu ao pai imediatamente:

- Sabe o que é papai? É qu eele fica em pé por dentro.

Quando eu pensava em o que escrever para vocês este mês, veio à minha memória essa história, e lembrei também que é exatamente isso que acontece com o cristão, filho de Deus. Muitas vezes levamos tapas, socos, nos derrubam, e o inimico tenta nos mater caídos, no chão, prostrados, derrotados. Mas aquele que que pertence de fato ao Senhor Jesus e tem o Espírito Santo de Deus habitando a sua vida, não ficará assim, pois o Espírito Santo o fará ficar de pé por dentro”.

Talvez algum de nós possa estar enfrentando uma situação de provações e dificuldades que parecem ser insuportáveis e que quererem manter-nos prostrados, desanimados, abatidos e derrotados. Saiba que a promessa do Senhor é que “não ficaremos prostrados, porque o Senhor nos segura pela mão”. Creia na Palavra de Deus, aproprie-se dessa promessa, levante-se, fique em pé por dentro e siga em frente, pois a vitória está garantida pelo Senhor Jesus Cristo.”
Pr. Zick – Atletas de Cristo/Tijuca

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Natal 2011


Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, E chamá-lo-ão pelo nome de EMANUEL, Que traduzido é: Deus conosco. 
Mateus 1:23

No dia 24 desse mês, fez um ano que postei pela primeira vez nesse blog. Quando comecei, não imaginava o que esse blog representaria.
Então, eu estava programando algo de aniversário para o dia 24 e um Feliz Natal a todos que nos acompanham por aqui...
Porém, o Senhor tinha algo a me ensinar antes de escrever. Deus tinha algo a me falar.
Diferentemente de todos os anos, a família de meu esposo fez um almoço no dia 24, ao invés da ceia à noite. Começamos com um culto delicioso com a família e, no meio do culto, um cântico tão antigo quanto eu (heheh) me quebrou:
“Descobri que Deus não vive, longe lá no céu sem se importar comigo. Mas agora, ao meu lado está, cada dia sinto o seu cuidar, ajudando-me a caminhar. Tudo ele é pra mim.”
Sim... mesmo há tanto tempo sabendo que Jesus é Emanuel, a cada dia descubro e vivo o meu relacionamento com o Senhor de uma forma cada vez mais emocionante.
Sempre que se pensa em Natal, se pensa em Jesus, como um bebezinho na manjedoura. Nem sempre conseguimos imaginar que aquele bebezinho é Deus, é o próprio Deus ali, em nosso meio. Deus Conosco.
Para mim, parece que esse ano eu experimentei o Senhor de maneira nova. Experimentei o que é ter Emanuel sempre, em todo tempo. E, então, ao relembrar o que eu vivi com Jesus esse ano, eu chorei, chorei e agradeci a Deus por ser Emanuel e por saber o que Ele é pra mim...
Meu desejo é que todos vocês possam conhecer Jesus, Emanuel e experimentar essa vida tão gostosa e ter a certeza que em todos os momentos Ele está ao nosso lado.
E, um Feliz Natal atrasado e meu desejo de um 2012 cheio da Graça do Senhor e a experiência de realmente se ter Emanuel!!!

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Compartilhando com amigos


Porque se um cair, o outro levanta o seu companheiro; mas ai do que estiver só; pois, caindo, não haverá outro que o levante. 
Eclesiastes 4:10

Na última semana tomamos a decisão de relatar as nossas dificuldades às minhas amigas mais próximas. E, também, aos nossos líderes. E, posso dizer, foi a melhor decisão que tomamos.

Sabemos que temos um suporte de oração. Não que a vida tenha melhorado (talvez sim) e as dificuldades tenham sumido. Creio que a palavra certa é que temos nos sentido ainda mais fortalecidos e temos conseguido encarar tudo com mais facilidade. Parece que estamos fortes, não por sermos fortes, mas por termos pessoas orando por nós.

Essa semana minha sogra me disse: “Não se preocupe, tem muita gente orando por vocês. “ Como isso me deixou mais animada! Como isso me dá forças para encarar crises que antes pareciam o fim, e que hoje vejo como meio de ver a manifestação da força do Senhor.

E, em resposta a todas a essas orações, em resposta ao amor de todos esses amigos, vemos e conhecemos o Senhor de uma maneira nova, em uma situação diferente e experimentamos o poder de Deus a cada dia.

Temos mais amigos para conversar, e assim, sei que o nossa rede de intercessão estará ampliando... e o Senhor estará cada dia mais nos fortalecendo!

sábado, 17 de dezembro de 2011

Por que os homens são tão infantis?


E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. 
Gênesis 1:27
Bom, esses dias descobri a resposta pra essa pergunta... hihihi. Bom, não estou dizendo que é a solução, ok? Mas digo que foi o que vivi esses dias...
Dar banho no meu filho é uma saga. Talvez uma tragédia grega. Eu chamo: “Vamos tomar banho, Garotão?”. Ele foge e se agarra na máquina de lavar. Tento tirá-lo e aí, começa o chororô.
Levo pro banheiro, tiro a camisa, e o garoto foge do banheiro e eu vou atrás de novo. E não adianta muito brincar com ele, a saga é sempre a mesma: muito estresse, banho mal dado (é quase impossível dar banho direito), e muito, muito choro.
Esses dias, ofereci ao meu marido a oportunidade de vivenciar essa saga. Eu fui deitar, já esperando o excesso de choro e de brigas, mas a minha surpresa veio quando eu comecei a escutar as brincadeiras bobas (e muito bobas) do meu marido. Eu só imaginando quando é que ia começar o esperneio. E, para minha surpresa, só risadas... E, meu marido com as piadinhas e brincadeiras, e o meu filho rindo, rindo, rindo...
Eu então, ri junto e fiquei curtindo (de longe) esse momento tão gostoso de pai e filho.
Muitas vezes não conseguimos entender o comportamento do outro, Mas, temos que nos lembrar que o Senhor nos criou segundo o seu propósito, criou homem e mulher diferentes, E o meu filho tira proveito dessa diferença. Nossa família cresce com essa diferença. E é mega feliz!
E viu Deus tudo quanto tinha feito, e eis que era muito bom; e foi a tarde e a manhã, o dia sexto. 
Gênesis 1:31

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Sendo contente com a vida.


Mas é grande ganho a piedade com contentamento.

1 Timóteo 6:6
Ser contente com a vida é um grande desafio para nós. E, ser contente com a vida tem sido a minha luta diária.
Conheci o significado desse versículo pela primeira vez num livro da Série Selena (Robin Jones Gunn). No livro, ela conversava com a Cris (Série Cris) que dizia: “Se você acha que a grama do vizinho é mais verde, porque você não rega o seu gramado?”.
Quando li todo o contexto pela primeira vez, entendi a mensagem, mas aquilo não falou para mim, afinal, não tinha o que reclamar da vida.
Hoje, porém, sinto que preciso exercitar isso em minha vida. As lutas tem sido cada vez mais intensas e muitas vezes a vontade de desistir aparece. E, na maiorida das vezes, por mais que há lutas, pareço não estar vendo qualquer resultado de qualquer uma delas. A única coisa que sinto é o cansaço e uma certa estafa: mente fraca, precisando sempre de um grande apoio para realizar as tarefas normais do dia a dia...
E, diante de tudo... como estar contente? Sei que, se eu me contentar (isso não significa me acomodar, que fique claro), poderei encarar a vida com mais alegria, e sim, sem todo o peso que às vezes sinto em mim.
É, esse ‘post’ está quase como um desabafo, não? Talvez, o desabafo, o fato de compartilhar seja importante para em cada palavra perceber que o verdadeiro contentamento se revela quando não focamos o nossos olhos nesse mundo, mas nAquele em quem temos a maior e verdadeira esperança de futuro: Jesus Cristo.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Às vezes parece que Deus está em silêncio...


Sempre gosto de começar a postagem no blog com um versículo bíblico ou com algo que claramente me faça ouvir a voz de Deus. Mas, hoje, diante de algumas coisas, parece que Deus está em silêncio, provando assim, a minha fé.

Minha vida sempre foi muito corrida, e muitas vezes, corro devido aos 3 ministérios que o Senhor me deu. E, agora que descobri que um desses ministérios vai exigir muito mais atenção e carinho do que normalmente se exige, gostaria muito que o Senhor levantasse alguém para assumir um desses dois ministérios.

Desde então tenho orado pedindo a Deus que levante ministros para essas áreas, pois um desses ministérios é exclusivo, não vou e nem devo passá-lo para outra pessoa (de jeito maneira! Esse é o maior presente que o Senhor me deu! Hihihi). E, quando achei que tinha uma resposta divina, percebi que estava enxergando errado, e novamente, estou numa luta em que pareço sobrecarregada.

Não, não vejo nenhuma sugestão de mudança, nenhuma sugestão de alívio, a não ser sentir o quanto o Senhor tem me fortalecido diariamente no meio de tantas tarefas, saídas correrias.

Ainda bem, que tenho uma certeza: o Senhor pode até não ter a resposta que eu desejo ouvir, mas nunca, nunca me desampara, e sei que esse é apenas um trecho de uma caminhada para mais perto dEle.

E, posso até não ter começado com um versículo, mas termino com o que tem fortalecido a minha fé.
Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência. 
Tiago 1:3

domingo, 27 de novembro de 2011

Precisarei assumir...



"O coração do homem planeja o seu caminho, mas o SENHOR lhe dirige os passos." Provérbios 16:9

Tenho coisas demais para relatar, mas esses relatos dependem de assumir um fato. Há quase dois meses recebemos um diagnóstico. Foi uma jornada dolorosa, que irei descrever aos poucos, pois foi longa, mesmo sendo uma jornada de pouco mais de dois meses.
Dois meses? Não. Na verdade essa jornada começou há mais de dois anos...
Mas, talvez surja uma pergunta: porque tanta resistência em assumir isso no blog? Por alguns motivos: o blog é público, muitas pessoas estarão acompanhando (olha só... estou me achando... na verdade, mais o risco de certas pessoas acharem por acaso... rsrs). E, pessoas bem conhecidas, bem próximas de nós. Não quero expor minha família, não quero que pessoas mudem o comportamento com ele por causa disso. E, também, acho injusto que pessoas que amo, não sejam as primeiras a saber. Afinal, elas cresceram comigo, cresceram com o meu filho... E, não quero que elas saibam primeiro pela internet ou por outras pessoas...
Tenho pedido a Deus para mostrar como fazer, como contar para essas pessoas que amo. Não quero chegar e contar. Peço a Deus que elas tenham curiosidade e amor e venham falar comigo, para que assim, abram caminho para que eu possa abrir o meu coração.
Então, não falarei claramente agora, até que fique claro para diversas pessoas. Aí, sim, poderei voltar para o blog e contar tudo o que está acontecendo.
E, o Senhor que cuidou de nós em tantas coisas, está cuidando desse fato, cuidando das pessoas que estarão nos acompanhando nessa nova etapa de nossa vida.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

“Eu bem sei os planos que tenho para vós...”

“Eu bem sei os planos que tenho para vós...”
“Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.
Jeremias 29:11
A primeira vez que esse texto fez a diferença na minha vida foi quando eu fiquei reprovada no vestibular. Foi em um retiro de carnaval, ainda nem namorava... eu e meu marido ainda estávamos orando...
Bom, sei que quando não passei no vestibular, para mim era como se o mundo tivesse parado, e todo o meu futuro que eu tinha sonhado a vida inteira estivesse ficado ali, naquele resultado de vestibular. Então, ao ouvir esse versículo, senti que o Senhor estava me conduzindo para o fim que eu esperava. Aí, tentei o vestibular e de novo e não passei pela segunda vez. Até o mês passado ainda não sabia exatamente que fim é esse que eu estava esperando...

No natal passado ganhei uma Bíblia Cronológica do meu marido e esse mês cheguei na parte em que o povo de Judá é deportado para a Babilônia. E, aí, veio a minha grande surpresa: esse versículo foi escrito por Jeremias, por ordem divina para um povo que acabava de ser levado em cativeiro. Já pensou o que é dizer que o Senhor tem plano de paz quando você é levado em cativeiro? Não, não dá para imaginar.

E, exatamente nesse segundo semestre o Senhor restaurou a visão desse versículo na minha vida. E junto com o versículo, o Senhor restaurou a história do povo de Judá, cativo. E, hoje, quando percebo a história que estou vivendo, ainda não vejo o fim que eu espero. Ainda vejo tudo nublado, não vejo o futuro. Mas sei que o povo de Judá também não via nada naqueles dias em que viviam na Babilônia. E hoje sabemos que o fim que o povo esperava era a chegada o Messias, que veio, morreu, ressuscitou e voltará.
Assim como o povo de Judá, sei que o Senhor está cuidando do nosso presente para que tenhamos um grande futuro!

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Uma mulher pode esquecer?

“Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti.
(Isaías 49.15)
No início de julho, meu filho fez um exame chamado BERA. É um exame para verificar audição e que requer a sedação da criança. Quando fui informada disso, fiquei apreensiva, afinal, passei por um perrengue quando meu filho nasceu justamente por causa da anestesia geral. Fiquei amedrontada, com medo que acontecesse algo com o meu filho, mas esse exame era necessário para descartar qualquer problema auditivo.
No dia do exame, eu estava tranquila. Estávamos no centro cirúrgico em 3 mães com seus filhotes. Todas amedrontadas com a sedação e eu, aparentemente, confiante. Porém, quando chegou a hora do meu filho ir para o centro cirúrgico, e de entregá-lo ao anestesista, meu coração fraquejou. Eu tinha que segurar o meu filho para que ele fosse sedado, e eu tinha que entregá-lo e eu não podia ficar com ele... Assim que ele ‘apagou’, eu desabei. Saí do centro cirúrgico chorando. A fonoaudióloga me abraçou e não falou nada, disse apenas: eu sei o que você está sentindo. Então, me lembrei do versículo acima. Eu não estava abandonando o meu filho, mas precisava deixá-lo ali. E, me lembrei que mesmo que eu não estivesse presente, Deus estava ali, cuidando do meu garoto. Era apenas um exame, nada invasivo, mas eu precisava fortalecer a minha fé em Deus. Então eu disse: mesmo que eu tenha deixado o meu filho ali, Deus está aqui comigo e ali, naquele centro cirúrgico, com o meu filho.
Após o exame, eu só poderia ver o meu filho quando ele acordasse. Fui chamada e nós fomos encaminhados para a sala de recuperação. Meu filho levantou, foi pro meu colo e ele teve a recuperação mais rápida do que as outras crianças que passaram pelo mesmo exame: sem choro, com sorrisos e brincando. Em meia hora, ele estava liberado para fazer o que ele mais gostava: mamar!
Deus esteve ali, conosco, tanto na preparação, no exame e na recuperação. E, mesmo que eu não esteja perto do meu filho, o Senhor sempre estará com ele!

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

A Influência de um Instante

E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te. (Deuteronômio 9.7)

Hoje aconteceu algo curioso. De uns tempos para cá, meu filho de um ano e oito meses aprendeu a mexer no som o suficiente para colocar as suas músicas preferidas. Hoje à tarde passei por lá e cantei com ele as músicas que ele mais gosta, fazendo os gestos. Depois, fui arrumar comida para mim.

Quando fui buscá-lo para tomar banho, me surpreendi: ele estava repetindo os gestos (do jeito dele) de uma das músicas. Quase chorei quando vi, porque só tinha feito o gesto uma vez. Ou seja, só por um instante.

Percebi então como um instante é capaz de ensinar tanta coisa a uma criança. E, parei para pensar quantos instantes meu filho passa comigo e o que ele tem aprendido nesses instantes. Ele tem aprendido o Amor? Ele tem aprendido a Palavra? Se ele me observa todos os instantes, o que mais eu tenho ensinado a ele.

A Bíblia nos orienta a forma como devemos ensinar a Palavra aos nossos filhos. Ela não fala de levar o filho à igreja, nem só de sentar e ler a Bíblia toda para os nossos filhos. Ela fala de um ensino constante, durante todo o nosso cotidiano. Um simples instante em que estamos vivendo a Palavra, nós estamos influenciando os nossos filhos.

Se nesses instantes que eles nos observam, nos desviamos da Palavra, nossos filhos estarão absorvendo tudo de uma maneira incrível, como uma esponja nova que usamos para limpeza, que absorve toda água que está em volta dela. E, nossa influência não estará apenas no ensino falado, mas no que vivenciamos com eles durante os instantes que passamos com eles.

Será que passamos instantes efetivos suficientes com nossos filhos? Nossos instantes tem influenciado mais que os instantes que eles passem em qualquer outro lugar?

Que o Senhor no oriente quanto ao convívio com nossos filhos e que nossos filhos cresçam para glória dEle.

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Jóias de ouro... em focinho de porco

“Como jóia de ouro no focinho de uma porca, assim é a mulher formosa que não tem discrição.”
(Provérbios 11.22)

Que provérbio forte, não?
Mas tem refletido exatamente o que tenho visto onde eu moro.

São lindas meninas: novinhas, corpo recém-formado pela chegada à adolescência, cabelos compridos ao vento, a beleza da adolescência irradiando no sorriso, mas...

Essa beleza está escondida por poucas roupas. Escondida? É. A beleza pura de uma garota no início da adolescência está mascarada pela exibição vulgar de seu corpo, seguindo dicas para atrair a maior atenção de garotos possível para simplesmente, não para ganhar um companheiro, alguém para amar, mas alguém para curtir, usar e ser usada.

Além disso, não bastando o vestuário (ou a falta dele), não se exibem somente como toda adolescente com seus gritos e risinhos característicos, exibem seus corpos em movimentos sensuais, acompanhando músicas cujas palavras exaltam a sensualidade.

São garotas lindas... mas assim, estão desprezando sua beleza, fazendo pouco da jóia que são. E, o pior de tudo: são nossas filhas. Porque que nossas filhas se comportem assim? Onde estamos falhando na educação delas? Ou isso não tem nada ver?

Recebemos lindas princesas em nossas mãos, para serem cuidadas, amparadas, porém, temos devolvido ao mundo garotas com 11 anos, agindo como mulheres, querendo ser mulheres e despertando desejos como se fossem mulheres.

Que o Senhor nos dê sabedoria para criarmos a nossas princesas.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Filhos x Drogas

Hoje eu estava assistindo no jornal local a luta de uma mãe com um filho viciado em drogas: violência, roubo, decepção. E eu, enquanto estava assistindo, brincava com o meu filho na sala, o abraçava e o beijava.
Fiquei imaginando essa mãe relembrando o seu filho pequeno, nos braços, abraçando e beijando.
E, então me veio a pergunta: o que podemos fazer para evitar que esses bebês tão gostosos, lindos, que apertamos, abraçamos e beijamos, sigam esse caminho tão tortuoso?
Na reportagem, o foco foi o que fazer depois que a pessoa se envolve com drogas. Mas a minha pergunta agora é: o que eu posso fazer agora, para que o meu filho não siga esse caminho tão triste e horrível?
O que se vê são projetos escolares, incentivo ao diálogo e mesmo assim, o futuro parece obscuro e o medo de perder o filho para as drogas, cada vez maior.
O melhor conselho que eu tenho é o de Provérbios 22.6 “Ensina o menino no caminho que deve andar e até quando envelhecer, não se desviará dele”.
Como ensinar esse caminho então?
Que tal começarmos ensinando o Salmo 1?

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.
Antes tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.
Pois será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; as suas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.
Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha.
Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos.
Porque o SENHOR conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá.

Que o Senhor nos ajude a criar os nossos filhos.