domingo, 15 de abril de 2012

Calor que me faz pensar...


Esses dias tem feito um calorão. Eu só me lembro desse calor no mês de abril quando eu estava grávida do meu garotão. E, pra aumentar ainda mais essa sessão nostalgia, estou ouvindo “Hilsongs para Bebês”... e o meu garotão, aqui no meu pé, brincando com o fio do computador e com um trenzinho.
Fiquei lembrando como eu estava agoniada com tanto calor, com um barrigão enorme, com a ansiedade para que meu garotão chegasse... Fiquei pensando no quanto eu já amava esse príncipe.
Fico lembrando que mesmo com todos os sonhos que tive para vida dele, eu jamais sonhei tanta coisa maravilhosa... Nunca sonhei tanta vitória, tanta coisa gostosa junta... Como abrir a gaveta de talheres e achar um elefante de pelúcia, como ver o pai chegando com uma pizza e ouvir: “Pizza! Pizza!” Sonhei, mas não imaginava que ouvir alguém dizer “coca-coa” fosse tão empolgante (e o mais empolgante é vê-lo recusar!). Eu sabia, mas não tinha noção do quanto ouvir ‘mamãe’ iria me fazer chorar toda vez que ouvisse...
E, agora, ouvindo essas musiquinhas bem leves, bem relaxantes, vou entrando em processo de sono, e meu garotão corre, corre, corre... Dificilmente vai desligar sem que eu o leve pra cama e deite com ele... E, eu escrevo, tentando registrar um pouco desse amor, um pouco dessa minha vulnerabilidade...
E, o calorão prossegue...
E, aqui, ouvindo, vou louvando ao Senhor, pela forma maravilhosa como Ele criou o meu garotão, e pela forma maravilhosa como Ele tem nos presenteado dia-a-dia!
Eu te louvarei, porque de um modo assombroso, e tão maravilhoso fui feito; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem.
Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui feito, e entretecido nas profundezas da terra.
Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe; e no teu livro todas estas coisas foram escritas; as quais em continuação foram formadas, quando nem ainda uma delas havia.
E quão preciosos me são, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grandes são as somas deles!
Se as contasse, seriam em maior número do que a areia; quando acordo ainda estou contigo. 
Salmos 139:14-18