quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Sendo contente com a vida.


Mas é grande ganho a piedade com contentamento.

1 Timóteo 6:6
Ser contente com a vida é um grande desafio para nós. E, ser contente com a vida tem sido a minha luta diária.
Conheci o significado desse versículo pela primeira vez num livro da Série Selena (Robin Jones Gunn). No livro, ela conversava com a Cris (Série Cris) que dizia: “Se você acha que a grama do vizinho é mais verde, porque você não rega o seu gramado?”.
Quando li todo o contexto pela primeira vez, entendi a mensagem, mas aquilo não falou para mim, afinal, não tinha o que reclamar da vida.
Hoje, porém, sinto que preciso exercitar isso em minha vida. As lutas tem sido cada vez mais intensas e muitas vezes a vontade de desistir aparece. E, na maiorida das vezes, por mais que há lutas, pareço não estar vendo qualquer resultado de qualquer uma delas. A única coisa que sinto é o cansaço e uma certa estafa: mente fraca, precisando sempre de um grande apoio para realizar as tarefas normais do dia a dia...
E, diante de tudo... como estar contente? Sei que, se eu me contentar (isso não significa me acomodar, que fique claro), poderei encarar a vida com mais alegria, e sim, sem todo o peso que às vezes sinto em mim.
É, esse ‘post’ está quase como um desabafo, não? Talvez, o desabafo, o fato de compartilhar seja importante para em cada palavra perceber que o verdadeiro contentamento se revela quando não focamos o nossos olhos nesse mundo, mas nAquele em quem temos a maior e verdadeira esperança de futuro: Jesus Cristo.