terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Como se tivesse um ano


Por que estás abatida, ó minha alma, e por que te perturbas dentro de mim? 
Salmos 42:11a

Esses dias, nós temos estado muito felizes com os progressos de nosso filho. Ele resolveu soltar a língua. É a coisa mais linda... Ficamos sempre emocionados quando ele repete uma música, repete o que falamos... É tão lindo!

Ele fala mamãe (aí, eu choro!), fala papai, quando a gente chama “Gatinho!” ele responde “miau”. A última pérola foi “Papai, boua?” que é “papai, bora?” Muito gostoso!
Mas, numa dessas brincadeiras, meu coração ficou triste... Essas brincadeiras são muito comuns para crianças de 1 ano, 1 ano e meio de idade. Meu filho tem 2 anos e 8 meses! Ele está nessa nova descoberta há 2 meses. Um desenvolvimento de criança de 1 ano numa criança de 2 anos.

Fiquei triste e guardei isso no meu coração para compartilhar com o meu esposo posteriormente. Não queria que meu filho percebesse o que eu estava sentindo. Depois que ele dormiu, conversei com o meu marido. É tão estranho! Eu estava triste, e parei de comemorar tantas vitórias, que eu deveria estar saltitante.
Então, pensei duas coisas:
- O meu filho fala nesse nível porque está aprendendo a falar agora?
Ou...
- Ele tem o desenvolvimento da aprendizagem própria de uma criança de 1 ano?
Essa dúvida ficou corroendo o meu coração. Não quero pensar que o meu filho tem déficit de aprendizagem, é meio doloroso. Mas eu não posso ficar pensando nisso. Não posso deixar o meu coração atribulado com essa dúvida. Cheguei à seguinte conclusão:

Vou esperar a terapia com psicóloga para perguntar. Enquanto isso, a cada palavra, a cada progresso, festa, festa, festa!
Espera em Deus, pois ainda o louvarei, o qual é a salvação da minha face, e o meu Deus. 
Salmos 42:11