quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Uma noite de choro



O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã. 
Salmos 30:5
Bom, ontem tive um dia terrível! Estive muito cansada e sempre que eu pensava em algo que tinha que fazer até o meu marido voltar de viagem, meu coração se desesperava... Parece que nunca acumulei tanta coisa pra fazer!

Além da sobrecarga, desde sexta-feira que não durmo direito porque o meu filho tem tossido a noite inteira. Levei-o ao médico e a otorrino não achou nada, mas como estamos com um surto de coqueluche no estado (parece que até pessoas vacinadas estão pegando), pediu pra vigiar febre e prostração. Então, é sono e tarefas acumuladas me deixaram muito nervosa.

E, para facilitar, o Garotão (3 anos 6 meses), também estava absorvendo todas essas emoções e estava extremamente sensível e agressivo. E, ontem, a ‘coisa’ estourou.
Na ida pra escola, ele fez muita pirraça no caminho: primeiro, começou a jogar a mochila no chão a cada metro andado. Depois, resolveu se jogar no chão e simplesmente empacar. Foram momentos tensos, mas o mais incrível é que depois da ‘confusão’, ele voltou a andar alegre e olhando as placas, como ele gosta de fazer. Mas eu ainda estava irritada. Quando deixei-o na escola, aquele olhar gostoso dele quebrou o meu coração... fiquei arrasada... voltei chorando para casa. Chorei a tarde inteira... Chorei muito. Senti que desfalecia e lembrei de um hino. Simplesmente então, me derramei perante o Senhor.

Com a minha voz clamo ao Senhor
Com a minha voz clamo ao Senhor,
Com a minha voz ao Senhor suplico.
Diante dele a prostrar-me eu estou,
Diante dele exponho a minha aflição.
Quando aqui dentro de mim
Esmorece o meu espírito,
Tu então conheces minha vereda.
Olho à mão direita e vejo;
Não há quem me conheça,
Não há lugar onde me refugiar.
Ó Senhor, a ti clamei,
Pois tu és o meu refúgio
E o meu tesouro entre os viventes.
Vem, atende o meu clamor,
Estou muito abatido.
Livrar-me vem do forte tentador.
Tira-me desta prisão
E assim louvarei teu nome,
E então os justo me cercarão.
Meu Senhor, eu clamo a ti:
Oh, vem livrar minha alma
E cantarei que me fizeste bem!
Quando fui buscar o Garotão de tarde, eu já estava bem melhor. E ele também. Ele veio pra casa andando, sem crises, foi para a quadra, para o parquinho e até se arriscou a escorregar no escorregador grandão. Foi muito gostoso. Subimos e ele estava ótimo. Senti que o meu coração recebia o alívio do Senhor. Na hora de dormir, porém, um susto: o rostinho dele ficou todo empolado, todo vermelho e cheio de bolinhas. Suspeito que o bichinho de pelúcia dele esteja dando alergia. Tirei o Tutuba (o tubarão de pelúcia) da mão dele e lavei o rostinho dele. Fomos dormir somente quando melhorou o aspecto da ‘empolação’.

Hoje me sinto mais renovada, alegre. Ainda não fiz nada do que tinha que fazer, mas vou mandar ver. O dia hoje vai ser pesado. Tenho que buscar a receita do Risperdal com a neuro, em outra cidade (2h de ônibus), e ainda terminar todas as tarefas da semana. Mas, tudo bem, hoje me sinto renovada!