quinta-feira, 7 de maio de 2015

Esforçai-vos, trabalhai...


Esforça-te, todo o povo da terra, diz o Senhor, e trabalhai; porque eu sou convosco, diz o Senhor dos Exércitos.
Ageu 2:4

É incrível como a luta pela inclusão é incessante. Desde o início do diagnóstico, parece que a inclusão escolar, apesar de um direito garantido por lei, com todas as condições para que seja efetiva só é conseguida em meio à muita, muita luta.
No dia 05 último (05/05/2015), acabou o contrato da estagiária e, para nossa tristeza, mas infelizmente, sem surpresa, a prefeitura não enviou a estagiária que prosseguiria o trabalho com o Garotão e com o coleguinha de sala que também é autista. Então, a professora do Garotão nos chamou para uma reunião e nos expôs de forma oficial a situação, com registro em ata e tudo.
Voltamos então para o campo de batalha, repetindo todo o processo do ano anterior, mas dessa vez, acionamos mais rápido os órgãos responsáveis.
Às oito da manhã liguei para o setor de Educação Especial da Secretaria de Educação da minha cidade. A resposta que recebi era que eu teria que esperar mesmo. Argumentei que eles estavam descumprindo a TAC – Termo de Ajuste de Conduta (que tirou o acompanhamento individualizado do Garotão ) e me replicaram que o déficit era de 100 profissionais. Ou seja, no mínimo 100 crianças sem o atendimento determinado pela TAC!!!
Depois, o meu esposo foi até a Secretaria de Educação pessoalmente cobrar uma posição do setor de contratação. Esses alegaram que só daí 30 a 60 dias. Como??? Foi avisado com mais de 30 dias de antecedência o fim do contrato da estagiária! Então, responderam que só poderiam iniciar o processo de contratação ao fim do contrato da estagiária.
Com essa resposta, meu esposo foi direto ao Ministério Público, que na hora, incluiu o nome dele numa ação civil pública. E, o próprio Ministério Público confirmou a informação de que  há pelo menos 200 crianças especiais sem o acompanhamento determinado legalmente.
Mas, antes mesmo do meu esposo chegar em casa, a diretora da escola do Garotão ligou avisando: Já contrataram  a nova estagiária para o Garotão!
Sim, a luta é árdua, Deus é por nós, e Deus nos  diz para trabalhar, para nos esforçar porque Ele é conosco.

O que mais me surpreendeu nessa luta de ontem, não foi o descaso da prefeitura em relação à educação especial, mas saber que há cerca de 200 crianças esperando o acompanhamento especializado. Nós, famílias de crianças de necessidades especiais precisamos nos unir! Precisamos lutar juntas! Se todos nós, 200 famílias especiais, nos uníssemos nessa luta, conjuntamente, seja por manifestação, seja fechando a BR, será que não faríamos a diferença?
Precisamos trabalhar! Precisamos nos esforçar! Precisamos nos levantar e lutar! O Senhor dos Exércitos está ao nosso lado!