domingo, 19 de janeiro de 2014

Construindo um Conector

Guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome.

Há quase um ano atrás, quando viajamos para o Rio de Janeiro pela primeira vez com a Princesa, tivemos um certo medo: como ficar com o Garotão perto da gente e ainda segurar a Princesa? Ele é uma criança obediente, mas às vezes tem reações imprevisíveis. Imagina ele saindo correndo e eu segurando a Princesa no colo?

Então, fomos atrás de um conector para nos ajudar. Vimos umas mochilinhas que vinha com uma cordinha que ficava presa na mão de quem conduzisse a criança. Mas, achei o valor dessa mochilinha fora da nossa realidade.

Então, a viagem ia chegando, e nós não sabíamos o que fazer. Até que apareceu uma ideia. Eu tinha um cinto meio que elástico. E se nós achássemos esse elástico e colocássemos um botão?

Marido foi atrás do elástico e achou um rosa. Comprou cerca de um metro, colocamos dois botões de pressão, e pronto! Nosso conector estava pronto!

Puxa vida! Esse conector foi uma bênção. Podemos manter o Garotão perto de nós, sem problemas, ele é bem discreto, fica mão com mão. Eu só faria um pouco mais curto, para que não seja muito perceptível que o Garotão está ligado a mim por uma cordinha.

Mas, mesmo com o conector, sempre fico de mãos dadas com o Garotão. Ele precisa saber que o conector é apenas uma segurança a mais, e que a mão da mamãe (ou do papai) é o que é mais importante pra segurança dele.

Elástico para cinto (não achamos outra cor... acabou sendo rosa!)

Botões de pressão nas extremidades

Mamãe e Garotão de mãos dadas