sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Ainda sem direção... mas com encaminhamento.


Percebendo os sinais...
No post passado, eu comentei que começamos a estranhar que o nosso filho havia parado de falar, e que a pediatra nos havia recomendado que o nosso filho fosse pra escolinha.
Bom, em fevereiro, depois que eu voltei da minha pós, no Rio, meu filho começou na escolinha. A primeira semana foi tensa: quem disse que ele ficava? Mas, para a surpresa de todos, meu filho demorou apenas 1 semana em adaptação. Estávamos felizes e torcendo pelo desenvolvimento de nosso filho.
Além da fala, outra coisa nos preocupava em relação ao desenvolvimento do nosso filho: a forma como ele encarava as frustrações. Ficávamos assustados porque, a cada coisa que dava errada, ele exacerbava em sua raiva. Não somente gritos e choros, mas também batia a cabeça no chão, na parede se mordia. Nós ficávamos assustados com esse comportamento. Achávamos duas coisas: que os filmes infantis que assistíamos estavam influenciando negativamente e que estávamos sendo péssimos pais. Nãos sabíamos educá-lo, não sabíamos cuidar dele.
E, uma outra coisa que nos pertubava: o sono do meu filho. Ele quase não dormia. Esperávamos que com a escola ele dormiria mais, pois passaria a tarde toda em atividade. Porém, ele continuava dormindo tarde, acordando cedo e matando a gente... Parecia que a nossa energia não dava conta da energia dele.
Então, Maio chegou. Meu filho teria a última consulta do 2º ano, e a primeira do 3º. Ano. E a fala dele, não deu um sinal de que estaria se adiantando. Como se ele estivesse estacionado no desenvolvimento dele. Então, confrontei a pediatra e pedi uma solução, um encaminhamento para um profissional qualificado. Ela disse que eu poderia esperar até 2anos e 8 meses, mas eu não aceitei. Exigi um encaminhamento assim mesmo e a médica escreveu: “Ao fonaudiólogo, mãe preocupada com a fala.” E, para um otorrino, fazer audiometria e impedanciometria. Quando comentei a questão do comportamento exagerado na birra, ela disse que era responsabilidade nossa, como pais. Isso me deixou muito pra baixo, pois não sabíamos mais o que fazer.
Saímos então da consulta com dois encaminhamentos, um medo de que algo pudesse estar acontecendo e sem qualquer orientação, a não ser dois encaminhamentos com a certeza de que nenhum deles mostraria qualquer coisa.

Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o SENHOR teu Deus é contigo, por onde quer que andares. 
Josué 1:9