domingo, 6 de janeiro de 2013

Desfralde de uma Criança Autista: quando bate o estresse



Olha para mim, e tem piedade de mim, porque estou solitário e aflito.
As ânsias do meu coração se têm multiplicado; tira-me dos meus apertos. 
Salmos 25:16-17

Estamos desde o dia 1º. De janeiro começando o desfralde. Contei AQUI que o Garotão sinalizou por ele mesmo o começo desse processo.
Mas, acho que fiz algo errado.

O Garotão (3 anos 7 meses) estava falando toda hora em ‘cocô’ e eu corria para levá-lo ao banheiro e nunca acertava. Peguei uma vez ele fazendo, corri para colocá-lo no vaso... e foi terrível.

Briga, pontapés, ele se endureceu todinho e simplesmente segurou... e depois, dava pra ver que começou a doer.

Desde então, está difícil me aproximar dele nesses momentos. E, o pior, até mesmo para limpá-lo. Tanto que a última vez ele criou tanta confusão para limpar, que sujou o banheiro todo... e, claro tive que limpar.

E, parece que, com a gravidez (30 semanas), as coisas ficam ainda mais difíceis e eu ainda mais sensível. Uma pequena coisa me desestabiliza e passa pra ele...

Quando li vários aertigos, com várias dicas, as coisas pareciam bem fáceis... mas, a prática é totalmente diferente. Existem situações totalmente fora do esperado, que fogem às dicas, e são com essas que temos que lidar e ainda, arranjar uma solução, né?

Mas, vamos que vamos. Ainda não desisti do desfralde. Não é um desfralde efetivo, já que ainda não saímos sem fralda. A jornada é longa, mas sabemos que logo chegaremos ao uso da cuequinha integral!