quinta-feira, 28 de junho de 2012

A importância da parceria com a escola


E consideremo-nos uns aos outros, para nos estimularmos ao amor e ás boas obras, 
Hebreus 10:24
Dias atrás tive um pequeno desentendimento com a pedagoga da escola do meu filho. Acho que não posso dizer que foi um desentendimento. Só que a pedagoga vinha falando coisas que eu não estava gostando... Na verdade, ela só falava uma coisa: o Garotão estava dormindo na sala de aula.

Desde o início do ano ela vinha falando sobre isso. Ela dizia que a medicação o estava deixando sonolento. Eu protestava que não fazia sentido, já que em casa pra ele dormir de tarde é quase uma apoteose! Então, eu dizia que a culpa era da escola que não conseguia mantê-lo com interesse nas atividades. Então pensávamos que quando chegasse a estagiária que daria a atenção especial, ele pararia de dormir em sala de aula.

Finalmente a estagiária chegou e começamos a observar as diferenças: o garotão realmente tinha passado a dormir menos na sala de aula, pelo menos era o que a professora, a estagiária e a apoio relatava que ele tinha diminuído o tempo de sono, mas sempre precisava de uma soneca. Enquanto a equipe da sala comemorava o tempo que ele não dormia, a pedagoga me cobrava o fato dele ainda dormir na sala de aula. Dizia que ele ia pra escola e perdia tempo, até pensou na possibilidade de mudá-lo de turno. Incomodada com tanta cobrança, marquei uma reunião com a professora pra saber exatamente o que andava acontecendo.

Nesse ínterim, o Garotão falou a primeira palavra na escola (cliquei aqui pra ler como foi), mas ainda vigorava a importância de se dormir na escola.
Então, tomei a iniciativa de marcar uma reunião com a professora. A reunião foi boa, porque tanto a professora, como eu compartilhamos muito o que o Garotão anda aprendendo na escola e aprendendo em casa.

A grande surpresa da reunião foi vermos que o Garotão tem aprendido sim na escola, mas mostra tudo em casa. Nem a professora e nem a pedagoga tinham ciência disso. Alem do mais, vimos a diferença que a estagiária tem feito no dia a dia dele na escola. Ela tem sido mais que um apoio, mas tem mantido ele ligado na aula, levado-o a fazer as atividades propostas. Sem contar, que o garotão agora só tira uma soneca de meia hora, e depois, está pronto pra arrasar.

Por mais que pareça chato ficar na escola, perguntando, falando, marcando reunião, faz um bem enorme pra gente e pra equipe da escola esses encontros e o retorno que damos fortalece todos nós.