sábado, 28 de janeiro de 2012

A primeira consulta com Otorrinolaringologista


Assim diz o SENHOR que te criou e te formou desde o ventre, e que te ajudará: Não temas 
Isaías 44:2

Depois que saímos com o encaminhamento, liguei para a clínica de otorrino e fono e perguntei o que eu devia fazer. Em meio a tantas dúvidas, a atendente foi solícita e me orientou em tudo o que eu precisava. O meu maior medo era que, como a pediatra tinha escrito “mãe preocupada com a fala”, eu não poderia fazer nada, nem conseguir uma consulta.
Pela graça de Deus, conseguimos a consulta com otorrino sem qualquer problema e, pela primeira vez, sentimos que alguém estava nos dando a atenção que precisávamos. Ela viu os primeiros exames do meu filho (teste da orelhinha, que a criança faz quando nasce) e perguntou porque eu não voltei quando ele tinha 6 meses. Eu fiquei encucada, pois não sabia. Sim, estava escrito no exame que a criança deveria voltar e fazer o exame aos seis meses, mas esperava que a pediatra falasse alguma coisa. É, ninguém falou nada. À partir de então, a otorrino fez um histórico de vida do meu garotão.
Então, eu contei que quando ele nasceu, tivemos um probleminha. Eu precisei de anestesia geral e meu filho ‘pegou’ a anestesia e nasceu hipotônico. O meu conhecimento sobre esse fato era que meu filho nasceu apagado e tinha sido reanimado. Os detalhes, eu não sabia. Então, a otorrino perguntou: “E você nunca foi a um neuro?” Eu fiquei assustada. Afinal, ninguém tinha dado importância a esse fato. Nenhum profissional pelos quais passei falaram qualquer coisa. Eu achei que tudo estava resolvido. Então, aí, senti que o que meu filho não se desenvolvia era devido à esse fato.
Fizemos os exames pedidos pela otorrino e vimos que meu filho estava escutando bem. Os exames mostraram que a audição do meu filho estava perfeita. Então, a otorrino pediu um outro exame, o BERA.
Desci da consulta com um encaminhamento pra neuropediatra, e passei no hospital onde meu filho nasceu e pedi o prontuário de nascimento do meu filho. Fiquei ansiosa para saber o que foi que se passou naquele centro cirúrgico.