sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Uma Nova Rotina, novos amigos


Até a criança se dará a conhecer pelas suas ações, se a sua obra é pura e reta. 
Provérbios 20:11
Essas duas semanas, temos estado fora do Estado, hospedados em um seminário, onde estou cursando a minha pós graduação. Vim para cá com medo da adaptação do meu filho a essa rotina (as crianças autistas são muito ligadas à rotina, as mudanças geram estresse, que elas extravasam geralmente através de muita birra).

Para nossa surpresa, nosso filho chegou como se estivesse em casa. O seu comportamento tem sido espetacular. Faz coisas que nem em casa ele faz normalmente, como acordar bem humorado, sair de casa andando (ao invés do colo), andar na rua de mãos dadas, muitas coisas diferentes.

Mas, o que mais me impressionou não foi o que meu filho ganhou aqui no seminário. Aliás, sim, o que ele ganhou. Ele ganhou um novo amigo. É um amiguinho da mesma idade que ele (só 5 dias mais novo!), 2 anos e 8 meses que também mora aqui.

Nós descemos hoje à tarde para a quadra e lá estava o amiguinho. Ele tentou o máximo contato com o meu filho. E fazia de tudo: brincava de carrinho, jogava bola, empurrava, corria atrás, e meu filho não respondia de jeito nenhum. Mas, aí, aconteceu: o amiguinho pisou na bola, levou um escorregão e se esborrachou no chão. Nós ficamos assustados e corremos para ajudar. Meu filho começou a rir. Ficamos preocupados de vê-lo rindo do amiguinho. O amiguinho se levantou, com dor (dava pra ver nos olhinhos dele) e começou a rir também. Fiquei com uma dó do amiguinho porque ele ria e chorava ao mesmo tempo. Chorava pela dor da queda, ria, porque tinha conseguido a atenção do meu filho!
E, depois disso, o amiguinho começou a brincar de se jogar no chão, só para fazer o meu filho rir, só para chamar atenção do meu garotão. Fiquei impressionada com o amiguinho... Foi tão ignorado durante tanto tempo e depois, faz tudo para conquistar o meu filho.

Bom, pra dar um final, bem que o amiguinho tentou, mas depois da queda, não conseguiu a atenção do meu filho por muito tempo. Mas, registro o coração puro desse amiguinho, que fez de tudo, para conquistar o meu garotão. Amiguinho, o seu tamanho pode ser pequenininho, mas o seu coração, é mais que grandão!
E qualquer que receber em meu nome um menino, tal como este, a mim me recebe. 
Mateus 18:5