sábado, 1 de junho de 2013

E a escrita?


Por que, pois, desprezar esses humildes começos? 
Zacarias 4:10

Enquanto o Garotão aprende a conviver com a irmã, ele também tem enfrentado desafios na escola. Estamos com 4 anos, no Grupo 3. Começam agora as tarefas de pintura, escrita... seria tudo ótimo se não fosse um detalhe: o Garotão não pega num lápis, caneta ou qualquer outra coisa parecida para pintar, escrever, enfim... não usa os rabiscos voluntariamente.

Não tem aquelas fases que as crianças passam quando estão crescendo? Rabisco, círculos, tentativas de representação? Garotão não passou por nenhuma delas simplesmente porque não tem o menor interesse nesse tipo de registro!

No ano passado, no Atendimento Especializado, a professora dele conseguia que ele rabiscasse um pouquinho. Esse ano, ele simplesmente se recusa a pegar um lápis. Na escola regular, ele só usa o lápis se a estagiária pegar a mão dele e colocar sobre o papel e guiá-lo. Com isso, ele acaba só querendo escrever assim.

Então, tentamos em casa deixar sempre lápis e papel disponível (canetinha, giz de cera, lápis de cor... muita variedade), para ver se ele se interessa... Fiquei meio triste porque nem uma parede foi riscada... Ele só se interessa em tirar os lápis da caixa e guardá-los de novo.

Agora, vem a parte engraçada: com um pequeno empurrãozinho, ele escreve! Tipo, ele não desenha, não pega, mas ele desenha letras!!
E então? O que fazer?

A pressão em cima dele é muito grande, e em cima da gente também. Conversei com o meu esposo e chegamos a uma decisão: vamos tratar essa de escrever como se fossem pérolas. Não era assim quando ele estava começando a falar? Então, a expressão gráfica também será assim. Sempre estaremos estimulando o Garotão. Quando ele pintar,desenhar ou escrever, faremos uma festa daquelas.


O resultado pode até demorar, mas vai ser tão lindo quanto a fala!!!