terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Desfralde de uma criança autista: Quando as coisas pioram...



Mas tu, SENHOR, não te alongues de mim. Força minha, apressa-te em socorrer-me. 
Salmos 22:19

Eu achei que o desfralde estava indo meio lento, mas que poderia evoluir tranquilamente aos poucos, principalmente no período que o meu marido estivesse em casa...
Pois é, me iludi. Durante o período de desembarque do meu esposo, a nossa expectativa é que se nós dois nos concentrássemos no desfralde, até o final do desembarque, pelo menos o xixi estaria controlado...

Porém, além de não conseguirmos nenhum avanço em nenhuma área, ainda ganhamos um desafio a mais: o contato com o cocô.

Acredito que a falta de evolução em relação ao desfralde se deu porque estávamos tão concentrados em resolver logo as coisas da Princesa (35 semanas) que saímos muito de casa. E, ainda não nos sentimos seguros em sair sem fraldas. Então, se ficamos tanto tempo fora, tudo que foi construído nas duas primeiras semanas do ano, foram por água abaixo...
E, com o uso mais intensivo da cuequinha, o Garotão (3 anos 8 meses) começou a ter maior contato com aquilo que produz. Então, é só fazer cocô que ele começa a colocar a mão. Se colocasse a mão e depois deixasse lavar, tudo bem... O problema é que ele coloca a mão e passa no banheiro todo, em mim... uma sujeira só. Além disso, olha que contradição: lindamente, ele quer sentar sozinho no vaso sanitário... mas... com o bumbum sujo, a situação fica ainda mais caótica no banheiro.

Depois de tirar o excesso no vaso sanitário com a ducha higiênica, ainda tenho que dar banho, pois afinal, o Garotão está todo sujo! E banho não é exatamente o que ele mais gosta de fazer, então, a cena está armada: mamãe barriguda abaixada no banheiro, Garotão querendo fugir do banho, vaso sanitário, paredes, azulejos, chão, tudo sujo!
Pois é, as coisas sempre podem piorar, né?

Numa dessas ocasiões (já com o papai trabalhando de novo), o caos foi enorme: o Garotão fez cocô não quis tirar. Tive que levá-lo à força para o banheiro: isso fez com que ele aumentasse as birras, se jogasse no chão mais vezes, batesse a cabeça no chão... e depois, quando consegui tirar a fralda (é, geralmente ele só faz cocô depois que eu coloco a fraldinha pra dormir), ele colocou a mão e passou no banheiro todo, em mim... aliás, não consigo entender como em tão pouco tempo ele conseguiu fazer tanta sujeira!

Então, sem muita paciência, acabei pegando a duchinha e jogando água fria nele, pois estava difícil demais conseguir limpá-lo... mesmo ele detestando água fria. Acho que foi o momento mais difícil pra mim em relação ao meu filho... O Garotão chorou, mas saiu limpo do banheiro (e o banheiro um caos)... e eu, arrasada... passei o dia seguinte inteiro (não estou exagerando) chorando...

Fico pensando... Quanto tempo levará para que o desfralde aconteça mesmo?