quinta-feira, 28 de junho de 2012

Começando a terapia



Um ao outro ajudou, e ao seu irmão disse: Esforça-te. 
Isaías 41:6
Amanhã o Garotão vai pra segunda sessão de terapia com a neuropsicóloga. Ele teve a primeira sessão há duas semanas, e ainda não sei qual é a base da terapia. Meu filho foi agraciado com a participação num projeto universitário de psicologia que trabalha com intervenção em crianças autistas menores de 6 anos.

Mas, a primeira sessão foi muito legal, principalmente porque pude fazer um paralelo com as sessões de diagnósticos. Nas sessões de diagnósticos, eu tinha que ficar brincando com o meu filho durante 50 minutos na sala de ludoterapia. Era muito difícil, pois o meu filho não me dava atenção.

Na terapia eu senti que muita coisa tinha mudado. Consegui brincar com o meu filho lá... foi tão bom! Ele respondia, brincava, conversava comigo, respondia aos meus estímulos, totalmente diferente da terapia... como o meu filho vem evoluindo! Foi engraçado quando a neuropsicóloga resolveu assumir a parte dela, deu dó... Ele sempre vinha pra mim.

Aí, veio mais uma surpresa gostosa:  ele se interessou pelo quadro negro. A neuropsicóloga providenciou o giz. O moleque começou a riscar o quadro, e o mais impressionante, deu nome aos riscos! Chamava de bichos que ele costuma ver no Bebê Mais Bichos! Incrível, não é?

Quero conversar com a neuropsicóloga pra saber exatamente qual a linha que ela está seguindo. Também quero ter oportunidade de compartilhar situações que temos passado em casa para ter orientações em como resolver (principalmente as birras autodestrutivas... terríveis!). E, amanhã tem mais!