terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Autismo e Medicação: Reduzindo a dose


Bom é louvar ao SENHOR, e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo;
Para de manhã anunciar a tua benignidade, e todas as noites a tua fidelidade;
(...)
Pois tu, Senhor, me alegraste pelos teus feitos; exultarei nas obras das tuas mãos.
Quão grandes são, Senhor, as tuas obras! Mui profundos são os teus pensamentos.
O homem brutal não conhece, nem o louco entende isto.
(...)
Mas tu, Senhor, és o Altíssimo para sempre.

Salmos 92:1-8




O ano de 2014 começou com uma ótima notícia!
Hoje foi dia de consulta com a neuropediatra. Ela saiu da clínica da universidade onde fazíamos acompanhamento e agora estamos fazendo o acompanhamento particular.
Estávamos numa ansiedade muito grande, porque desde 2012 estávamos na perspectiva de redução da dosagem de risperidona. Mas com a gravidez, a neuro achou que seria muita mudança para o Garotão (4 anos 7 meses): chegada da irmã e ainda a retirada da medicação. Então ficamos esperando o grande momento em que isso aconteceria.

Então hoje, acordamos cedo e fomos para o consultório. A consulta foi uma delícia. A dra. Luziene estava encantada com o Garotão, ele falava, brincava, era espontâneo, ela lia os relatórios e se empolgava... E dizia que o avanço dele era o maior presente dela.
Depois de todos os relatos, então, perguntamos:
“E aí, podemos reduzir a medicação?”
E ela respondeu: “Podemos sim!”
Estamos comemorando esse grande passo do Garotão!! Antes era 0,75 mg por dia (0,25mg pela manhã, 0,75 à noite) e agora, estaremos fazendo 0,25 mg pela manhã e 0,25 mg à noite...
E, ficaremos assim por um mês, observando o comportamento e o sono... depois...
Bom, depois é depois,né?
Em abril, teremos retorno para avaliação.

Ou seja: sempre há esperança!!!