segunda-feira, 29 de junho de 2015

Autismo - Identificando Emoções



Mas, se somos atribulados, é para vossa consolação e salvação; ou, se somos consolados, para vossa consolação é, a qual se opera suportando com paciência as mesmas aflições que nós também padecemos;
2 Coríntios 1:6

É incrível o quanto a Princesa tem ensinado grandes coisas ao Garotão. E  grandes sacadas, coisa de gênio.
Uma das dificuldades que uma criança autista pode apresentar é a dificuldade de identificar a própria emoção e até mesmo reconhecer emoções no rosto de outras pessoas. Desde que tivemos o diagnóstico do Garotão, temos trabalhado isso com ele. Ele não consegue identificar sua própria frustração e nem a sua própria raiva, o que muitas vezes o leva a ter reações auto-agressivas. Tentamos figurinhas, aplicativos pra tablet, desenhos, histórias sociais... mas, não conseguimos nomear as emoções.
Bom, esses dias, a Princesa resolveu manifestar sua raiva e frustração porque não queria comer. Então, imaginem a cena: voou colher, cadeira, tudo... E, eu, com uma paciência que só pode ter vindo do Espírito Santo, peguei a pequena, olhei pra ela e perguntei: “Você está com raiva?” Ela olhou pra mim, com aqueles lindos olhos pretos e enormes, começando a marejar ... Eu falei com ela: “Você está com raiva porque não quer comer? Isso que você está sentindo é raiva!”
A Princesa respondeu: “Eu estou com raiva!”.
Peguei a pequena e levei pro quarto dela, na poltrona de amamentação, peguei um elefantinho de pelúcia e disse: “Princesa, abrace o elefantinho bem forte pra raiva passar. Mamãe vai ficar com o Garotão”. E a deixei no quarto dela.
Assim que eu cheguei de volta à cozinha, o Garotão disse: “Eu não estou com raiva!”
Sim, ele está identificando que não está com raiva!!! Agora ele sabe o que é raiva porque viu a irmã com raiva... Ou seja, agora que ele viu como a irmã faz pra passar a raiva, pode usar a mesma ferramenta pra se acalmar.
No dia seguinte, fomos à casa dos meus pais e a Princesa fez aquela carinha furiosa (só que não sei porque dessa vez) e o Garotão já soltou: “eu não estou com raiva!”
Estou muito feliz. Parece coisa pouca, né? Mas identificar um sentimento, uma frustração diante de um fato, é algo muito grande. Ele entendendo o que é, pode também aprender a lidar com isso...


Vejo num novo caminho aberto. E, vejo novas vitórias.
E, como sempre, Princesa se revelando o grande Milagrinho do Garotão.

quinta-feira, 25 de junho de 2015

O Desfralde da Princesa


Tudo fez formoso em seu tempo;
Eclesiastes 3:11


Definitivamente, a Princesa está desfraldada durante o dia!!!
Eu nem acredito que ela já está livre das fraldas!
Eu estava meio que apavorada em pensar nessa fase da Princesa. O pré desfralde do Garotão tinha sido muito estressante. Só de lembrar os momentos que vivemos, eu já sentia um medo de que tudo se repetisse.
No caso da Princesa, tudo começou há um mês atrás. Percebia que a Princesa estava segurando o xixi por um tempinho bom. Mas pensei: início de inverno, será que vale a pena investir no desfralde agora? Mas, não sei de onde veio o pensamento que o momento era exatamente o dia seguinte: uma segunda-feira. Ela já ficava de calcinha em casa, mas nunca chegava ao piniquinho. Conversei com ela durante a semana anterior e que ela iria de calcinha para a escola na segunda feira (18.05.2015).
Em casa, passamos adotar pequenas recompensas a cada acerto no piniquinho (uma estrelinha desenhada na mãozinha). Funcionou. Nenhum acidente dentro de casa. E aí, o próximo passo: a escola.
E, desde então, tivemos apenas dois acidentes na escola! Como assim? Simples assim? A pequena realmente assumiu que não usava mais fralda...
Mesmo assim, mais uma etapa: e fora de casa? Como faremos? Passamos um mês com a pequena usando calcinha em casa, na casa dos avós. Mas, em outros ambientes, fraldinha...
Mas, então, nesse fim de semana (20.06.2015) fomos a Assembleia da União Feminina Missionária Batista (UFMB) do nosso estado. Levamos a pequena de fraldinha porque não sabíamos as condições dos banheiros do local. Ficamos tranquilos, pensando em vigiar quando a fraldinha enchesse.
E, então, veio a surpresa: ela pediu pra fazer xixi. Bateu o desespero. E agora? Não tínhamos adaptador de vaso, o banheiro não era fácil, mas mesmo assim, levei. Fiz uma proteção com papel higiênico no assento, tirei a fraldinha: sequinha! Então, coloquei ela no vaso e ela fez xixi! Não acreditei. Quase chorei e fiz a maior festa. E, durante o dia inteiro, a Princesa não molhou a fraldinha nenhuma vez e pediu umas três vezes para ir ao banheiro. E, só trocou a fraldinha porque foi tomar banho. Chegou em casa, com a fraldinha sequinha e foi direto para o piniquinho.
Diante desse acontecimento, eu acredito que a Princesa está 100% desfraldada durante o dia! Próximo passo, desfralde noturno. Mas acredito que ela sinalizará quando estiver pronta.
Eu nunca imaginei que seria assim tão simples. O que facilitou esse marco de crescimento foi esperar e perceber o tempo dela.  Cada coisa tem o seu tempo, e muitas vezes nossa função é perceber e viver... Curtir cada coisa que Papai do Céu nos proporciona...
Depois, se quiserem, podem ler como foi o processo de desfralde do Garotão...













domingo, 21 de junho de 2015

Um Berço na Assembleia da União Feminina Missionária Batista


Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.
Provérbios 22:6
Ontem (20.06.2015), foi a Assembleia da UFMB do meu estado. Para nós, uma viagem de duas horas e meia de ônibus, a família inteira: Papai, mamãe, Garotão (6 anos) e Princesa (2 anos 2 meses) e a vovó, todos no ônibus da igreja.
A Assembleia foi incrível, mas teve uma cena que pra mim foi a mais marcante. Ao chegar no ginásio, à frente, ao lado da mesa diretora: um bercinho rosa, com a bebê da secretária da Diretoria da UFMB.
Prosseguiu-se a programação com o momento cívico e a entrada das bandeiras e a seguinte imagem ficou na minha cabeça como uma profecia: A bebê, hoje no bercinho, ao lado da mãe, em breve poderá levar a bandeira de cada organização da União Feminina Missionária Batista do Brasil: primeiro de Amigo de Missões (AM), depois das Mensageiras do Rei (MR), logo depois Jovens Cristãs em Ação (JCA) e concluirá sua carreira como Mulher Cristã em Ação (MCA). E, também já a vejo, pelos olhos da fé, essa pequena ocupando um dos lugares daquela mesa, conduzindo as mulheres batistas do nosso campo.
Foto: Luana Rosa Bastos
Algumas coisas que aprendo com essa imagem:
- Primeiro, filho nunca é impedimento para realizar o Ministério que Deus nos concede. A secretária tinha um ótimo e justificável motivo para não estar à mesa, mas não o usou. Muito pelo contrário. Carregou a filha com ela, bem juntinho.
- Segundo, Ministério não é motivo para nos afastar dos nossos pequenos. Muito pelo contrário. Nosso ministério não deve afastar dos pequenos. Mesmo exercendo o ministério, os nossos pequenos não podem ser impedidos de ficar conosco. Nossos pequenos precisam de nós. Se eles precisam mamar ou de colo, mesmo no meio do trabalho, nossos pequenos precisam ter acesso a nós. O bercinho ali ao lado estava à mão da mãe. A hora que a bebê  requisitasse, a mãe estaria ali pertinho para suprir.
- Terceiro: como é importante uma equipe para dar suporte! Não era apenas a mãe que pegava a bebê. Muitas mulheres ali estavam entre o trabalho e também apoiando a mãe secretária. Muitas vezes vi a bebê às farras e gargalhadas nas mãos das mulheres que trabalhavam pela realização do evento.

- E, por último, meus parabéns à secretária mamãe ou mamãe secretária. Parabéns pela coragem de ter sua filha ao lado durante o seu ministério. Obrigada por nos inspirar e mostrar que nem filho e nem ministério devem nos separar um do outro. Muito pelo contrário... são apenas lados da mesma mulher. Servir, ser mãe... podemos ser integralmente... as duas! Assim, você está conduzindo sua pequena para que em breve ela se entregue integralmente aos pés de Cristo.
Parabéns!

terça-feira, 9 de junho de 2015

Festa de Aniversário: Música


“Tudo quanto tem fôlego louve ao Senhor. Louvai ao Senhor.” Salmos 150:6

Esse ano resolvemos fazer uma festa única para a dupla (2 e 6 anos). Apesar de um ser de março e outro de maio, conseguimos achar uma data intermediária que meu esposo estivesse em casa e fizemos a festa.
Contratamos um buffet, com um salão incrível, com brinquedos para todas as idades (inclusive adultos). E, o melhor de tudo foi ver o quanto a duplinha se divertiu. Tanto que a Princesa foi achada no final da festa dormindo no pula-pula. Eles ainda pede pra ter uma nova festa de aniversário. Foi impressionante o quanto o Garotão curtiu não só os brinquedos, mas se deliciou com os parabéns, cantando, batendo palmas e ainda, para surpresa de todos, soprando a velinha! Só não sei se consigo proporcionar algo desse nível pra eles ano que vem.
Como a dupla gosta muito de cantar, escolhemos Música, como tema. Figuras musicais, notas, pautas... tudo isso bem representado nessa festinha infantil.
Também aproveito para deixar fotos da decoração da festa das crianças. Quando escolhemos, tivemos grande dificuldade pra achar figuras legais com o tema  que queríamos.
Ainda bem, tivemos o apoio de uma empresa fantástica de decoração que fez algo lindo, uma festa linda para a dupla.

Segue então, as lindas imagens da festa linda que a dupla curtiu!

Bombons personalizados: Clave de Sol - Festa Música