quarta-feira, 21 de novembro de 2012

A questão do parto



Mas tu és o que me tiraste do ventre; fizeste-me confiar, estando aos seios de minha mãe. 
Salmos 22:9

Hoje eu tive consulta mensal com a obstetra. Fui perguntar pra ela qual seria o limite que a nossa Mensageira (23 semanas 5 dias) estaria chegando, porque na gravidez do nosso Garotão, há 3 anos e meio atrás, eu fiquei na expectativa que o nosso Garotão chegaria antes da DPP. E, quanto mais o tempo passava, mais nervosa, triste eu ficava. E ainda mais, que eu esperava um parto normal, e mesmo tendo ficado naquela expectativa, acabei fazendo uma cesariana.

Então, a GO (ginecologista/obstetra) disse que levaria até 41 semanas, mas que poderia prorrogar se os exames estivessem tudo certinho. Achei que o papo estivesse encerrado, quando ela perguntou: “O que te disseram que te deixou tão triste?”

Aí, desabafei. Disse que sentia muito frustrada por não ter conseguido que o Garotão nascesse de parto normal. Que estava com grande medo de não conseguir de novo, de ficar na expectativa, enfim, desabafei. Então, a médica falou um bocado de coisas, de novo o papo de que tem coisas que nós não podemos definir, que tem coisa que só Deus pode definir.

Achei que esse papo fosse resolver a minha vida, ou fosse ficar mais tranquila em relação ao parto... mas, muito pelo contrário. Praticamente entrei em depressão. Chorei no carro, cheguei em casa bem deprimida. Tanto que meu marido disse que se alguém nos visse chegando, sabendo que fomos ao médico ver o neném, iria dizer que tínhamos péssimas notícias.

Subi pro nosso apartamento, fui direto pro quarto, deitei e chorei. Como é que a via de parto podia interferir tanto na minha vida, interferir tanto nas minhas emoções? Tudo que eu vejo sobre PN mexe demais comigo. Eu choro, eu me deprimo. Eu achei que já estava tratada dessa ‘cesárea’.

Então, meu esposo deitou comigo, começou a me ouvir. Então, peguei um livro (vou falar depois sobre ele) que o pastor me emprestou “O que esperar de Deus na Gravidez” e abri no devocional que tinha o versículo que abro esse post.

Mostrei pro meu esposo o que vem me atormentando desde que descobri que estava grávida. Quem trouxe o meu filho ao mundo não foi o médico, foi Deus. Quem vai trazer a minha princesa ao mundo não será o médico, não sou eu. Será novamente Deus. A minha médica disse que o que eu quero é dar uma de Deus. O que eu posso definir sobre o meu parto é se vou enfrentar a dor, que vou lutar assim que entrar em TP, e não vou desistir. Não posso definir a saúde do bebê,não posso definir se entro ou não em TP, não posso definir a posição do bebê... Tem coisas que não dependem de mim. Dependem de Deus.
E, porque não entrego isso para Deus? Porque não consigo confiar que Ele vai fazer o melhor? Preciso aprender a confiar, tanto a minha alma, como a via de parto da minha princesa.

Para encerrar, vou escrever o que a Cathy Hickling escreveu sobre esse texto:
Quando medito sobre este versículo, posso visualizar o Senhor gentilmente trazendo meu bebê a este mundo. Suas mãos oferecem uma bênção e uma unção ao nascimento desta criança. Seu Espírito descansa sobre o bebê desde seu primeiro fôlego de vida, atraindo a segui-lo.
Este versículo também me assegura que o bebê não vai nascer nem cedo nem tarde. Se o próprio Deus o trará para fora do útero, a hora será perfeita.”
Oração: “Pai, obrigada por tua Palavra e pelos exemplos que ela contém, nos quais posso me agarrar e meditar. Confio que o Senhor estará com esta criança na hora do nascimento, retirando-a de meu útero na hora certa. Oro para que ela venha a confiar em ti desde seu primeiro fôlego de vida.”

Preciso de uma fé assim..

12 comentários:

  1. Olá Mamãe!

    Calma. Escolha sim depender de Deus e tudo se ajeita.

    Beijos!

    Equipe MR.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente!! Creio que esse é o maior problema: a dependência!!! Por isso que ficamos tão frustrados, né? É essa a luta diária humana: entregar-se definitivamente a Deus!!! É uma luta diária, e vamos que vamos!!!

      Excluir
  2. Oi linda, sei como você se sente, eu desde que engravidei planejei ter parto normal, mas infelismente, foi cesareana. Após 4 dias em trabalho de parto e tendo contrações meu filho não nascia.
    No meu caso meu filho resolveu virar e ficar sentado, não nasceria nunc mesmo.
    Foi frustrante sim, mas não era para ser.

    Se acalme que tudo tem um motivo de ser, o que importa é que no final as coisas deem certo e que todos fiquem bem.

    Beijos

    www.mundodejanalbert.blogspot.com
    www.mamaesemrede.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salua, é por isso que preciso tratar essa frustração... porque pelo lado racional, eu sei que não tenho nem o que ficar triste, sabe? Mas parece que isso ainda me afeta... não deveria, né? Imagino o que vc deve ter sentido, principalmente passando quatro dias em TP... Obrigada pelas palavras e pelo carinho!
      Um beijo!

      Excluir
  3. Ju, eu acho legítima essa dor, não concordo que vc quer dar uma de Deus, acho que vc se preocupa com sua saúde com a saúde do bebê e é mesmo frustrante ter que passar por uma cirurgia quando vc quer muito ser a protagonista no momento do nascimento. Eu não tenho filhos mas me angustia pensar que talvez eu tenha que ser operada pra tirar o bebe de dentro de mim, então desde já antes de me planejar pra engravidar eu penso muito e quero um médico onde eu tenha 100% de certeza que vai me respeitar e me deixar parir em paz, sem fazer terrorismo e me colocar medo a respeito da via de nascimento do meu bebê. Essa frustração eu acho que vc só vai tratar num futuro parto do jeito que vc sonhou e planejou e creio firmemente que Deus é justo pra te dar esse presente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claudia, querer determinar a forma que meu filho virá ao mundo não é função minha. Só posso me preparar para aquilo que o Senhor tem para mim... E, aceitar, né? Confio em minha GO, sei que Deus a colocou em minha vida. Por isso o medo. Sei que o Senhor quer o melhor pra mim, para o meu esposo, e para o meu filho... mas, por não confiar exatamente, entregar por inteiro, fico assim, cheia de dúvidas e medos... A médica já disse: não há nada que impeça o PN, só o momento é que pode dizer... E isso, é algo que só o Senhor define, certo? E, a justiça de Deus não é como a nossa... achamos que Ele fará algo... mas, o melhor dEle não é o previsível... Por isso, vou prosseguir orando, pedindo que ele me ajude a em entregar por completo...

      Excluir
  4. Olá querida... amei o blog e já estou seguindo!!
    Esee negocio de parto é mt complicado não é mesmo?
    Insisti e implorei ao meu médico pelo parto normal... ele disse qe estou engordando com muita facilidade ee por isso é capaz de ter parto cesarea.
    ele ja me passou um cardapio e estou seguindo a risca para poder ter o meu menino de parto normal...
    Vamos sempre com a Fé em Deus né?

    Bjs

    www.aminhagravidezs2.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Ei, Jéssica!!!
    Obrigada pela visitinha!!! Eu tb tenho engordado bastante, mas a minha médica não falou sobre isso me impedir de ter PN. Ela disse que o risco é da pressão subir, e não simplesmente por engordar. Eu tô na academia tb, pra tentar não engordar mais.
    Um beijo!!!

    ResponderExcluir
  6. Eu precisava ler isso amiga! Obrigada por ser instrumento de Deus pra mim! Deus abençoe sua mensageira! Manu manda beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Adelle!!! Que bom que Papai do Céu falou com vc... Fico feliz... Tb preciso aprender muito do que escrevi... Dá um beijo na Manu por mim (será que dá? hihihi) Um beijo!!!!

      Excluir
  7. Amiga, eu me emocionei muito ao ler seu post ! Seja forte, amiga, do jeito que Deus planejar pra vcs, será, Ele sabe o melhor pras nossas vidas, não é ?

    Eu tbm tenho meus momentos de depressão, cada vez menos, graças a Deus! Orando e pedindo a Deus, a gente vai se fortalecendo e tendo cada vez mais noção de que quase nada depende do nosso querer...

    Também tenho uma frustração da outra vez: a amamentação. Não consegui, tive fissuras, sangramentos, dor, inchaço, infecção, febre, calfrios... sinto culpa por ter dado leite em pó ao Heitor desde tão cedo, mas... fazer o que, né ? Ele tá aí, lindão, fortão!

    Vai dar tudo certo, amiga ! Eu creio e tenho certeza absoluta que vc tbm crê !

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Mirella.. eu estou orando para que o Senhor consiga tirar essa preocupação que eu prossigo tentando segurar comigo... Sei que tudo dará certo... mas eu quero que seja do meu jeito, né? Mas, estou orando diariamente para que o Senhor me ajude. Tudo é questão de entrega, né? E, eu não consigo imaginar sua frustração por não ter amamentado ao peito... acho que seria outra coisa que me doeria abessa...
      Mas, seja forte tb... vamos conseguir vencer até mesmo as frustrações!
      Um beijo!!!

      Excluir

Obrigada pela visita!
Estarei respondendo aqui mesmo pelo blog, ok?
Que Papai do Céu te abençoe!!!