sábado, 8 de março de 2014

E o Remo se foi...

Dou graças ao meu Deus todas as vezes que me lembro de vós,
Filipenses 1:3

Fico pensando como uma coisinha tão pequena ocupa um espaço tão precioso em nossa vida...
O Remo chegou em nossa casa quando o Garotão fez dois aninhos. Foi uma festa. Ele amou o bichinho. Claro, não gostava muito de pegar, mas adorava quando o Remo brincava na bola...
O nosso hamster chegou bem pequenininho, parecia uma coisinha tão delicada, tão indefesa... E tínhamos até medo de deixá-lo sozinho na gaiola... tínhamos medo do frio, dele não sobreviver... Enfim, nos apegamos bastante.
O Garotão gostava tanto de brincar com ele na bola, que a bola quebrou. O Remo passeou pelas casas dos avós e tios do Garotão e da Princesa. Deu um susto nos tios, quando fugiu da gaiola e se escondeu embaixo da cama...
E o Remo cresceu. Virou um Hamster Sírio Obeso... ficou gordão... lindo! E, compramos uma casinha bem maior pra ele... Colocávamos a comida em andares diferente pra ele fazer ginástica. Compramos outra bola, e agora, para brincar também com a Princesa... que também se apaixonou pelo bichinho... Ia na casinha dele, batia até ele aparecer. Ele aparecia e ela ria muito... Corria atrás dele na bola, tentava pegar...
E, não sabíamos que o tempo passava rápido demais pra ele... Sentíamos que ele estava ficando mais cansado, mais triste... mais quieto... e, no dia que a Princesa adoeceu, ele se aquietou demais... simplesmente deitou no porãozinho...
Eu senti que algo estava errado, mas não consegui pensar em outra coisa... Afinal, a Princesa estava bem dodói... Saímos correndo pro PS... E, quando voltamos... ele já havia partido.
Senti muito, muito mesmo... E aí veio a dúvida: como dar essa notícia para o Garotão? Como contar pra ele que não teríamos mais o Remo???
Quando ele chegou da escola, pegamos o Remo e colocamos numa caixinha... juntamos o Garotão e a Princesa e falamos:
“Vamos dar tchau pro Remo? Acabou o Remo! Não tem mais Remo!”
Demos tchau todos juntos e nos despedimos...
Garotão não procura mais pelo Remo, mas a Princesa ainda vai no cantinho onde fica a casinha. Eu ainda não tive tempo de guardar a casinha do Remo... então a saudade bate ainda mais forte...
Então, agradeço muito a Deus por ter deixado o Remo conosco por esses dias. Agradeço a titia que deu esse presente gostoso pros pequenos (sendo que na época, era só pra um... hehehehe)... Como os dois cresceram com esse bichinho...
E, assim, novamente digo: Tchau, Remo!!!!